Banner 1

JC Agora

Verso Jovem #2 - Grito!

Olá pessoas! Voltamos depois de um longo tempo, novamente trazendo um pouco de poesia pra colorir nossos dias. E desta vez, o tema abordado será a resistência! Mas calma, não traremos nada de cunho político, mas sim ideológico.

Como é fácil de notar, vivemos numa era que caminha cada vez mais para a padronização, e isso ocorre nos mais variados aspectos. Há um padrão de vida acadêmica, vida profissional e até mesmo vida amorosa. De maneira geral, a sociedade condiciona nossas vidas sempre para o mesmo caminho, que não me cabe agora discutir se está certo ou errado. Porém, o tema central do post de hoje é: existe apenas esse caminho certo?



Neste mundo com bilhões e bilhões de pessoas, é natural que cada ser humano tenha uma visão de mundo diferente, e consequentemente, encontrará a felicidade em coisas diferentes. Como diria o grande Raul Seixas em 'Meu Amigo Pedro', "cada um de nós é um universo"!

E nesse universo particular de cada ser vivente, há muitas verdades subjetivas, conceitos particulares, criados no decorrer da vida do indivíduo e que muitas vezes são abandonados por não se sustentarem nas vidas padronizadas pela sociedade. É tempo de se libertar dessas amarras! 

Independente da crença religiosa, o fato é que se vive apenas uma vez. Não há tempo para perder obedecendo culturas criadas por estranhos afim de te moldar, e moldar a maneira que você pensa, muitas vezes apenas por interesses próprios. Se existe algo que diferencie os humanos dos robôs é justamente a diversidade, a capacidade de sentir com intensidades diferentes determinados momentos da vida. Deixar que isso seja sacrificado por uma "vida melhor" é deixar que parte do seu ser morra antes do tempo. 

Resista! A tua maior beleza é ser exatamente quem você é. Fiquem com o poema dessa semana:

Grito!

Eu encontrei um lugar
Invisível ao seu olho.
Onde ninguém pode entrar
A menos que sinta meu sonho.

Sinta.
E sinta
Como ninguém.
Viva,
E sorria
Libertando o refém!

"Quem estava aprisionado?"
Era sua própria alma
Presa em sonhos enlatados
Vendidos pela sua sociedade.
Maldita,
Mas nunca,
Nunca infinita.

Segura minha mão,
Esse é o sinal mais puro
Que ilumina nossa escuridão.

Tá frio, eu sei.
Mas juntos
Nós quebramos mais de 100!
E colamos
Os pedacinhos de coração
Que as mentiras deles fizeram.

Segura minha mão!
Eu não vou desistir!
Sadio ou doente,
Fraquejado,
Mas nunca impotente!
Por mim,
Por você,
Ou pela gente!
Nós vamos mudar,
Pra sempre acabar
Com a fábrica de iludir mentes!


Por hoje é isso pessoal! Até a próxima!




Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas! e siga-nos no Insta: @jcronistas


Nenhum comentário