Banner 1

JC Agora

Debatendo o Debate - França x Dória: BAND e RecordTV


Além da visão otimista e pessimista das coisas, existe a visão que não falha, a visão honesta, realista. E sim, essa imagem que vocês estão vendo é muito clara nesse sentido, é um abraço a revelia. O que se viu nos debates de BAND nesta quinta (18) e desta sexta (19) a tarde na RecordTV foi um confronto extremamente pessoal, se as discussões não fossem em um ambiente público, a impressão que fica é que os dois se engalfinhariam. Os debates deste segundo turno em SP partiram para essa seara de confronto pessoal. Dória virou uma máquina de falar em PT todo o tempo, o que tira França do sério e o faz rebater. Porém, o cinismo de Dória pode fazê-lo levar vantagem nesse tipo de duelo além política.


Neste confronto onde a coisa já virou um embate além do campo político, realmente fica difícil fazer o que gostamos aqui, que é debater as propostas dos candidatos e apresentar o nosso contraponto, ou mesmo concordância. Mas ainda assim vamos falar de alguns poucos pontos que nos chamaram a atenção, além de Dória ser um traidor e estar mostrando sua face fascista e da obsessão do "Bolsonariano" pelo PT, a todo momento ilando o adversário do PSB ao partido por conta de uma letra, letra esta, o "S" que também consta em PSDB. 

- França se posiciona favorável a abertura de AMAs e AMEs aos domingos inclusive, nos ambulatórios de especialidades é possível a realização de exames e até mesmo de pequenas cirurgias, o que tornaria desnecessária a farra de "Corujão", pagando a amigos empresários do setor da saúde.

- Na área da qualificação e do emprego, Dória chamou o programa de Alistamento Civil do governo de assistencialismo. Isso mostra sua face fascista, aliás, face fascista essa que sempre é acompanhada do desconhecimento (ou do fingimento deste) de que políticas sociais e de transferência de renda são políticas "da Esquerda". Nos países mais desenvolvidos do mundo há programas de transferência de renda bem mais amplos que no Brasil inclusive, é só pesquisar, coisa que eles não fazem, eles querem a mentira toda pronta no zap e a republicam nas demais redes. O programa é sim importantíssimo e não se trata de um mero assistencialismo coisa alguma. É dar experiencia com uma remuneração pra que o jovem comece a vida. Mas Dória é um HIGIENISTA, está pouco se lixando para os nossos jovens, aliás, na periferia, ele praticamente diz que a PM sob seu comando vai atirar primeiro e perguntar depois. "Legitimando" a barbárie com a declaração de voto no plano federal. Duro é chegar atirando em colega de partido traficante, aí é mais complicado.

- França falou da importância em investir na CDHU. Tomara que cumpra isso, um dos grandes erros do PT no plano federal foi encher o Minha Casa Minha Vida de empreiteiras privadas, o que fez com que a especulação imobiliária explodisse, multiplicando em várias vezes o valor dos imóveis e tornando o subsídio algo apenas simbólico. Essa é aliás uma autocrítica que precisa ser feita no plano federal e ainda não vimos.

- Dória falou em "despoluir os rios Tietê e Pinheiros". Ora, qualquer programa de despoluição é e será uma verdadeira FARSA se primeiro 100% do esgoto não for tratado antes de ser despejado (através das tubulações da própria Sabesp) nos rios, o que houve em SP até hoje foi uma política institucional de ataque ao meio-ambiente e poluição dos nossos rios. Nenhum programa de despoluição será sério antes do tratamento do esgoto ser feito por completo. Portanto, antes de capitalizar na bolsa de NY, de privatizar e de prometer despoluição, há que se comprometer com isso, o que não foi feito.


Em relação a França, me surpreendeu um pouco o fato de logo de cara ele não ter saído na frente da disputa no segundo turno, dada a rejeição de Dória, a péssima impressão que ele deixou na capital, onde perde de lavada segundo as pesquisas, enfim. Talvez esse crescimento de Dória se dá a insistente ligação que ele faz com Bolsonaro, se afastando assim em definitivo de quem lhe abriu as portas, Geraldo Alckmin e com suas ilações infantis até sobre França, as quais ate site criou para espalhar. Ora, se França é assim tão "comunista", porque se aliou com o seu colega de partido? Seria ele também "comunista", "petista"? O PSB como já disse tem "S" em sua sigla como também tem o PSDB. Inclusive no plano local qualquer Ser que se informa sabe que o partido liberou o candidato para "não" apoiar quem quisesse, apesar do apoio de sua Vice ao candidato do PSL. 

O fato de França receber apoio dos partidos de Esquerda é muito mais contra o fascismo de Dória do que por uma simpatia, ninguém da Esquerda (leia-se: PT/PCdoB, PDT, PSOL e o PSTU este último que Dória reinventou) vai subir no palanque dele. Subiriam com muito gosto sim, fosse Lisete ou Marinho a ter avançado. Dória aposta na desinformação do eleitor e em tirar o adversário do sério, estes bate-bocas e essa ainda liderança do Bolso-Tucano mostram que está dando certo tal estratégia. Vejamos se o cinismo de Dória ao criar tantas confusões reflete algo negativo nas pesquisas, há o perigo de reversão positiva disto. Essa coisa de bater-boca não favorece quem tem programa, quem não é só uma peça de marketing, a possibilidade de mais uma virada é clara, mas o candidato peessebista tem de tomar cuidado com isso.


E Dória foi o que é, cínico, dissimulado, lançou um monte de factoides e agora tem até site para atacar o adversário. Marketing puro, privatista, não apresenta quaisquer ideias para melhorar as condições de vida da população, ao contrário, já deu várias demonstrações de seu higienismo. Existe claramente esse risco de um avanço de cultura totalitária que tem adotado ter efeito positivo em sua votação, a ver como as pesquisas pós-debates irão refletir isso.


É um momento crítico, o que já se viu na Prefeitura da capital, com sucateamento de equipamentos públicos, redução drástica do transporte escolar e do fornecimento de uniformes, fechamento de salas de aula (prática também adotada por Alckmin) e bibliotecas, além de outros equipamentos públicos, além de políticas sociais como o Bom Prato estão sob risco (afinal, política social para o elitista Dória é "assistencialismo"). Aliás, o candidato se comporta como fosse opositor de Alckmin. O PSDB deveria expulsá-lo, mas não o fará, afinal, ele "virou o dono da bola do jogo" dentro do partido e aniquila todos que cruzam seu caminho. Há que ter cuidado para que a população mais pobre do nosso estado também não seja aniquilada. 




Para críticas, sugestões ou dúvidas, deixe sua opinião na seção "comentários" logo abaixo ou escreva para: cons.editorialjc@gmail.com

Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais e clique aqui para conhecer a página de Política do JC!

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas! e siga-nos no Insta: @jcronistas



Foto: Ag. Estado.


Nenhum comentário