Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor CORINTHIANS - À beira do insustentável

Foto: AFP

Amigos e Nação Corinthiana! Escolhi esta foto por ela ser muito emblemática. Um (sim) ÍDOLO da história do clube de joelhos. De joelhos todos estamos após o Corinthians NÃO ENTRAR EM CAMPO ante o Del Valle (que não da CC Company) em casa, na Arena e sofrer o revés de 2 x 0 na ida das semi da Sula que praticamente (e eu disse praticamente e não de fato) finda o desejo de mais um título na temporada, importante por vencer acima de tudo, mas importante também pela grana, tão necessária neste momento, além da vaga na Libertadores. Portanto, neste texto nem cabe um relato da partida, até porque NÃO HÁ o que relatar de efetivo ao nosso torcedor, mas vamos falar muito sobre, como diz o título, o que já é e o que beira o insustentável dentro e também fora de campo. TODOS, inclusive nós torcedores, temos de olhar pra dentro de nós e fazermos uma autocrítica honesta, vamos a ela.


Bem, sobre o jogo, nas minhas redes sociais tracei um paralelo em relação ao duelo ante o Nense (clique), só que com agravantes sérios. A similaridade principal em relação ao jogo do final de semana, (jogo este em que assisti no comando do pré e pós-jogo na Rádio Trianon, AM 740 - estarei novamente neste domingo comandando o pré e pós jogo de Fortaleza x Palmeiras às 16h  acompanhe as transmissões pelo Facebook, clique!) é que o time encarou um adversário que a cada bola que pegava sabia tocar, segurar a posse ao máximo e com o agravante no caso dos equatorianos, de ter a qualidade suficiente pra espetar. A marcação do Corinthians na frente da área é muito frouxa. Gabriel tem se matado sozinho, Urso é ótimo jogador, mas vive um momento terrível e "marca" a distância, qualquer adversário que saiba trabalhar a bola tem espaço demais na frente do gol do Corinthians. Este foi sem dúvida fator determinante nesta derrota.

Ainda nessa ilação, outro fator similar nos dois confrontos, mas ainda mais agravado neste foi a inércia criativa do time. Contra o Nense ao menos os primeiros 25 minutos do primeiro tempo e os primeiros, vá lá, vinte do segundo, o time ainda teve gana, fez uma pressão ainda que sem criatividade nenhuma, ainda que atacando por um lado só com o Janderson, de forma desorganizada e sem um passe criativo, sem fundamentos, sem municiar o centroavante. Neste jogo o goleiro adversário sequer exigiu do roupeiro que botasse o uniforme pra lavar, a criação do time vive um momento crítico e por isso isento Love, que ainda que não esteja bem nas poucas bolas que chegam, não para de lutar um minuto.

Isto posto, ante estes problemas crônicos, vimos um Timão que está longe de jogar no superlativo, muito ao contrário, um futebolzinho, em um time que tem sérias limitações e não tem um elenco qualificado e com reposições que possam dar ao treinador alternativas. E como eu sempre coloco, no futebol a CONFIANÇA é fator determinante. Determinante na fase boa, onde o ruim vira razoável, o razoável bom e o bom ótimo. Bem como a falta dela inverte o processo e é isso a meu ver que está acontecendo no time, diferentemente do discurso fácil da "falta de raça", conheço este elenco, não é por aí, mesmo.


Isto posto, vamos ao que beira o insustentável em relação ao campo e bola, depois falo de nossas posturas enquanto torcedores e finalizo mais uma vez falando de desmandos diretivos.


Vejam, um percentual enorme dos torcedores que se manifestam nas redes sociais tem colocado TODA a responsabilidade pela inércia criativa e o momento de total FALTA DE CONFIANÇA do time em Fábio Carille. Esclareço antes de destrinchar o insustentável do elenco, que não tenho de forma nenhuma o objetivo de "defender" Carille, ponha a mão na consciência antes de me questionar com esse tipo de besteira. O meu papel aqui é, ainda que nervoso como torcedor, analisar de CABEÇA FRIA (a de cima) e de forma analítica como comentarista que sou, os problemas do time. Estou aqui pra ESCLARECER fatos, com COERÊNCIA e com visão de jogo. E não pra defender ou atacar "C" ou quem quer que seja.

Me desculpem, mas não vou fazer texto pra ser popular, não vou escrever aqui o que vocês gostariam de ler, isso seria ser desonesto e isso eu não sou. Começo então dizendo que é um erro dizer que a formação de Carille é "retrancada". Qual é a retranca em iniciar com um volante mais fixo, um de saída (que sim, não está jogando nada, mas isso é outra coisa) e uma linha de três meias com um centroavante móvel? É assim que o Liverpool joga, o PSG e tantos outros. A diferença é quem são os quatro jogadores dessa linha de frente dessas equipes e quem são os nossos, quem (não) está no banco pra mudar o panorama de um jogo, é isso que não temos. Pedrinho é um meia central de extremo talento, que pode dar muitas alegrias a nós (ou ao futebol europeu) e á Seleção. Mas ele está hoje jogando IMPROVISADO de ponta, porque Andrés Sánchez pegou birra de Romero, pelo fato de seu empresário tentar (legitimamente, é uma questão de Mercado) aumento. De que adiantou todo o Ego do Dit...Digo, do Presidente do clube, Ángel se foi e padecemos de não ter um substituto pra titular dele e não termos NENHUMA peça no banco pra substituir os pontas titulares em que se possa confiar, Everaldo chegou e frequenta mais o DM que o campo e Janderson, ainda que seja talentoso e tenha futuro, é muito menino ainda e ainda precisa aprimorar fundamentos. Ou seja, se num elenco tu precisa ter ao menos um reserva apto para cada posição, mesmo que Romero tivesse ficado, a equipe precisaria de no mínimo mais um ou dois pontas, não tem nem composição de banco.

O time está claramente sem confiança, esta falta de pegada na marcação, essa falta de dividir mais as bolas, de partir pra jogada individual visando o gol, não é "falta de raça", conheço este elenco, sei que a grande maioria ali é sério e tem um vínculo emocional importante com o clube. Trata-se de FALTA DE CONFIANÇA, a confiança é capaz de fazer o ruim virar mediano, o mediano bom e o bom ótimo. Quando não se tem essa confiança, o processo se reverte.

Outro fator que não podemos deixar de considerar é: Em que momento em toda a passagem de Clayson (ainda que sim, ele tenha sido importante antes da compra em definitivo, na campanha do título Brasileiro) e sobretudo de Vital, é que em nenhum momento estes jogadores mostraram uma regularidade em terem a capacidade de decidir jogos, de ter uma condição criativa absurda, a ponto de se jogar (apenas) no técnico como estão fazendo a responsabilidade. Estes caras não estão sendo "limitados pelo técnico retranqueiro que impede o desenvolvimento de seus talentos". Estes caras lamentavelmente tem limitações técnicas claras e o pior, NÃO TEM RESERVAS que deem ao treinador a alternativa de tirá-los do time. Eu tinha muita esperança em Sornoza, mas infelizmente ele não consegue aqui desenvolver a grande qualidade criativa que apresentou no Nense, forçando á época Scarpa a cair para o lado direito, ainda que o canhoto rival seja meia central. Jadson lamentavelmente não consegue mais jogar e Régis (aí sim cabe criticar o treinador) inexplicavelmente não tem chances no time, ainda que tenha correspondido bem nas poucas vezes em que atuou, caso similar ao do bom garoto Thiaguinho, ao qual lamentavelmente resolveram emprestar e nessas quatro funções, sobretudo as três da linha de meias, poderia ser uma boa alternativa, o moleque é MUITO BOM.

Na ponta o cenário é ainda pior, NÃO HÁ jogadores. Fizeram o que fizeram a Romero, paciência. Mas reparem que com Everaldo lesionado, temos o IMPROVISADO Pedrinho de titular na direita, Clayson na esquerda e o ÚNICO reserva na função é o MENINO Janderson. Isso não é adequado nem no elenco de um time que disputa a Série D, que dirá do Corinthians. Será mesmo "o técnico" que levou o time a essa situação sozinho, como estou lendo por aí?

Pra falar de centroavante, me desculpem, mas precisamos seguir falando da meia. Afinal, por que o centroavante do time é Love e não Boselli?? O torcedor que efetivamente acompanha TODOS os jogos do Corinthians, vai se lembrar junto comigo que Mauro tinha ganho a posição de Love e vivia até um bom momento, mas em 25/08 na partida contra o Avaí, o time catarinense se fechou bem, a trinca de meias NÃO CRIOU NADA e o camisa 17 ficou ISOLADO sem movimentação no ataque, Love entrou, SE MOVIMENTOU e criou chances, fazendo o gol que salvou o time da derrota ante um adversário horrível (me desculpe o torcedor do Avaí). O que quero dizer com essa "historinha". Carille tem duas possibilidades de titularidade no comando do ataque, Boselli é um centroavante FIXO, com pouca mobilidade (ainda que tenha visão) fora da área, ou seja, Boselli precisa que o time chegue ao fundo, que o coloque na cara do gol, Boselli precisa de um time que CRIE MUITO pra ele concluir, o que não está acontecendo. Então, Carille opta pela outra opção, com mais movimentação, que é o Love, se a bola chegasse toda hora, com certeza Carille usaria mais Boselli. Mas e o Gustavo? O Gustavo é o centroavante pro abafa, pra bola aérea, é um cara que dificilmente vai vencer a disputa pela titularidade, pois se o time precisar de um cara mais fixo, Boselli supre com um pouco mais de técnica com a bola no pé. Ou seja, o pessoal se estressa demais com a questão do centroavante, sendo que a bola não está chegando neste, seja quem for. Poderia chamar o Dinei de volta que daria no mesmo, a bola não ia chegar.

Percebem que o time tem graves problemas? Os desafio a me desmentirem e achar soluções diferenciadas NESTE ELENCO para os problemas acima. Sem xingamentos, com ARGUMENTOS. O desafio está lançado.


Eu ia falar bastante de Carille, mas creio que estas avaliações técnicas falam por si. Carille tem sim erros, mas repetir indeferidamente o mantra da "retranca" não contribui em nada, é puro LATIDO. É absurdo tratar Carille como se ele "não estivesse retirando do elenco todo o seu potencial". QUE POTENCIAL? Um elenco que não tem nem quem pôr quando sai um dos pontas, tem que por menino que corre bem, mas mal sabe chutar. Sejam razoáveis.

Em tempo, tem CARA DE PAU pedindo FERNANDO DINIZ no Corinthians. Fernando Diniz que ainda que eu não tenha nada contra sua pessoa, torça a favor e reconheça que é um cara de boas ideias, TEVE APROVEITAMENTO DE REBAIXADO nos clubes de primeira divisão CAP (campeão da Copa do Brasil com seu substituto - esse sim bom - Tiago Nunes) e Nense? O que querem, LABORATÓRIO, ZONA DE REBAIXAMENTO??? O time é QUINTO COLOCADO no Brasileirão. Carille é TRICAMPEÃO PAULISTA e campeão Brasileiro com este time. Querem mudança, sugiram um treinador que já tenha demonstrado CAPACIDADE de vencer e não esse tipo de experimento, FUTEBOL NÃO É VIDEOGAME.

Pra finalizar sobre Carille, não se trata de defesa e sim do que é JUSTO. Eu baseei todo este texto na ideia de que a trinca de meias não está criando. ESTES eram os "jovens" aos quais Carille se referiu. Eles criaram algo? Eles fizeram um grande jogo? Façam uma avaliação honesta e entendam o que o treinador quis colocar, ainda que não seja legal dar esse tipo de colocação pros jornalistas, soa mal, soa como isenção de responsabilidade. Ainda assim, Carille não teve a intenção (na minha ótica) de jogar os meninos na fogueira, apenas foi excessivamente sincero.


Por fim, Andrés foi lá, se colocar como torcedor, mas precisa ter mais amor ao time, ser mais sincero, se DEVE SEIS, ASSUMIR QUE DEVE SEIS, se não conseguirá montar elenco em 2020 JÁ PREPARAR O TORCEDOR PRA UM ANO DIFÍCIL, assumir que fez PÉSSIMOS ACORDOS/NEGÓCIO em relação a Arena ao invés de agredir quem o questiona, como o Movimento Corinthians Grande. Andrés sofre da síndrome que acometia o finado Eurico Miranda no Vasco, a síndrome de crer (ou fingir crer) ser PROPRIETÁRIO do clube. Por mais que sua primeira gestão tenha sido exitosa, isso não lhe dá o direito de SE APROPRIAR e onerar o clube dessa forma, agindo de forma DITATORIAL sem qualquer transparência e qualquer respeito por quem o questiona mediante os fatos. O item 3 de sua nota, que contradiz a introdução dela que diz que o MCG fez "acusações infundadas" cai em completa contradição, como considerar que "havia acordo" sendo que "Em razão dos trâmites internos da referida instituição, este, ainda não havia se materializado em instrumento contratual". Ora, EU NÃO SOU ANALFABETO. Se "não havia instrumento contratual", NÃO EXISTE CONTRATO. É chamar o torcedor de IDIOTA na cara dura. Força aos amigos do MCG.

Todas as situações acima denotam um cenário á beira do insustentável, sobretudo para Carille que está sendo duramente atacado nas redes. Mudar técnico num cenário onde o time ainda tem pequena chance na Sula e brigando por vaga na Libertadores estando ainda na 5ª posição do Brasileiro, a meu ver não é o caminho. O caminho é o time voltar a se exibir de forma digna, tentar recobrar ao menos parte da confiança destes jogadores, para caso se confirme a queda na competição continental, caiam LUTANDO e com isso recuperem a confiança para os menos de quatro meses que restam da temporada.



Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e confira nossos conteúdos esportivos, dê sua opinião que é fundamental, seu like e divulgue para os amigos! 

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 

2 comentários:

  1. Sem dúvidas não e o único culpado
    Mas essa derrota foi uma baita lição , o Corinthians pro ano que vem terá de buscar alternativas de evoluír , jogadores rápidos pelas pontas e meias de criação tem de ser prioridade . Problema financeiro ? Diretoria que administre o dinheiro Jadson , sornoza Ramiro emprestados alivie esses custos e traga gente que chegue pra vestir a camisa !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, é o que eu já defendia no final da temporada passada amigo, tem o agravante de que esses caras que tu falou tem salário altíssimo e já são experientes, nem cabe emprestar esses caras pra pagar parte do salário. Eu penso que Sornoza tem capacidade de se recuperar e compor elenco, os demais sim, rescindir amigavelmente e liberar folha.

      Grato pelo comentário.

      Excluir