Banner 1

JC Agora

Verso Jovem #4 - Eu tenho (o que preciso)

Olá pessoal! Voltamos hoje com o Verso Jovem, e dessa vez, proponho a vocês uma reflexão ainda mais profunda sobre essa grande caminhada que é a vida. Nós possuímos uma porção de coisas, porém será que temos aquilo que de fato nos importa? Fomos alimentados desde crianças com o sonho da sociedade, mas será que precisamos assimilar tudo o que nossas referências nos dizem?



Em todo lugar que frequentamos no nosso período de pré-adultos, uma filosofia impera: crescer, se tornar independente e ganhar muito dinheiro. Desde sempre, o ser humano é ensinado que esse é o caminho mais curto para a tão sonhada felicidade e realização pessoal. E de fato, algumas pessoas parecem se encontrar nele, trilhando "jornadas gloriosas"e deixando pra trás sonhos e noites de sono para alcançar o sucesso.

Tudo bem, se você acredita que faz o certo, pois siga fazendo! Agora, por que essa cultura precisa imposta a todo mundo?

Atualmente, há muitos filmes, livros ou qualquer outro produto comercial que costumam contar a história de pessoas que quebraram um paradigma, que deixaram de seguir o pré-determinado para trilharem seu próprio caminho. Nós, as marionetes da sociedade, olhamos tudo sentados em nossos sofás e batemos palmas para a história de sucesso. Nós, como semelhantes à qualquer outro humano na face da terra, escolhemos nos subordinar, ficar do lado mais fácil e fazer o que todos fazem (que é bater palmas), ao invés de mantermos nossa essência e lutar pelo que acreditamos.

Nos filmes, tudo parece tão fácil. Em duas horas, o protagonista saiu de criança de periferia a herói reconhecido pela sociedade. A realidade é mais dura. Talvez seus pais duvidem no inicio e não apoiem seus sonhos; talvez aquela oportunidade de mostrar seu talento não surja tão rápido. É fato: você não pode pular os dias como nos filmes. Mas você pode resistir, lutar pelo que provoca o seu sorriso! Cada um tem seu conceito se vitória, procure o seu e seja feliz!

Por fim, deixo o meu desabafo em forma de poema, ilustrando de outra forma a reflexão proposta no texto que você acabou de ler. São tempos difíceis, talvez pra todos. Mas ainda podemos escolher qual caminho seguir. Pare, respire e reflita: talvez a vitória que você tanto procura pode estar dentro de você mesmo!

Eu tenho (o que preciso)

Será que agora você me entende?
É sábado à noite,
A cabeça pede a foice,
A alma se desespera,
Com pensamentos se flagela
E o coração segue sem rumo,
Sem saber o que é o mundo.

Quando digo
Que o sistema
Se alimenta
De quebrar sonhos
É porque uns tantos
Já foram meus,
E a sua dor
Nunca passou.

Vem,
Vamos sentar um pouco.
Olhar as estrelas,
Rir igual cachorro.

"Não posso,
Tenho trabalho,
Amanhã trabalho
E faço bico no feriado".

É triste
Que com tantas coisas lindas
Tu só procure a graninha
Que um dia acaba,
Mas te faz refém
Até depois do além!

Eu posso sofrer,
Mas sofro por viver.
Não vivo a mentira
Que contou minha tia,
Esperando que eu virasse
Caçador do verbo ter.


Nenhum comentário