Banner 1

JC Agora

Liga Portugal - Em uma segunda parte de temporada histórica, Benfica ergueu seu 37º título


Amigos e adeptos! Voltamos a estar juntos diretamente do Brasil, para falar sobre o encerramento desta época da Liga Portugal, com a confirmação do cenário que estava a se configurar nas últimas jornadas, a 37ª conquista do Benfica do campeonato nacional, após a vitória na Luz por 4 x 1 ante o Santa Clara no último sábado, o que fez com que a vitória do Porto por 2 x 1 no clássico ante o Sporting fosse insuficiente para os Drsgões alcançarem o título.


Foi uma época que teve uma enorme revirada benfiquista, se olharmos para tudo que a equipe passou na primeira metade da temporada, que teve como consequência após um início irregular de campeonato e um desempenho pífio na UEFA Champions League, a queda do multicampeão Rui Vitória, para que assumisse o comando da equipe Bruno Lage e reorganizasse a equipe com várias mudanças.

Com Lage o talento de João Felix e Rafa Silva floresceu. O esquecido Seferovic se tornou protagonista da equipe, suprindo um momento difícil onde Jonas, o grande nome encarnado, esteve afastado por lesão. Enfim, este foi um Benfica, com novo comando, que muito rapidamente soube se reinventar, reorganizar, readaptar, trouxe novas alternativas, alternativas estas inclusive que estavam no elenco há tempos, como o próprio Taarabt, que foi recolocado em prova por Lage, enfim, esta conquista, que veio com a melhor segunda metade de campeonato da história, pode ser o marco do início de uma caminhada absolutamente vitoriosa para Lage, no comando da equipe, ao menos é o que espera o adepto e indícios de que será isto a ocorrer não faltam.


Todas as homenagens também se fazem merecidas a Jonas, um dos maiores ídolos da história benfiquista, o Brasileiro deve deixar a equipe agora ao final desta época e provavelmente o futebol, por conta de dores crônicas nas costas, que podem fazê-lo abreviar sua carreira.

Sim, Jonas deu muito ao Benfica, mas também recebeu muito de volta. De coadjuvante no futebol de sua terra natal, o Brasil, para grande ídolo do clube mais vezes campeão Português. De frustrado pelo pouco espaço na seleção de seu país natal, a ser quase uma unanimidade para os portugueses, inclusive os rivais. O casório entre o camisa 10 e o uniforme vermelho do Benfica foi perfeito e certamente deixa belas marcas nos corações de todos, do próprio jogador, dos adeptos e dos que trabalham pelo clube, é o provável fim de uma bela carreira. Jonas tem contrato até o final da próxima época, mas pelo respeito que tem dentro do clube, está livre para durante o descanso de final de época, decidir se conseguirá ou não cumpri-lo. Que a decisão seja a melhor para o bem-estar do jogador.


Porto vice-campeão e as provocações

Apesar da provocação ao lado, é preciso valorizar o grande trabalho de Sérgio Conceição e a campanha do Porto. Foi uma equipe de muita regularidade ao longo de toda a competição. Sim, houveram os tropeços que fizeram com que os odiados rivais do Benfica assumissem a liderança na jornada 24 e dali em diante não deixassem mais a liderança. Mas é certo que o trabalho foi muito bem feito e a ver que equipe terá o Porto para a próxima época, visto que há muitas incertezas, tanto em relação ao elenco, como em relação ao próprio treinador, que irá confirmar a permanência ou não na equipe após a decisão da Taça de Portugal neste sábado, contra o mesmo Sporting do encerramento da liga na vitória por 2 x 1 e da derrota nos pênaltis na decisão da Taça da Liga/Allianz Cup, quando o ex-são-paulino Renan Ribeiro foi o herói. O fato é que o máximo de manutenções possíveis é o ideal para que a equipe siga bem encaminhada.

Fala -se bastante em Portugal do interesse portista na dupla gremista Luan e Everton e que o negócio seria mais possível em relação ao primeiro, visto que os valores da negociação seriam entraves que dificultariam a missão por trazer o segundo. Vamos aguardar como estas negociações acontecerão.

Sporting arrancou com consistência na reta final para superar o Braga

Depois daquele episódio horrendo em que (tudo indica que) a mando de Bruno de Carvalho, invasores "adeptos" agrediram o à época treinador da equipe Jorge Jesus e importantes jogadores do elenco, gerando enormes problemas no clube, saída de jogadores importantes, dentre estes o maior ídolo dos últimos anos no clube, Rui Patrício, a equipe chegou sendo alvo de grandes dúvidas para esta época, mas conseguiu as dissipar bem.

O Sporting iniciou a época sob o comando de José Peseiro e ainda vinha com uma natural instabilidade após toda a reconstrução do grupo e tudo que este havia passado, estava inclusive bem na fase de grupos da UEFA Europa League àquela altura. Mas após derrota ante o Estoril e pressões externas, optou-se por demitir o treinador e posteriormente chegou o holandês Marcel Keizer. 

Mesmo sob um olhar de desconfiança de muitos adeptos, Keizer conseguiu realizar um grande trabalho, que levou a equipe à conquista da Taça da Liga/Allianz Cup, conquista esta que como já dito acima, teve como protagonista o rejeitado no São Paulo FC, guarda-redes Renan Ribeiro, que se no Brasil não teve tempo hábil para provar que poderia substituir um ídolo como Rogério Ceni, no Sporting desbancou o experiente italiano Emiliano Viviano e o francês Romain Salin na disputa pela posição e fez grandes partidas com o uniforme dos Leões que provaram que sim, Rui era substituível.

A equipe se viu numa disputa forte pela terceira posição com o emergente Braga, mas muito mais regular, conseguiu uma grande sequência de resultados nas jornadas finais e deixar para trás por muito os comandados de Abel Ferreira, garantindo assim a vaga direta para a fase de grupos da Europa League, o que é muito importante visto que a tendência é de confrontos duríssimos nas fases eliminatórias. A ver dentro de todas as incertezas de fim de época, como a equipe chega para enfrentar um Porto, que apesar da decepção de ter perdido o título e da falta de aceitação dos adeptos que se autoproclamam campeões, garante estar focado na decisão da Taça neste sábado.

Braga e Vitória de Guimarães na Europa League e o curioso "caso Moreirense"

Nas fases preliminares da UEFA Europa League estarão Braga e Vitória de Guimarães. 

Não seríamos honestos se disséssemos que este Braga nos surpreende, o trabalho é muito bem desenvolvido. Com um orçamento muito menor que o das três principais equipes, o Braga faz campanhas cada vez mais parecidas. Até a metade da época, se vislumbrava que a equipe de Abel Ferreira pudesse sim brigar pelo título, foram decisivas derrotas em confrontos diretos e um elenco que naturalmente tem menos opções, acabaram sendo decisivos para a notável "perda de fôlego" da equipe nas jornadas finais. Muitas incertezas no Braga, pode ser que o jovem Abel, comandante de grandes momentos à frente da equipe, busque novos desafios. Dyego Sousa, o Brasileiro naturalizado português que viveu enorme temporada não deve ficar, rechaça a ideia de ir para rivais locais, mas vê com prazer a ideia de ir para a Premier League, por outro lado, Hassan pode estar de volta. O que desejamos afinal é que o Braga siga competitivo, afinal, quanto mais equipes competitivas, mais forte será o futebol português. 

O Vitória de Guimarães foi competente em chegar na quinta posição e com isso garantir vaga na segunda preliminar da Europa League, porém a missão poderia ter sido muito mais difícil. O Moreirense fez uma campanha absolutamente histórica na competição, chegando ao ponto de na jornada final, ter um confronto direto que poderia garantir à equipe a quinta posição, que poderia dar a vaga para a Europa League. Mas a diretoria da SAD, não acreditando que a equipe pudesse ir tão longe, não conseguiu fazer a inscrição do Moreirense junto à UEFA e com isso, mesmo que chegasse na quinta posição, a vaga seria da equipe do Vitória, um tanto bizarro. 

Esta "bizarrice" acabou sendo determinante, ainda que Ivo Vieira negue, para que o comandante devido ao desgaste junto á direção, resolvesse não permanecer para a próxima época. Estão o comandante e os jogadores portanto, muito mais "de parabéns" pela melhor época da história do clube, que os dirigentes.


Promoção e Despromoção e o "caso Gil Vicente"

Com uma campanha irrepreensível de 74 pontos, o Paços Ferreira conquistou o título da II Liga/LigaPro. Na segunda posição ficou o Famalicão, que desbancou o time de dono Brasileiro do Estoril para garantir o acesso. Nesta época tivemos três promovidos e três a cair, graças ao caso jurídico do Gil Vicente, que volta a Primeira Liga após um processo que se estendeu por mais de 13 anos, onde a equipe na época foi despromovida por conta da escalação irregular de Mateus (hoje no Boavista) e obteve ganho de causa para ser readmitida na elite há três anos e agora, foi respeitada a decisão.

A questão é que muita coisa mudou desde então. Hoje o Gil Vicente é uma equipe de terceira liga, onde nela ficou apenas na terceira posição, ou seja, em tese, não subiria para a II Liga, claro, alguém pode dizer que a equipe "tirou o pé" na reta final por já ter decisão a seu favor, mas não é isto que os resultados dizem. A equipe financeiramente está muito abaixo e com isto, não vemos reforços que podemos dizer que são de primeira divisão. A ver como se comportarão nesta difícil missão na elite. A equipe terá no seu comando o treinador campeão com o Paços Ferreira, Vitor Oliveira, o que pode servir de esperança. O Famalicão que sobe também não terá o treinador que conseguiu a façanha, com sete vitórias consecutivas a desbancar o Estoril, Carlos Pinto, que deve assumir o Penafiel, enquanto João Pedro Sousa, auxiliar de Marco Silva no Everton, deve assumir a equipe na elite.

Feirense, Nacional e Desportivo Chaves desceram a segunda liga, este Chaves que terminou na antepenúltima posição e poderia ter se salvado no confronto direto na jornada final ante o Tondela, mas os donos da casa venceram em grande estilo e comemoraram muito a permanência na elite do futebol português.


Como observação final, cabe dizer que é uma grande satisfação cobrir, como faço já pela segunda época neste site, a Liga Portugal, seguirei a cobrindo com grande alegria. Mas, cabe um conselho aos adeptos sem querer ser pretensioso. Procurem parar de a todo momento colocar a liga e o futebol português em xeque falando de supostos meticulosos "esquemas" para favorecerem um ou outro. E não entendam esta como uma provocação a equipe P, S ou B. O Porto é o reclamante da vez, sim. Mas fosse o Benfica a perder o título diriam o mesmo, bem como é comum ver adeptos do Sporting a se referirem da mesma forma em relação aos dois. O acompanhamento do campeonato fica maçante com tantas discussões que não são desportivas, com tantas conspirações. Se o adepto crê honestamente que é tudo armado, eis um caminho para abandonar o desporto. 

Classificação final


Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e saiba tudo que acontece no Brasil sob a ótica popular.

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 



Imagens: zerozero.pt, Sport TV (Reprodução), Kapta+ e FCTables (Tabela)



Nenhum comentário