Com 100% das atas processadas, as eleições presidenciais do Peru foram vencidas pelo professor de ensino médio e sindicalista Pedro Castillo, candidato por uma frente de movimentos da esquerda daquele país. Do outro lado, além de derrotada pela terceira vez consecutiva, a principal herdeira do fujimorismo, Keiko Fujimori, tem de se explicar para a justiça local, que pediu sua prisão por supostos crimes de corrupção.

Além deste assunto, o programa aborda ainda o atrito entre motoqueiros de São Paulo que irão participar de um ato com o presidente Bolsonaro no próximo sábado; os requerimentos aprovados na CPI; e a articulação de partidos de esquerda para as eleições majoritárias de 2022 no Rio de Janeiro.


De segunda a quinta, sempre na faixa das 21h, o JC Informa​​ é o seu ponto de encontro com os cronistas do JC e as principais manchetes do dia. Neste espaço, os destaques dão o tom da conversa comandada pelo cronista Pedro Araujo, editor de Política no Recife, com a participação, em rodízio diário, de Claudio Porto e Adriano Garcia, ambos editores de Política em São Paulo, e Arthur Luiz, editor no Rio de Janeiro.

A confirmação veio. No final de maio a prévia da inflação para o mês já mostrava que o bolso do brasileiro está cada vez mais impactado com o aumento do “preço das coisas”. Nesta quarta-feira, 9/6, o IBGE divulgou uma aceleração de 0,83% no mês passado, fortemente influenciado pela conta de luz, água e esgoto, além dos preços do gás de botijão e dos combustíveis.

A história do auditor do Tribunal de Contas da União que elaborou um relatório paralelo questionando o número de óbitos; a decisão do STJ de restabelecer as condenações de policiais envolvidos no massacre do Carandiru; e as mortes de duas vidas negras no Rio estão na pauta do programa.


De segunda a quinta, sempre na faixa das 21h, o JC Informa​​ é o seu ponto de encontro com os cronistas do JC e as principais manchetes do dia. Neste espaço, os destaques dão o tom da conversa comandada pelo cronista Pedro Araujo, editor de Política no Recife, com a participação, em rodízio diário, de Claudio Porto e Adriano Garcia, ambos editores de Política em São Paulo, e Arthur Luiz, editor no Rio de Janeiro.

 A participação de Ciro Gomes no programa Conexão Xangai, do canal do prof. André Roncaglia, e a falta de presença de senadores do PDT na CPI são os temas desta segunda edição do #EspaçoTrabalhista.

Toda terça-feira, às 19h, Noé Gomes do canal  A Voz da Legalidade  participa do Espaço Trabalhista, programa da TV Jovens Cronistas dedicado à agenda do trabalhismo no Brasil.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a equipe econômica de Paulo Guedes estaria disposta a prorrogar por mais dois meses o pagamento do Auxílio Emergencial entre R$ 150,00 e R$ 375,00. A prorrogação até setembro faria parte do pacote de medidas econômicas com fins eleitoreiros que deve ser lançado pelo (des)governo nos próximos meses.

Também neste programa o apetite de Paulo Guedes pela gestão de fundos de pensão; Marcelo Crivella de malas prontas para a África do Sul; e a apuração das eleições presidenciais no Peru dando vantagem ao candidato sindicalista Pedro Castillo.


De segunda a quinta, sempre na faixa das 21h, o JC Informa​​ é o seu ponto de encontro com os cronistas do JC e as principais manchetes do dia. Neste espaço, os destaques dão o tom da conversa comandada pelo cronista Pedro Araujo, editor de Política no Recife, com a participação, em rodízio diário, de Claudio Porto e Adriano Garcia, ambos editores de Política em São Paulo, e Arthur Luiz, editor no Rio de Janeiro.

Se tem uma discussão que permeia as últimas duas décadas é a transparência do sistema eleitoral brasileiro que, desde 1996, tem na urna eletrônica sua representante máxima, para todos os sentidos e gostos. Um dos pontos mais caros no debate é a possibilidade de impressão do voto (até onde se tem conhecimento, sempre garantindo o princípio da inviolabilidade do voto; em hipótese alguma a pessoa sai da seção com o registro do voto).

Na história brasileira de uso da urna em ao menos três momentos o voto impresso/auditável esteve na pauta do Congresso Nacional, sendo todas as vezes aprovado por seus membros (2002 2009 e 2015). Sempre relutante à ideia, a justiça eleitoral só seguiu o que foi decidido pelos parlamentares na primeira vez em que foi aprovada e sancionada alguma proposta sobre o tema, portanto em 2002. De resto, decisões judiciais têm respaldada a não implementação do sistema.


Este Clube da Esquerda com a participação de Sergio Amadeu, professor adjunto da Universidade Federal do ABC, em São Paulo, procura contextualizar essa reivindicação historicamente identificada com setores da esquerda brasileira.