Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor PALMEIRAS - Vitória á base do desânimo

(Foto: Cesar Greco)


Queridíssimos amigos palestrinos, nesse sábado 12, o Palmeiras recebeu o Botafogo em um Pacaembu de médio público naquele clima de velório após a vexatória derrota frente ao Santos na quarta-feira. Vexatória não por ser o Santos, embora rival, sabemos de sua magnitude e da qualidade de seu técnico, mas sim da postura ridícula e inaceitável do time em campo. Palavras já proferidas no PDT passado.

Em particular (e não tão particular assim) minhas expectativas para esse jogo eram baixíssimas, 8 pontos atrás do Flamengo, três partidas ruins sendo a última péssima.

E o início de jogo não surpreendeu ninguém, o Palmeiras novamente começou lento, desatento, desinteressado, pouco inventivo. A escalação já era um problema, em pleno outubro, Deyverson era o titular do nosso ataque que ainda contava com as ausências de Felipe Melo e William suspensos, Weverton e Gómez em suas seleções, além de Luiz Adriano ainda com dores.

Os mesmos problemas do Palmeiras apareciam em início de jogo:

Gustavo Scarpa nada criativo, se quer levantar a cabeça o mesmo levanta;

Dudu na maldita ponta direita sendo extremamente subaproveitado por não ter o pé bom para bater, levando sempre para a linha de fundo;

Bruno Henrique lento, sem se apresentar na frente, onde é sua melhor qualidade;

Diogo Barbosa existindo;

Poderiam estar pensando que todos esses problemas teriam ido embora, já que abrimos o placar aos 15 minutos de partida não é mesmo? Não, pior que isso, o Palmeiras ao abrir o placar perdeu o apetite que já não demonstrava ter. E o gol é o maior exemplo disso! Foi um golaço de uma tabela muito bem feita para deixar o jogador na cara do gol e tirar do goleiro, e esse jogador é Thiago Santos.

Quando Thiago Santos é quem procura a tabela e se apresenta, é o maior exemplo de que as coisas não estavam boas, e de fato, permaneceram até o final do primeiro tempo. Um primeiro tempo em que quem ficou mais com a bola foi o Botafogo, trocou mais passes mas nada conseguiu criar.

O segundo tempo o Palmeiras melhorou (até porque seria dificil ser pior que aquilo) e foi aí que o conhecido Diego Cavalieri passou a fazer defesas importantes, ao menos umas 4 bolas, uma delas no reestreante Henrque Dourado que perdeu uma grandíssima oportunidade nas mãos do ex-alviverde.  Tivemos até um golaço corretamente anulado, mas pouco empolgou até a própria torcida.

O segundo tempo foi bom, mas nada a ponto de cativar a torcida no Pacaembu, ganhamos de 1 a 0, poderia ser um 2 a 0, demos 19 finalizações, mas não vimos um Palmeiras pulsante, algo que falta nesse time principalmente em grandes jogos.

O Palmeiras vence e não dá a impressão de que jogou o que pode, vencemos porque somos muito superiores e o Botafogo como grande parte dos times, não conseguem bater de frente conosco. Mas isso é pouco, é minúsculo para poder botar o Palmeiras em rumo do título.

O Flamengo joga em um nível acima do nosso e a vantagem de 8 pontos é o maior exemplo disso, caímos muito nos últimos 3 jogos, e o Flamengo eu não sei se se quer irá tropeçar 3 vezes até o fim do campeonato. Apenas um desastre nos botaria em pé de igualdade na briga pelo título, e cabe a uma reflexão seríssima da nossa diretoria ao fim do ano.

Enquanto isso o torcedor mesmo desanimado acompanha o time, nosso próximo confronto é quarta-feira contra a Chapecoense em um jogo onde provavelmente venceremos mais por sermos naturalmente muito superiores do que mostrando futebol de imponência, logo ela, citada na primeira frase de nosso lindo hino.



Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e confira nossos conteúdos esportivos, toda segunda tem "JC Esportes" com os destaques do Brasileirão e do mundo esportivo, dê sua opinião que é fundamental, seu like e divulgue para os amigos! 

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 

Nenhum comentário