Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor CORINTHIANS - Um jogo que provou que podemos muito mais

Foto: GazetaPress (Sérgio Barzaghi)

Amigos e Nação Corinthiana! Claro que viemos aqui com tristeza pela eliminação na noite desta terça (4) no Maraca ante o Mengo, onde apesar de uma estupenda atuação de praticamente todo o time, mais uma vez o time carioca venceu por 1 x 0 e avançou na Copa do Brasil. Mas entendemos que vale a pena ressaltar a grandíssima atuação da equipe, que por detalhes não se classificou no tempo normal ou mesmo levar para os penais. Cabe sim observar alguns pequenos erros (no meu entendimento, claro) de Carille, mas não com aquele olhar escroto de quem "entende" que é mais torcedor que o outro só pela crítica e sim para OLHAR PRA FRENTE e manter o padrão e acertar ainda mais no futuro. 


O mais legal é que o time já começou com tudo, assustando o Fla, inicialmente com uma marcação pressão muito forte, que não deixava o adversário respirar, sair pro jogo, qualquer um do rubro-negro que pegasse na bola tinha um do Timão em cima e isso fez com que logo o Corinthians começasse a pressionar pra valer o adversário e assustar nas ações ofensivas. Foi muito interessante ver como quase todo mundo estava ligado e funcionava, até Clayson que não vinha bem nas últimas partidas, muito pela necessidade, o lado esquerdo foi bastante explorado com a dobradinha do camisa 25 com Avelar. Visto que Michel era pelo outro lado o ponto destoante do time. 

Essa pressão intensa durou até mais ou menos os 30 minutos, com muitas possibilidades na bola parada, Sornoza exigiu grandes defesas de Diego Alves e a grande chance do jogo foi com Ralf pegando rebote da bola parada e num foguetaço parando no travessão, parecia que o gol sairia a qualquer momento. Porém, o adversário começou a espelhar essa estratégia de marcação pressão, criando muitas dificuldades em nossa saída de bola com Henrique e Manoel. Com isso o Fla acabou diminuindo a pressão que sofria e até criando algumas possibilidades, ou seja, quando o Flamengo igualou na raça, a técnica deles começou a incomodar, o que é natural, tecnicamente é um time muito interessante. O cenário então a ida para o intervalo era de um grande jogo, agora bem jogado pelas duas equipes, já não era um jogo "só do Corinthians" como no começo. Mas o Corinthians ainda era melhor no jogo e viria pra tentar decidir na etapa final. 


Na etapa final novamente o time ficou no quase, desta vez com Love parando em Diego Alves. Depois disso o Flamengo passou a tentar controlar a posse de forma um pouco mais inteligente. Foi aí que Carille foi para o desespero nas alterações e aí sim vai minha crítica construtiva, eu teria feito mexidas diferentes. 

Quando Carille tirou Sornoza pra colocar Gustavo, eu teria tirado Jadson, que apareceu pouco pro jogo. O equatoriano dava muito mais ritmo ao time, tinha muito mais dinamismo dentro da partida que o camisa 10, a impressão é que o gol marcado por ele na Venezuela fez muito bem pra ele (ao menos aquele passeio fez bem pra alguém), fez com que ele ganhasse confiança e isso se refletiu na atuação pelos 65 minutos em que esteve em campo. Fora que com os dois ali juntos na meia, Sornoza tomou conta e Jadson ficou um tanto "sem função", ficou claro que os dois não podem jogar juntos, que é mais útil ter dois jogadores de lado que rompam as linhas defensivas adversárias. 

O problema é que como Sánchez HUMILHOU Romero, o time NÃO TEM outro cara assim por enquanto no elenco na ausência de Pedrinho. O Everaldo pode vir a ser esse cara mas não está disponível, Régis era o único jogador agudo, mas ainda assim joga também como Everaldo pela esquerda ou centralizado, essa lacuna do paraguaio não tem substituição adequada, ao menos até Pedrinho voltar. 

Talvez Carille estivesse pensando nos penais e por isso não tirou Jadson, mas era preciso fazer o gol para levar para os pênaltis. Nesse sentido ele errou novamente ao tirar Urso na entrada de Boselli. Urso deu continuidade em todas as jogadas e na lentidão que havia de Jadson, desde o primeiro tempo foi ele que caiu pela direita pra tentar dar mais velocidade, com isso Sornoza e Jadson ficaram centralizados. Sem Urso, o Corinthians perdeu a opção de ataque pelo lado direito. O time ficou com três centroavantes que não eram municiados, por isso ainda que o argentino tenha entrado lutando, perto do gol que era o lugar deles, pouco apareceram, o time ficou na dependência de tentar alçar a bola na área e contar com uma casquinha de Gustavo para Love ou Boselli que não rolou.

Infelizmente o Corinthians mais uma vez foi vítima da própria linha, da bola parada que é tantas vezes arma ofensiva e que quase decidiu a favor neste jogo. A defesa inteira saiu, Avelar não e CORRETAMENTE o VAR apontou a posição legal de Rodrigo Caio, para acabar com o sonho. Na saída Boselli quase renovou as esperanças do meio-campo, mas Diego Alves estava nela, penso até ter sido escanteio. Depois disso o Mengo segurou a bola na ponta em vários escanteios e o jogo caminhou pro fim com derrota, mas uma derrota muito honrosa e que mostra o caminho que o time tem de seguir no futuro. 


Em síntese, diante das observações que fiz sobre as mexidas e sobre a falta de pontas no elenco, foi muito bonito ver a luta da equipe e ver o potencial que ela tem, a capacidade SIM que ela tem de ser protagonista do jogo, mesmo em grandes duelos, contra adversários muito qualificados. Como aconteceu nos dois primeiros duelos ante o Santos, na fase inicial do Paulista e depois na partida de ida das semi. Além de jogos onde tínhamos a obrigação de protagonizar, como na decisiva ante a Chape e depois de tomar aqueles dois gols ante o Avenida. 

Mas esta foi de longe a grande atuação do time no ano, ainda que quem só olhe pra resultado sem olhar desempenho, vá criticar. Feitos os ajustes sugeridos (ou não, Carille sabe o que faz) é esse o padrão que devemos adotar, sobretudo em casa. Claro que seria tolo crer que o time vá se jogar todo jogo pra cima com tanta intensidade como nesse jogo, se perdesse esse estaria fora. Mas principalmente em casa no Brasileiro, há que imprimir esse ritmo inicial forte até abrir vantagem e depois trabalhar a bola com qualidade, se o time seguir com esse pensamento na competição por pontos corridos, soma pontos suficientes pra sim, disputar o título, se regredir ao padrão onde é coadjuvante do jogo, aí vai voltar a merecer as críticas que vinha aqui fazendo. 



Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas, dê sua opinião que é fundamental, seu like e divulgue para os amigos! Acompanhe nesta sexta às 17h o "JC Esportes", com os destaques da semana.


Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 



3 comentários:

  1. Sem comentários ESSE é VERDADEIRO CORINTIANO....
    GRANDE JOGO FIQUEI MUITO TRISTE MAS É A VIDA NEM SEMPRE NUM ANO SE GANHA TODOS OS TÍTULOS...TEM TIME GRANDE PEQUENOS MÉDIOS...
    MAS GANHA UM TÍTULO CADA ANO JA BASTA ASSIM PELO MENOS FAZ AGENTE ACREDITAR TEM MUITA COISAS BOAS PELA FRENTE ..
    VAI CORINTHIANS VAI TIMÃO ATÉ A MORTE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado. É isso, se o time não tivesse lutado, não tivesse agredido o Mengo aí sim a conversa seria diferente, mas o time fez tudo o que podia.

      E outra, a jogar esse futebol luta pelo Brasileiro e é favorito na Sula, o adversário mais difícil já eliminamos, o campeão argentino Racing.

      Excluir
    2. Deixa seu nome e de onde tu é aí depois, valeu amigo!

      Excluir