E aí, corajosos e corajosas do tempo presente? Tudo certo?



A cada dia esse (des)governo nos dá uma pauta riquíssima para tratarmos. Na coluna mais recente tratei das caricaturas do atua ocupante do Planalto e sua trupe. Se quiser, leia aqui.

Este governo quer tornar normal o desdizer da bobagem: eu digo uma bobagem, deixo passar um ou dois dias para ver a repercussão e depois, se for o caso, volto atrás. Todos nós sabemos que este governo fez isso inúmeras vezes e, muito provavelmente, o fará daqui por diante.

Uma das instituições que passara intocada governo após governo era o InMetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) que, surgido em 1973, tinha por objetivo dar segurança aos cidadãos pela qualidade dos produtos e materiais usando em seu cotidiano. Seus testes de qualidade, em determinado momento, adquiriram condição VIP, pois criou-se um quadro semanal em uma revista eletrônica para divulgar seu trabalho.  Todo e qualquer material, de extintor de incêndio a pneu, passando por bombas de gasolina e a própria composição dos combustíveis eram função do Inmetro determinar sua qualidade.

Mas, toda a frase tem seu ponto final. E o (des)governo decidiu dar fim ao instituto. Nas palavras do próprio mandatário "implodi o Inmetro". Como justificou? Queriam colocar chips em todas as bombas de gasolina do país, modificar os tacógrafos dos caminhões...vê se pode? Que absurdo.

Quanto tempo leva-se para criar um trabalho e com tudo isso um sólido e respeitável histórico? Décadas de suor, dedicação, transparência. Quanto tempo leva-se para destruir com tudo isso? um segundo de arroubo de um governante que não tem ideia do que está fazendo, ou corrigindo, tem sim tem plena consciência daquilo que faz. A grande questão que fica é: A que custo?  Com qual intenção?

Para entender a importância do Inmetro, acesse ao site desta autarquia federal.

Cabe a população lutar pelas instituições. Não podemos deixar que, uma a uma, elas sejam destituídas de sua condição histórica e de seu papel social.

Responda com os seus botões: a quem interessa este desmonte do serviço público que assistimos dia-a-dia calados?

P.s.: meus botões já sabem a minha opinião.

Até semana que vem.


Saudações,

Ulisses B. dos Santos.

Twitter e Instagram: @prof_colorado.

Sobre a coluna

A coluna Sobre Tudo é publicada todas as terças-feiras.
Compartilhe:

Ulisses Santos

Sou um cara solidário e humanista. Procuro ser empático com o outro. As relações humanas fazem com que cada um de nós seja alguém que ao acordar é uma pessoa e ao dormir seja outra. Sou professor da rede pública estadual do RS desde 2002 e escritor desde sempre. Tenho livros escritos sobre a história de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul. Atualmente estou concluindo a graduação em Jornalismo.

Deixe seu comentário:

0 comments so far,add yours