Nesta quarta-feira (23), aconteceram as partidas de volta da Semifinal da Copa do Brasil 2017. De um lado, Cruzeiro e Grêmio, duelaram em um Mineirão com mais de 55 mil torcedores. Empurrado por sua torcida, o time celeste venceu pelo mesmo placar que tinha sido derrotado na ida (1 a 0) e nos pênaltis garantiu a vaga para a final. No Maracanã, o Flamengo mandou o jogo de volta contra o Botafogo, venceu por 1 a 0 e se classificou, pela outra chave.  As finais serão nos dias 7 (ida), no Rio, e 27 de Setembro (volta), no Mineirão. Botafogo e Grêmio (eliminados) ainda tem a Libertadores, onde inclusive, se enfrentam na fase de quartas de final da competição. 


No clássico carioca, no Maracanã com mais de 53 mil pessoas, o Flamengo venceu o Botafogo pelo placar mínimo, mas o suficiente para levar o time rubro-negro à final da Copa do Brasil quatro anos depois do último título na competição. Pela quarta vez no ano, os técnicos Jair Ventura e Reinaldo Rueda se enfrentaram e pela primeira vez o colombiano levou a melhor. Jair já tinha ganhado duas e empatado na partida de ida, no Nilton Santos. No Brasil, entre Fla e Bota, Rueda está invicto no confronto. Do lado de fora, mais uma vez confusão para a entrada de alguns torcedores no estádio. Dentro, Juan recebeu homenagem pelos 300 jogos com a camisa do Flamengo, dividida em duas passagens pelo clube.

Assim como no primeiro jogo da semana passada, os times ficaram devendo futebol nos 90 minutos. Em jogo de poucas chances, o Botafogo em umas das únicas boas chances chegou logo aos 2 minutos. Guilherme cabeceou por cima do gol de Thiago, em cruzamento de Roger. A proposta dos dois treinadores, era primeiro evitar os perigos adversários, tanto que o técnico flamenguista segurou seus laterais durante todo o jogo, praticamente. Lá na frente, o time contava com a volta de Guerrero. Aos 12 minutos, o peruano começou deu seu cartão de visitas, em chute de fora da área, exigindo boa defesa de Gatito. Daí em diante, o jogo esfriou muito e só voltou a ter destaque com um fato: Guerrero, aos 33', recebeu cartão amarelo por reclamação e assim, está suspenso para a primeira partida da final. Quem também foi punido com cartão amarelo, aos 35', foi Roger, que abusou das faltas cometidas. Aos 43', finalmente um lance de perigo, Matheus Fernandes aproveitou o erro de Rodinei ao afastar a bola da área, e levou perigo em chute no canto direito de Thiago. Aos 46', Diego furou chute na área após cruzamento de Rodinei. Porém, o meia se redimiria.

No segundo tempo, o Flamengo voltou com mais disposição e quase abriu o placar aos 2 minutos. Willian Arão, de cabeça, quase marcou contra o seu ex-clube, após cruzamento de Pará. Aos 10', os flamenguistas reclamaram de um pênalti cometido por Marcelo, mas o árbitro nada marcou. A superioridade rubro-negra foi ficando cada vez mais evidente e não deu outra: aos 25 minutos, Berrío fez jogada magnífica pela direita e tocou para Diego marcar de primeira. Logo após o gol, o atacante colombiano saiu aclamado pela torcida, para a entrada de Vinícius Junior. Os técnicos mexeram, mas o panorama não mudou, apesar da partida ficar emocionante. Aos 40', Vinicíus Junior chutou por cima do gol de Gatito. O Botafogo tentava vir com tudo para o tudo ou nada, mas parava na própria desorganização ofensiva. Aos 47', em contra-ataque, Leandrinho salvou o que poderia ser o gol de Vinicius Junior, com desarme preciso. E assim terminou. Flamengo classificado.
  


No duelo dos maiores campeões da competição, o Cruzeiro recebeu o Grêmio no Mineirão lotado. O público foi de mais de 55 mil torcedores. E esse fator, certamente, foi fundamental para o time da casa.

Voltando alguns dias atrás, vale lembrar que no fim de semana, pelo Brasileiro, o Grêmio poupou seus principais jogadores enquanto o Cruzeiro jogou com o que tinha de melhor. Mesmo assim, no segundo tempo, o que se viu foi o time mineiro mais inteiro que o seu rival. É bem verdade também que o Tricolor gaúcho ainda disputa a Libertadores.  A principal ausência da partida era o zagueiro Pedro Geromel, pelo lado gremista. O Cruzeiro começou sem Sóbis e sem centroavante, com Thiago Neves fazendo a função de falso 9.

Com a bola rolando, o Grêmio começou pressionando e chegou perigosamente, logo aos 4 minutos. Barríos recebeu lançamento de Luan e teve seu chute defendido por Fábio, cara a cara. O Cruzeiro só respirou aos 7 minutos, quando chegou timidamente com Hudson, em chute de fora da área. Com o jogo equilibrado, aos 12', Thiago Neves levou perigo de fora da área. Com o  bem disputado e até truncado, Cortez tentou surpreender Fábio em chute por cobertura da esquerda, aos 25'. Aos 32 minutos, Alisson desperdiçou ótima chances, após belo lançamento de Robinho. O atacante cruzeirense cabeceou muito fraco. Aos 41, Grohe defendeu boa cobrança de falta de Thiago Neves. 
Na volta do intervalo, o gol da partida. Aos 7 minutos, Hudson concluiu de cabeça o cruzamento de Thiago Neves, para abrir o placar da partida e igualar tudo no confronto. Explosão no Mineirão. Com isso, o Cruzeiro continuou mandando na partida. Aos 17', quase o segundo. Raniel, que entrou no intervalo, quase fez de voleio. O jovem entrou muito bem no jogo e fez um ótima dupla com Thiago Neves, na frente. Arrascaeta entrou aos 29' e dois minutos depois quase fez a diferença em bola com muito perigo na área, que passou por tudo mundo. O resultado terminou assim, o que levou a decisão para as penalidades.

Fenandinho, abrindo a série, e Sóbis, converteram para Grêmio e Cruzeiro respectivamente. Aí, uma sequência de perdas. Edílson e Everton acertaram a trave e do outro lado, Robinho e Murilo pararam em Grohe. Os jovens Arthur e Raniel, mantiveram o empate, na quarta cobrança de cada time. E na decisão, com os melhores jogadores de cada equipe, deu Cruzeiro. Luan perdeu mais um pênalti decisivo na temporada (Fábio defendeu com o pé) e Thiago Neves, classificou o time celeste para a final.

Se na temporada passada, o Grêmio eliminou o Cruzeiro e consolidou com o maior campeão da Copa do Brasil, neste ano o time mineiro devolveu a eliminação (na mesma fase) e pode empatar a disputa novamente, caso vença a final e chegue ao 5º título, assim como o time gaúcho.




Sendo assim, no mês de Setembro conheceremos o campeão da 29ª edição da maior copa
nacional. De um lado, o Flamengo, com um time recheado de estrelas e que tinha grandes ambições na temporada. A eliminação na primeira fase da Libertadores e a longa distância para as primeiras posições no Brasileiro, dão à Copa do Brasil a chance de salvar o ano e chegar ao 4º título. 
Do outro lado, o bom elenco do Cruzeiro busca chegar ao 5º título da competição e empatar com o Grêmio na liderança de títulos do torneio. O jogo reedita a final de 2003, quando o Cruzeiro levou a melhor na ocasião e saiu com o título. 




Curta nossa PáginaJovens Cronistas! (Clique) 

Compartilhe:

Gervasio Henrique

Jovem jornalista, 23. Ciente de que a batalha está começando e mais certo ainda de que lutará com todas as forças por seus ideais. Maior intimidade com esporte, automotivo e cultural. "Sem sonhos não há vida".

Deixe seu comentário:

0 comments so far,add yours