Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor CORINTHIANS - Que fase...


Amigos e Nação Corinthiana! O Corinthians foi neste domingo (21) até Salvador para encarar o Vitória em um confronto direto na parte de baixo da tabela, apesar da atuação em altos e baixos, erros e acertos, o time esteve perto de quebrar o longo tabu do duelo fora de casa, mas vacilou defensivamente no fim, com colaboração da arbitragem e acabou sofrendo o empate em 2 x 2 que mantém o time próximo da zona da degola.


Ventura veio para o jogo sem o centroavante, com um ataque onde era clara a intenção de uma movimentação que alternasse o avante, confundindo assim a defesa, Pedrinho alçado a titularidade ficava fixo na ponta direita e era até pouco acionado por isso, mas Sheik caindo mais pela esquerda assim como Romero e Jadson, faziam essa movimentação na busca de confundir os adversários. O problema é que mais uma vez eles mesmos se confundiram muitas vezes e o time criava muito pouco, pois essa referência que deveria ser transitória estava quase sempre vazia.

O treinador corinthiano foi sim disposto a vencer, tanto é que o time se soltou para o ataque, o problema é que tem de haver compactação. Aquela máxima de quem não entende nada de futebol que: "É um jogo de 22 caras correndo atrás de uma bola" é uma das tantas ignorâncias que se perpetuou neste país. Futebol é estratégia, é ocupação de espaços com inteligência e criatividade, ir pra cima não é se arreganhar todo, quando defensor CORRE ATRÁS de atacante é porque deu m****. E o gol cedo do adversário saiu justamente assim, o time estava todo jogado ao ataque e no contragolpe eles trabalharam bem a bola, até a finalização de Rhayner, no cantinho, eles chegavam mais a frente, justamente porque tinha bem definidas as funções de cada jogador e com isso criavam com facilidade, pois o Corinthians tinha volume, mas não tinha quem definisse.

E seguiu o Corinthians indo pra cima com as dificuldades acima já descritas, mas chegou ao gol em mais uma das tantas tentativas (o time esteve totalmente penso) pela esquerda, na jogada de Romero e Avelar, em que a bola chegou em Jadson para este pegar de primeira, de trivela, no ângulo, golaço espetacular. Na bola parada o Corinthians ainda chegou a virar com Ralf, mas o gol acabou anulado por impedimento no passe para ele de Henrique. 


Na etapa final o cenário começou bom pro Timão, com o time adiantando a marcação e dando trabalho. Porém logo o Vitória reequilibrou as ações e passou a vir pra cima, com o jogo ficando lá e cá, mais lá do que cá. Sheik então deu lugar a Roger para o o Corinthians ter uma referência e o apagado Pedrinho (pois é, no final quero falar sobre) a Clayson. Quem agora atuava pelo contragolpe era o Coringão e Araos entrou, fazendo mais que ciscar, foi dele o passe para a bela infiltração em velocidade de Roger que tocou na saída do goleiro, já nos acréscimos, a vitória parecia garantida, só parecia.

Roger toma a bola do adversário no meio campo e este cai, há um braço ali, mas sequer encostou no jogador adversário, ainda assim o juiz deu falta, a bola foi levantada pra área, NOVAMENTE A DEFESA MARCOU a bola e nas costas de Léo Santos estava o lateral Fabiano, que ajeitou para o bico direito da pequena área onde Neílton encheu o pé para empatar e dar números finais ao jogo. Outro inaceitável erro na bola aérea defensiva, erros que sim, como eu tenho insistentemente colocado aqui, sempre existiram, até nas nossas melhores zagas, mas que são cada vez mais comuns agora com os defensores que temos, isso precisa ser ao menos minorado, afinal, estamos em risco matemático.


Vejam, claro que a escalação não foi perfeita, porque simplesmente NÃO HÁ como fazer uma escalação perfeita com o elenco que temos. Erramos muito no primeiro tempo por não ter uma referência, com isso finalizamos pouco e a pintura de Jadson (que errou tudo na final) acabou salvando essa atuação da etapa inicial. Na etapa final o Vitória impôs sim sofrimento indo pra cima, mas outra pintura, o passe de Araos e a movimentação de Roger deram esperança da vitória, que não veio pelo erro defensivo já citado. A avaliação que se faz é positiva em parte, Ralf jogou muito, até chegando na frente, Douglas avançou bastante e aí Ventura colocou o chileno em seu lugar para dar essa qualidade. Talvez seja o momento de retornar Pedro Henrique, pela insegurança que Léo infelizmente tem demonstrado, apesar do enorme talento que tem.

Sobre o comando de ataque, falta, é imprescindível pra esse esquema ter alguém na frente, Romero sai dali tanto pra fazer as jogadas pela ponta, tanto pra recuar na marcação e puxar o contragolpe, não é ele este cara e nem Sheik que luta muito, mas tecnicamente nada entrega. Tem de ser um dos centroavantes, eu confesso que por conhecer Jonathas do futebol alemão, acreditava muito que iria dar certo, não deu, sentiu o peso da camisa. Talvez tenha de ser Roger mesmo esse cara, que o gol lhe tenha dado confiança. Á propósito, perfeito o que ele disse sobre a arbitragem, qualquer quedinha é falta, isso estimula a simulação, a MALANDRAGEM, como a que gerou a chance e por consequência o empate do Vitória.

Rapidamente sobre Pedrinho, um monte de gente (teve minion que até me xingou) arrebentando com o técnico porque o menino não é titular, que ia "destruir o jogo", como se fosse assim, NÃO É ASSIM. O que ele jogou hoje? Vocês viram ele sair estafado? Ele não é um jogador pra 90 minutos, ele é um graveto, tem problemas físicos. Ele rende muito mais como nos jogos da Copa do Brasil, entrando no terço final das partidas, pegando defesa cansada, chamando o jogo. Ele é um cara pra mudar panorama de jogo num momento de pressão. Até taticamente tu perde, pois o time apoia com os laterais e fica um espaço vazio pois não é um jogador que se entrega na marcação (até por não ter físico pra ir e voltar como Romero), é isso gente. Isso não tira o talento dele, isso não faz com que seja justo o que acontecia antes dos golaços dele, gente dizer que o levaria em aeroporto, mas também não é ele que vai entrar de titular, jogar 90 minutos e fazer hat-trick (pedir música no Fantástico) não é isso que vai acontecer. Então, não querendo ensinar as pessoas a torcer, mas tanto o amor como o ódio por situações e jogadores não pode ser nesse nível de extremos. Ele é uma boa opção, ainda mais visto que Clayson e Vital não tem jogado absolutamente nada, mas não é o cara que vai resolver tudo, definitivamente.

Por fim, restam oito rodadas, com o time seis pontos á frente da zona, próximo adversário é o perigosíssimo Bahia aqui na Arena Corinthians no sábado ás 19 horas. Agora é jogo a jogo e apoio até o fim, para no mínimo manter essa distância, independente de se com empates ou vitórias, independente até de alguma derrota que virá. Gosto do Ventura como pessoa e técnico, ele está fazendo o que pode para melhorar o time, não deve ficar na próxima temporada, mas não adianta agora ficar ventilando outro nome, isso é loucura, falta muito pouco, é ele o técnico e é com ele que devemos cumprir a missão de fazer um final de temporada digno, como ele mesmo tem citado nas suas palavras. Os grandes dilemas que vejo agora são esses, o posicionamento defensivo e esse ataque, Pedrinho segue no time? Sai do time pra entrada do avante? Podemos contar com Clayson e Vital? Sheik com sua luta é mesmo útil? São situações que estão na mão do técnico e ele vai saber o que fazer pelo melhor do time.



Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas! e siga-nos no Insta: @jcronistas




Foto: Ag. Corinthians (Daniel Augusto Jr). 


Nenhum comentário