Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor CORINTHIANS - O risco é real


Amigos e Nação Corinthiana! Estamos de volta para infelizmente comentar mais uma derrota do Corinthians neste Brasileirão. O time foi até BH encarar o Cruzeiro, tentando se vingar após a perda da Copa do Brasil, mas desorganizado, sem peças e com mais uma expulsão no final da etapa inicial, acabou saindo derrotado por 1 x 0. O risco que eu tanto rechaço (e sigo crendo que não vamos cair) cresce cada vez mais.


O jogo começou com o Timão tentando partir pra cima e impôr um melhor ritmo, já que o Cruzeiro não tinha força máxima e nem mesmo vontade máxima. Esse maior volume de jogo do Corinthians no início porém era na verdade uma armadilha traçada por Mano e seu auxiliar Lobo, que atraiam o time pra dentro de seu campo para matar no erro, no contragolpe. Isso aconteceu aos 13 minutos, falha da defesa e Fred acionou David em velocidade para tocar na saída de Cássio. 

Nos primeiros minutos após o gol a situação ficou muito difícil, com o Cruzeiro tendo a chance de ampliar e parando em defesas de Cássio. No Corinthians o jogo se resumia a bolas em Pedrinho, que enfim chamava o jogo, o que não acontecia desde a Copa do Brasil. No final do primeiro tempo, talvez um excesso do juiz, mas nada que se possa dizer que é fora da regra, no espaço de um minuto e meio, Douglas deu dois carrinhos, que o juiz entendeu serem para amarelo e o expulsou, prejudicando o time. É diferente de enfiar a mão na cara de um colega, como fez Araos, mas ainda assim foi uma grande irresponsabilidade, que deixou o time em uma situação muito difícil para a etapa final.


Para a etapa final, Ventura com um a menos novamente abdicou de Danilo, que infelizmente já não tem físico, para a entrada de Thiaguinho. O meia entrou muito participativo e junto com Pedrinho foi um grande nome da blitz que o time estabeleceu ante a Raposa nos minutos iniciais. O time criou possibilidades de empatar com Avelar e com o próprio Thiaguinho em uma grande defesa de Fábio, o time estava todo adiantado. Mas este lance de perigo após bola parada fez o time cruzeirense acordar e neutralizar as ações ofensivas do Corinthians, visto que vontade não faltava, mas qualidade quase inexiste.

E assim o jogo foi levado em banho maria pelo time mineiro até o fim. Na última pressão do Corinthians, Vital que inacreditavelmente entrou no lugar de Jadson, parou em Fábio e a ida de Cássio para a área no último lance acabou sendo em vão.


Vejam, o meu papel aqui é analisar da maneira mais racional possível o que se passa no clube, eu não vou dar escândalo, ameaçar ficar nu (com o Frota?), esse tipo de palhaçada, até porque o quadro é textual, nem que eu fosse palhaço de auditório caberia isso. E dito isto, eu tenho sim colocado que Ventura tem feito o que é possível com o elenco que aí está. Quando tu olha pro banco e as opções que têm pra deixar a equipe com maior poder ofensivo são Vital e Clayson, realmente há pouco o que fazer de diferente, fosse quem fosse. Porém não há outro diagnóstico que não seja o de que desta vez o treinador foi mal durante e depois do jogo.

Pedrinho tem sim problemas físicos, poderia estar cansado, digamos que seja compreensível essa mexida por Clayson, apesar deste e o nada darem no mesmo. Agora, na mexida final era bola dentro da área, que vinha aliás faltando desde o começo do jogo, com Danilo agoniado pelo isolamento, saindo da área e cruzando para o Manoel cortar. A última mexida ali era sacar Romero que parou no tempo da boa fase e parece não estar entendendo o que está acontecendo (não falo em falta de vontade, mas de REAÇÃO) e colocar Roger (Desculpem, é o que tem) e bumba-meu-boi. Apesar da chance criada por Vital (uma em meses) sua entrada foi totalmente errada e aí cai a culpa sobre o treinador.

Só que aqui eu não aponto apenas erros, quem aponta erro tem de apontar solução. E solução que se diga: "Nossa, essa é a solução perfeita" NÃO EXISTE neste elenco. Mas algo diferente precisa ser feito. Carlos Augusto está com a seleção Sub-20, é desfalque na decisão contra o Vasco. Mas há mudanças que já podem ser feitas. Pra começar pela defesa eu colocaria Marllon na vaga de Léo Santos, menino guerreiro, esforçado, talentoso, mas Pedro Henrique é tudo isso também e da mesma forma perdeu vaga no time. Thiaguinho tem entrado muito bem, mas tem pouco poder de marcação, é uma escolha, abre-se o time logo no começo e fica-se sem NINGUÉM (considerando que Vital pra mim não é opção) no banco ou escala-se um jogador que vai aumentar a proteção á zaga como Gabriel, com isso soltando mais os laterais? Aí estão duas tentativas de solução, cuja segunda é a minha preferência. No ataque Danilo lamentavelmente não deu certo de início, eu voltaria com Roger ou numa última chance para Jonathas e o deixaria de opção para segundo tempo, na função dele no meio, evitando assim entrada de Vital.


Jair foi muito infeliz na entrevista, quando disse que "pela qualidade" dos jogadores é "impossível" cair. Não é impossível não, claro que internamente ele sabe que a situação apesar de não ser desesperadora como a mídia no afã de audiência coloca, mas é complicada, times abaixo estão buscando a ascensão, conseguindo resultados até então improváveis, e o que está conseguindo o Corinthians? Então, que INTERNAMENTE o discurso seja outro e bem duro, como indica o fato de o time já estar concentrado para o duelo ante o Vasco neste sábado ás 19h na Arena. Sua responsabilidade é infinitamente menor que a de Andrés Navarro Sánchez, que disse ter ido atrás de reforços e NR na Espanha, foi nada, seu sobrenome entrega o que foi fazer (nada contra descendentes, sou um deles), o clube pode pagar um preço muito caro pela SEDE DE PODER de seu grupo, como já dito no texto anterior.

É isso que tem de ficar sempre registrado. Ainda que não caia, é preciso categoricamente dizer que está na hora do comando do clube mudar de grupo político, felizmente a gente já dizia isso na última eleição do clube, a gente sempre soube que Andrés sempre esteve por trás das gestões que o sucederam.


Temos de ser realistas, os duelos fora de casa ante CAP e Grêmio (este que encerra o campeonato) são muito difíceis, tal qual era este ante o Cruzeiro, mesmo com os mineiros relaxados. As decisões são nos dois duelos em casa, ante Vasco e Chape, equipes que tem demonstrado poder de reação dentro da competição nesta reta final. Portanto, é preciso mudar algo pra tentar vencer estes confrontos, as mudanças que proponho são absolutamente necessárias, em nome da sobrevivência da equipe na competição.

Pra finalizar, sobre a foto que ilustra o texto, é necessário registrar o heroísmo de Cássio nesse momento difícil, ele tem se esforçado muito pra manter o time vivo e muitas vezes se percebe a sua revolta, mas uma revolta sadia, uma revolta de um verdadeiro LÍDER no grupo. Não penso que o problema seja raça, um time que joga com nove jogadores dentro do campo adversário buscando o gol não tem falta de raça, isso é ver superficialmente, é dizer qualquer coisa só pra dizer que tem opinião, porém, que esse inconformismo que Cássio tem, seja incorporado por cada jogador que tiver essa grande chance, que é vestir a camisa do Corinthians, nessas últimas quatro partidas no ano.




Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas! e siga-nos no Insta: @jcronistas





Foto: Ag. Corinthians (Daniel Augusto Jr) 



Nenhum comentário