Que a quarentena mexeu com o psicológico das pessoas todo mundo sabe. Que este período está fazendo as pessoas enxergarem as coisas por outro ângulo, também. Sempre que saímos da zona de conforto (que às vezes não é tão confortável assim), precisamos agir, fazer algo diferente para conseguirmos nos reacomodar ou para descobrir que simplesmente não queremos mais ficar acomodados(as).


Como comentei semana passada, coisas ruins como violência doméstica estão ocorrendo ainda mais por causa do confinamento. Temos também outros exemplos como falta de dinheiro, ansiedade, comportamento depressivo, insônia, conflitos familiares etc. Por outro lado, muitas pessoas estão se redescobrindo e se reinventando. Muitos estão mudando de profissão, priorizando fazer trabalhos que sempre quiseram, mas nunca fizeram por acreditar que a estabilidade financeira era mais importante que trabalhar os próprios talentos e habilidades.

Quando percebemos que nada é estável de verdade, automaticamente nos tornamos mais ousados(as), porque não temos que ter medo de perder algo que já não temos mais de alguma forma ou que já estamos perdendo. Quando vemos a areia escorrendo entre os dedos, sabemos que podemos abrir a mão novamente e pegar outro punhado de areia, mas que este punhado não será composto pelos mesmos grãos. Ou seja, a experiência e o conhecimento nos dizem como devemos fazer algo da melhor maneira que conseguirmos, mas é a desacomodação que nos faz tomar atitudes.

Apesar de toda a crise financeira iminente que nos assola, apesar do medo de perdemos pessoas que amamos por causa de um vírus e apesar de todas as desvantagens presentes no ato de ficarmos trancafiados em casa, talvez, inacreditavelmente, este seja o momento ideal para refletirmos. Precisamos e devemos repensar o que queremos para nossas vidas, definir quais são realmente nossas prioridades e, finalmente, criar limites às coisas que não queremos mais em nossas vidas.
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 
Você tem medo de arriscar um negócio próprio e não ter um salário fixo? Já se programou alguma vez para poupar e investir o seu dinheiro, ou seja, já deu o primeiro passo? Você tem medo de se separar e perder o amor de seus filhos? Já tentou conversar com as pessoas envolvidas sobre isso? Você tem um passatempo que envolve arte ou esporte e constantemente o ignora por pensar que precisa fazer 100% do seu tempo ser produtivo? Já pensou em como isso te deixaria mais leve e mais feliz? Você tem medo de decidir cortar relações com pessoas que você sabe que são tóxicas? Já tentou imaginar como sua vida teria mais paz sem elas? Você tem medo de fazer escolhas e depois se arrepender? Já parou para pensar em como seria se desse certo? Você já parou pra pensar quanto tempo de felicidade perde na vida enquanto pensa “e se...”?

Sobre a Coluna

A coluna Voz de Mulher é publicada sempre às segundas-feiras.
Compartilhe:

Karina Pedroso

Escritora, tradutora, professora, revisora e artista nas horas vagas. Sou uma pessoa que ama conhecer coisas, pessoas e lugares e amo os animais. Aprender alimenta minha alma.

Deixe seu comentário:

0 comments so far,add yours