Banner 1

JC Agora

Fórmula 1 - Garfado?? Vettel é punido e Hamilton herda vitória no Canadá

Olá fãs de velocidade! Estamos de volta nesse domingo para comentar o Grande Prêmio do Canadá, certamente a corrida mais movimentada da temporada até aqui! Depois de um treino de classificação forte no sábado, a Ferrari tinha a faca e o queijo na mão para quebrar a hegemonia da Mercedes no domingo. Mas, um escorregão de Sebastian Vettel na volta 48 mudaria todo o destino da prova, trazendo à tona um clima de tensão e (muita!) insatisfação por parte dos Tifosi! Quem se aproveitou da situação foi Lewis Hamilton, que viu caminho aberto para sua quinta vitória na temporada, construindo uma vantagem de muito respeito na liderança do campeonato. Confira agora tudo o que rolou no conturbado GP do Canadá!


Sempre um momento de grande expectativa, a largada da prova aconteceu sem maiores intercorrências. Vettel manteve a liderança com tranquilidade, enquanto Leclerc até tentou forçar por fora de Hamilton, mas sem sucesso. Mais atrás, cabe destaque à grande largada de Hülkenberg, que ultrapassou Valtteri Bottas por fora na saída da curva 2, assumindo o sétimo lugar.

Enquanto os carros que largaram de pneus macios já iam para seus pit stops, era hora do primeiro abandono do GP canadense. Um excesso de aquecimento no carro de Lando Norris acabou provocando uma falha na suspensão traseira direita, forçando a McLaren do inglês a se retirar da prova. Uma pena para o time inglês, que vem fazendo boas corridas e se consolidando como uma das forças do meio do pelotão.

Seguindo com a corrida, Vettel continuava ditando o ritmo da prova, ainda seguido por Lewis Hamilton e Charles Leclerc. A quarta posição de Valtteri Bottas no momento parecia um bom resultado, se tomarmos a sexta posição de largada como comparação. Mas a verdade é que o finlandês estava longe dos seus melhores dias. Depois de um sábado ruim, com uma rodada na sua primeira volta rápida no Q3, Bottas simplesmente não encontrou seu ritmo durante a prova, sofrendo pressão quase o tempo todo de Max Verstappen, que tinha inclusive pneus mais duros em sua Red Bull. Como se não bastasse isso, Valtteri não conseguiu construir uma vantagem suficiente para sequer voltar à frente das Renault, tendo que retardar sua parada ao máximo para recuperar o tempo perdido no final da prova. Um domingo literalmente "para esquecer", e que vai totalmente contra o hype criado em cima da image do "novo Valtteri", um piloto confiante e que encara de igual pra igual o companheiro de equipe. Um baque forte na temporada de Bottas, que precisa reagir já no próximo final de semana, caso contrário, qualquer aspiração de título torna-se quase impossível.

E quem incomodou a Mercedes #77 merece também um destaque especial! Depois de um começo de campeonato bastante decepcionante, a Renault finalmente encontrou seu ritmo no Canadá e mostrou a que veio na Fórmula 1! Com um ritmo de corrida muito bom, os dois carros se descolaram do pelotão intermediário e passaram a corrida incomodando as equipes da frente. O rendimento foi tão bom que tanto Ricciardo quanto Hülkenberg terminaram à frente da Red Bull de Pierre Gasly (este que segue com a batata assando). Desempenho encorajador dos franceses, que seguem para a corrida e casa com a moral lá no alto.
A única ressalva com relação ao time amarelo fica por conta da ocorrência de ordens de equipe. Por volta do giro 50, Hülk chegou a botar de lado de Ricciardo, mas o alemão recebeu mensagem via rádio para não atacar o companheiro. Acredito que houve certo excesso de cautela por parte da equipe, já que ambos os pilotos não tem histórico de acidentes. Esse tipo de atitude acaba por causar certo mal estar dentro do time, o que pode prejudicar o desempenho no futuro. Pode ser um tiro no pé de uma equipe que parece querer despontar.

Enfim, depois de alguns rodeios, chegamos ao pontos principal. Depois da primeira e única rodada de pits, a Mercedes de Lewis Hamilton vinha rendendo melhor do que a Ferrari de Sebastian Vettel. Com isso, o inglês se aproximou do líder da prova e começou a pressioná-lo. Depois de alguns erros que resultaram em travadas de Hamilton, foi a vez de Vettel perder um ponto de freada, e mudar a história de toda a corrida.
Com alguns retardatários a frente, o carro de Seb parece ter perdido pressão aerodinâmica, saindo de traseira na entrada da curva 3. O alemão então teve de corrigir e acabou subindo na grama, perdendo momentaneamente o controle do carro. Na saída da curva 4, Vettel volta a pista, com mais uma chicoteada do carro e outra correção para retomar o controle. Nesse intervalo, Hamilton viu o gap e tentou uma manobra por fora na curva 4, mas quando o inglês ia completar a ultrapassagem, deu de cara com Vettel espalhando e espremendo-o contra o muro. Hamilton teve que recuar, mantendo o segundo lugar e evitando o choque. Os comissários da FIA entenderam o lance como "unsafe reentry", ou seja, um regresso inseguro à pista, punindo Sebastian Vettel com 5 segundos à serem acrescidos ao tempo total de prova.

A questão é um pouco mais complicada do que parece, então vamos analisar com cuidado (sem espaço para teorias da conspiração, por favor): a situação descrita pelos comissários na justificativa pela penalidade aplicada aconteceu de fato. Ou seja, Vettel retornou à pista de maneira insegura, colocando a corrida de Hamilton em risco e quase provocando um acidente. Fato, sem questionamentos.
Porém, a situação deveria ser analisada seguindo não apenas a ótica dos fatos, mas também a das intenções. Separe dois minutos do seu tempo para assistir o trecho da onboard de Sebastian Vettel. Nela fica claro que Seb simplesmente perde o controle do carro enquanto passeia pela grama e quando volta a tocar o asfalto. Não houve a intenção deliberada do alemão em espremer Hamilton no muro, isso fica comprovado pelo fato de que Vettel só olha para os retrovisores após terminar a manobra de correção, ou seja, Vettel sequer sabia onde Hamilton tinha se posicionado!

A manobra de correção efetuada foi absolutamente normal. Com o carro em cima da grama, qualquer movimento brusco ocasionaria uma rodada, algo que Vettel certamente não queria provocar. Após retornar à pista, um solavanco no primeiro contato com o asfalto provoca uma nova correção, essa a responsável por espremer Hamilton no muro. Porém perceba, correção é algo diferente do que uma manobra intencionada na qual o objetivo é defender ou bloquear o oponente. Naquele momento, Vettel tentava apenas manter seu carro na pista e longe dos muros, sem se importar com a presença ou não de Hamilton.

A impressão que a decisão passa é de que os comissários tomaram-na de acordo com uma cartilha, com regras pré-determinadas e engessadas, sem analisar o todo e o contexto. Esse é um ponto a ser analisado e possivelmente modificado para os demais GPs.
Como foi dito por Felipe Giaffone (ex-comissário da FIA) na transmissão do Globoesporte.com, o piloto convidado (neste fim de semana, o italiano Emanuelle Pirro) acaba tendo um peso inferior ao dos comissários fixos, já que são três comissários contra apenas um piloto convidado. Giaffone também comparou o trabalho dos comissários ao de "advogados", afirmando que eles trabalham o tempo todo lendo e comparando as ações em pista com o que está escrito no regulamento. Isso fecha exatamente com a ideia acima citada, uma decisão fora de contexto, tomada por pessoas sem conhecimento de causa.

Concluindo: a punição dada à Sebastian Vettel teve seu embasamento errado. Ela foi tomada analisando apenas a ótica dos fatos, levando em conta a ação que Seb tomou e a consequência prevista no regulamento. Faltou entendimento do assunto e bom senso para que os comissários notassem as intenções do piloto e não o punissem por algo que ele jamais tentou cometer.

Na noite desse domingo, a Ferrari comunicou que vai recorrer da decisão, e não se pode descartar qualquer reviravolta nos tribunais. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos, a corrida ainda não terminou para os ferraristas...

Depois de tomar conhecimento da punição, Vettel até tentou forçar mais o rendimento para descontar os 5 segundos, mas todo o esforço foi inútil. Lewis era forte demais para perder tanto contato, e conseguiu levar a distância tranquilamente até a linha de meta. Na nona posição, cabe certo destaque ao canadense Lance Stroll! Depois de mais um sábado decepcionante, o piloto da casa conseguiu encontrar um bom ritmo de prova e se manteve entre os melhores do pelotão intermediário, fazendo uma boa ultrapassagem sobre Carlos Sainz nas últimas voltas, somando dois pontos para o campeonato. Enquanto isso, decepção do lado da McLaren, que mais uma vez mostrou bom ritmo com ambos os carros, mas teve azar com Norris e uma estratégia que deixou Sainz sem pneus no final a corrida. Oportunidade perdida pelos Laranjas...

A punição para Vettel no GP do Canadá foi justa?
Foto: Reprodução/Globoesporte.com
No final, Vettel foi o primeiro a cruzar a linha mas Lewis Hamilton foi quem comemorou, faturando sua quinta vitória em sete corridas nessa temporada! Leclerc completou em terceiro, enquanto o alemão saia furioso de sua Ferrari em busca da sala dos comissários para tirar satisfações!
Vettel ameaçou nem comparecer ao pódio, e quando se dirigia até ele, trocou as placas que simbolizavam as posições finais da corrida no Parc Fermé. Um gesto simples, de repercussão gigantesca e que demonstrou perfeitamente a insatisfação dele e de milhões de fãs de automobilismo ao redor do mundo.
De maneira nenhuma Vettel foi mal educado ou desrespeitoso após o ocorrido. Muito pelo contrário, o alemão inclusive pediu para a torcida poupar Hamilton das vaias, sabendo que o inglês é o menos culpado de toda a situação. Uma atitude segura, de um tetracampeão mundial que soube medir as palavras e evitar uma atitude ruim para a imagem do esporte. Dentro do possível, Vettel demonstrou o seu descontentamento sem sujar a sua imagem. Bola dentro de Seb!

Depois do resultado de hoje, Hamilton aumenta ainda mais sua vantagem no mundial de pilotos! A diferença agora é de 29 pontos (162 a 133) sobre Valtteri Bottas. Ainda em terceiro aparece Sebastian Vettel, com 100 pontos ganhos. Verstappen com 88 e Leclerc com 72 completam o top 5.

Nos construtores, a Mercedes lidera com 295 pontos ganhos contra 172 da Ferrari. Se os italianos não conseguem se aproximar dos alemães, ao menos conseguiram ampliar a vantagem da Red Bull, que aparece com apenas 24 pontos ganhos. Mais atrás, a Renault deu um salto de três posições, dobrando a sua pontuação e chegando a marca de 28 pontos, colando na quarta colocada McLaren, com 30 pontos ganhos.

Confira a classificação do GP do Canadá:

Resultado final do GP do Canadá — Foto: Reprodução

Por hoje é só pessoal! Voltamos daqui a duas semanas com o Grande Prêmio da França. Abraços e até lá!!

Nenhum comentário