Banner 1

JC Agora

Taça de Portugal - Renan Ribeiro é herói mais uma vez, 17 vezes Sporting!


Amigos e adeptos! Estamos juntos a partir do Brasil para o último jogo da época em Portugal, onde Sporting e Porto entraram em combate no duelo 234 entre as equipes, para decidirem o título da Taça de Portugal. No confronto os Dragões levam vantagem por duas vitórias, 84 a 82. Porém, se analisarmos que são 14 confrontos com campo neutro, como este que é disputado no Estádio Nacional do Jamor, em Oeiras, aí a vantagem ao apito inicial é dos Leões, com seis vitórias contra duas do rival. Na competição o equilíbrio é total, com 14 vitórias para o Porto contra 13 do Sporting e em finais, dois triunfos para cada equipe. Por fim neste resumo, ao apito inicial temos 16 títulos para cada equipe na competição, ou seja, grande equilíbrio no confronto.

E foi um grande jogo, com muitas alternativas, equilíbrio na primeira parte, posteriormente um Porto melhor fisicamente na parte final, mas que sofreu um gol "achado" por Dost que veio do banco, após falha de Felipe, que depois viria a ser herói no último lance do jogo, 2 x 2 no tempo normal, mas nos pênaltis assim como na Taça da Liga/Allianz Cup, mais uma vez o renegado e até mesmo desrespeitado no São Paulo FC, o guarda-redes Renan Ribeiro mostrou toda sua qualidade e foi o herói da segunda conquista do Sporting na época ao defender a cobrança final e decretar o 5 x 4 nos pênaltis, Sporting a vencer as duas taças, algo que poucos imaginavam depois de tudo que a equipe viveu na época passada.


O Porto começou o jogo ligeiramente melhor e teve um gol anulado de Marega com o auxílio do VAR, que corretamente percebeu o impedimento (fora de jogo) no lance. Porém os dragões seguiram atuando melhor e aos 41 chegaram ao gol com Tiquinho Soares, o Brasileiro que aproveitou o cruzamento do mexicano Hector Herrera, Soares comemorou o gol com homenagem a Casillas, que estava na torcida e se emocionou. Lance analisado através do VAR e gol confirmado mesmo com polêmica.

Depois de sofrer o gol o Sporting acordou na partida e na segunda investida ofensiva, aos 45 minutos igualou o duelo. Acuña encontrou Bruno Fernandes na entrada da área e a seu estilo, o capitão finalizou para vencer o guarda-redes Brasileiro Vaná. Igualando assim o confronto antes do intervalo.


Na parte final o Porto elevou a recarga ofensiva e com o passar dos minutos percebia-se que o aspecto físico da equipe sportinguista era pior que o dos adversários. Assistiríamos um elevar da pressão portista conforme os minutos se passariam. Porém, Renan Ribeiro já fazia grandes intervenções quando exigido, bem como os defensores também o protegiam muito bem. Até mesmo Dost, que é sempre lembrado como homem dos gols, tinha um papel defensivo interessante. Com isto, após grande volume de jogo da equipe de Sérgio Conceição, o jogo foi para a prorrogação.


O artilheiro que agora (inacreditavelmente) vem do banco no Sporting, fez o improvável gol da vantagem no marcador naquela altura. Cruzamento da zona intermediária de Acuña, o desvio de joelhos do ex-Corinthians Felipe que atrapalhou a defesa e a bola chegou na segunda baliza até Dost que mergulhou para a festa dos torcedores do Sporting.

Depois disso uma pressão desesperada do Porto que parecia ficar mais nervoso a cada minuto, ficava difícil crer que o Porto ainda faria o gol, mas fez, no último lance, em um enredo quer só o futebol pode proporcionar. Hernani ganhou pela esquerda e cruzou, Adrian López desviou para dentro e ele, que havia falhado no gol, Felipe ganhou de cabeça e igualou o placar no último lance. Naquela altura Sérgio Conceição imaginava que seria seu o título, se decepcionou aos pênaltis.


Na série regular, cobranças perfeitas exceção feita a Dost e Pepe que acertaram a baliza e 4 x 4. Nas alternadas, Renan Ribeiro voltou a brilhar assim como na Taça da Liga/Allianz Cup e defendeu espetacularmente o pênalti bem batido pelo Brasileiro Fernando revelado pelo São Caetano e coube a outro Brasileiro, Luiz Phellype, revelado pelo Desportivo Brasil, que ousou tomar a posição de Dost, converter e garantir a linda festa sportinguista, regada ao choro decepcionado dos portistas.


Uma vitória que coroa uma temporada maravilhosa para o treinador holandês Marcel Keizer, que chegou a meio da temporada após a demissão de José Peseiro e o trabalho do grupo de jogadores, que ousaram continuar no projeto, acreditando que fatos como os da temporada passada não mais ocorreriam, atletas que ficaram e novos que chegaram acreditando no projeto e foram muito bem treinador por Keizer, que conseguiu resultados imediatos e uma época maravilhosa, com duas conquistas de Taças, ante um Porto fortíssimo, com um grande elenco, um grande técnico e um orçamento maior.


Em tempo, há que parabenizar também Sérgio Conceição e o trabalho desenvolvido pela sua equipe. Que teve uma grande época na liga e chegou as duas decisões de taças, sendo nas duas derrotado na marca do pênalti pelo Sporting, com protagonismo de Renan Ribeiro. O narrador da RTP a meu ver foi infeliz ao dizer que: "É pouco para um técnico do Porto somente o título da Supertaça", claro que o torcedor portista está acostumado aos títulos e esperava ao menos uma conquista na temporada, mas o time lutou até o final nas três frentes nacionais demonstrando um futebol de muita qualidade, portanto, o trabalho de Conceição e do grupo de jogadores não pode ser diminuído desta forma. Temos de parar de analisar o desempenho das equipes somente pelos números, que são frios, mas analisar prioritariamente pelo desempenho técnico que entregam em campo e nisto o Porto esteve longe de ser decepcionante e certamente o adepto há de reconhecer isto.


É isto, diretamente do Brasil eu deixo a todos do Sporting "Aquele Abraço" como diria Gil e festejem sem moderação. Aos adeptos do Porto, cabeça erguida, competiram em altíssimo nível.




Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e saiba tudo que acontece no Brasil sob a ótica popular.

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 



Imagens: Zerozero.pt




Nenhum comentário