Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Eleições do Clube, eu sou Chapa 10

Olá leitoras e leitores do Papo de Torcedor Inter, aqui no Jovens Cronistas. Eu Mario Magalhães, nesta semana, decidi abordar o tema das eleições do Sport Clube Internacional, que no próximo sábado (8/12), terá eleições, para o Conselho de Gestão do Clube e para a renovação de 150 cadeiras do Conselho Deliberativo, onde eu estarei concorrendo a uma delas, pela Chapa 10, a Chapa Clube sem Barreiras.


A Chapa 10 - Clube sem Barreiras, é formada pelos movimentos Acorda Conselho, Sócio Deliberativo e Sócio Independente Colorado, a SIC, do qual faço parte. Temos como nossas principais bandeiras a transparência, a legalidade, o tratamento igualitário aos sócios do clube e a cláusula 0 para as eleições do Conselho Deliberativo, pois atualmente existe uma cláusula de 15% dos votos válidos, para que uma Chapa consiga entrar no conselho .

Somos o único movimento, que não possui qualquer vínculo a qualquer das gestões dos últimos anos. Buscamos fiscalizar as ações do clube, independente de quem venha a ser a gestão. Somos um movimento de oposição, mas não é apenas opor por se opor, seremos favoráveis as ações da gestão benéficas ao clube, mas combateremos as ações prejudiciais ao Internacional.

Claro que os outros movimentos também podem vir a defender nossos mesmo ideais, mas estes já se encontram no conselho deliberativo e não colocam em prática tais ações, deixando-as apenas na esfera do discurso. Digo isso pois os outros três movimentos, participantes deste pleito, na última eleição, em 2016, elegeram em para as 150 cadeiras seus representantes, onde a atual Chapa 1 conta com 71 conselheiros, a Chapa 2 com 36 conselheiros e a Chapa 4 com 43. 

Ou seja se estas mesmas 3 Chapas elegerem conselheiros e a Chapas 10 não, o Conselho Deliberativo do Internacional se resumirá apenas a três grupos, onde um é a gestão, o outro deixou a gestão às portas da eleição e o terceiro é uma oposição, que sabemos que é uma ruptura da gestão, onde todos rezam a mesma cartilha carvalhista (refiro-me aqui a Fernando Carvalho).

Eleições do Conselho de Gestão

Em 8 de novembro, tivemos o primeiro turno das eleições para o conselho de gestão. 271 conselheiros, o que é vergonho, pois temos 344 conselheiros no clube, ou seja, 73 conselheiros, simplesmente não apareceram para votar. 

Foto: Ricardo Duarte /SCI

A Chapa 1 - Paixão Trabalho e Resultados tem Marcelo Medeiros como candidato a presidente, que tentará a reeleição e conta com os nomes de João Patrício Herrmann, Alexandre Chaves Barcellos, Humberto Busnello e José de Medeiros Pacheco como vice-presidentes, para o conselho de gestão, obteve 178 votos (70,63%).

Medeiros é integrante do Movimento Inter Grande (MIG), é advogado e tem 58 anos, vem em sua terceira eleição, após ser derrotado em 2014 e vencer em 2016. Sócio desde 1963 e conselheiro desde 1988. É filho, sobrinho e neto de ex-presidentes (Gilberto Medeiros, Marcelo Feijó e Afonso Paulo Feijó, respectivamente). 

As premissas da Chapa 1 são a continuidade do trabalho atual, projetando uma gestão mais ambiciosa em função dos bons resultados de campo obtidos, especialmente no Brasileirão em 2018, pois esta gestão nos últimos dois anos, não ganhou sequer o campeonato gaúcho. Mas espera com a continuidade, buscar conquistar títulos. 

Foto: Ricardo Duarte /SCI

A Chapa 2 - O Inter que queremos tem Luciano Davi, como candidato a presidente, e conta com os nomes de Dannie Dubin, José Amarante, Roberto Siegmann e Guilherme Osório para o conselho de gestão, obteve 74 votos (29,37%). 

Luciano Davi, é integrante do Inove Inter, é empresário tem 52 anos e disputa pela primeira vez a presidência do clube. Em 2012, atuou como vice de futebol da gestão de Giovanni Luigi. Sócio desde 1999, e conselheiro desde 2001. Davi é dissidente do MIG, desta forma, diria que reza da mesma cartilha do que Medeiros.

Entre suas premissas, a Chapa 2 busca mudar a cultura de pensamento do clube com relação ao modelo presidencialista. Buscando uma gestão compartilhada através do Conselho de Gestão, dividindo as decisões. 

Também tivemos nove nulos, 10 brancos, além das 73 ausências. Como para que o presidente seja eleito em 1° turno, são necessários 85% dos votos válidos, teremos a eleição do Conselho de Gestão, no próximo sábado, dia 8. Os sócios do clube poderão votar de três formas, pela internet, através do site do clube, por aplicativo do clube, em seu celular e presencialmente, no Gigantinho. 


Eleições do Conselho Deliberativo

Conforme já havia adiantado, teremos 4 chapas a disputa do pleito, destas 3 já possuem conselheiros eleitos em 2016. A Chapa 1 com 71 conselheiros, a Chapa 2 com 36 conselheiros e a Chapa 4 com 43. Portanto a Chapa 10 - Clube sem Barreiras é a única que luta para modificar o atual cenário do conselho deliberativo.

Chapa 1 - Paixão Trabalho e Resultados, conta com 50 conselheiros que tentam reeleição, e possuem 15 conselheiros que foram eleitos pela chapa da gestão Piffero, em 2014, que foi caótica ao clube, culminando com o rebaixamento, além de outros seis que tentaram se eleger em 2016, sem sucesso, que eram atrelados a Piffero.

Chapa 2 - Inter que queremos, conta com 20 conselheiros que tentam reeleição e quem possuem 1 conselheiro que foi eleito pela gestão Piffero, em 2014, além de outros 17 que tentaram se eleger em 2016, sem sucesso, que eram atrelados a Piffero.

Chapa 4 - Povo do Clube, estava nesta gestão até abril deste ano, conta com nove conselheiros que buscam reeleição. O movimento tenta se apresentar como um movimento de oposição, mas diria que é a Chapa B da Chapa 1, pois se a Chapa 1 vencer a eleição, os integrantes da Chapa 4, deverão retornar a gestão do clube em 2019.

Chapa 10 - Clube sem Barreiras, conta com nove conselheiros que buscam reeleição, dos movimentos Acorda Conselho e Sócio Deliberativo. Eu faço parte da SIC, que não possui conselheiros, e busca eleger pela primeira vez pessoas ao conselho deliberativo. 

Portanto torcida colorada, atente-se às eleições do próximo sábado (8/12) e peço gentilmente seu voto na Chapa 10 - Clube sem Barreiras, para o Conselho Deliberativo, para que tenhamos pessoas para fiscalizar as ações da gestão, seja ela qual for e não venhamos a ter um Conselho Deliberativo que apenas assiste as decisões, sem questioná-las. 

Nenhum comentário