Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Venceu o melhor, parabéns ao Novo Hamburgo

Pessoal, mais um Papo de Torcedor INTER, aqui no Jovens Cronistas, para repercutir o jogo final do Campeonato Gaúcho, que ocorreu no estádio Centenário em Caxias do Sul, onde o Internacional enfrentou o Novo Hamburgo. O time do interior, saiu mais uma vez em vantagem e o Inter buscou o empate no segundo, levando o jogo para as penalidades. Nos pênaltis, os canhotos do Inter erraram as cobranças e o Novo Hamburgo venceu por 3 a 1, sagrando-se Campeão Gaúcho, com justiça.

O Inter foi a campo com Danilo Fernandes; William, Léo Ortiz, Victor Cuesta e Ernando (Carlos e depois Diego); Rodrigo Dourado, Edenílson (Valdívia), Uendel e D'Alessandro; Nico López e Brenner. Assim Antônio Carlos Zago, voltou a insistir em seu esquema de três volantes, que mais uma vez não deu certo e vimos se repetir a história de o Inter sofrer o gol, Zago mexer no intervalo, o time ir com três atacantes e melhorar e empatar a partida, tal qual ocorreu na semana passada.


Logo aos seis minutos, Nico López avançou pela direita e cruzou para Brenner, que foi segurado por Léo dentro da área, mas Leandro Vuaden nada marcou na jogada, em lance bastante discutível, que poderia ter mudado a história da decisão.

Novo Hamburgo conquistou o título gaúcho pela primeira vez neste domingo | Foto: Mauro Schaefer

Aos 21 minutos, o Novo Hamburgo abriu o placar. Assis cobrou lateral para a área. Léo Ortiz afastou de cabeça e a bola voltou para o lateral, que fez cruzamento para pequena área, Ernando tentou afastar, mas acabou marcando gol contra, uma vez que cabeceou no contrapé de Danilo, que devido a lesão, não conseguiu evitar o gol.


No segundo tempo, Zago mais uma vez seguiu sua cartilha, desfez o esquema de três volantes, tirando Ernando e colocando Carlos e em três minutos sua mudança surtiu resultado. D'Alessandro recebeu a bola pela direita e cruzou para a área, Brenner e Léo disputaram a bola, que sobrou para Rodrigo Dourado que chutou para o gol, empatando a partida em 1 a 1.


O lance capital da partida foi aos 46 minutos do segundo tempo, D'Alessandro dominou pelo meio e lançou William, quase como um lance parecido com o do gol de Nico López na semana passada, só que desta vez, o lateral se atrapalhou com a bola, o goleiro Matehus saiu na jogada e William chutou para fora.


Nas penalidades, os jogadores canhotos do Internacional desperdiçaram suas cobranças, D'Alessandro, e Cuesta chutaram a bola no travessão e Nico López, parou no goleiro Matheus, o único que marcou gol pelo Inter foi William.Pelo lado do Novo Hamburgo, João Paulo e Julio Santos, marcaram, Léo mandou a bola no travessão e na quarta cobrança, Pablo chutou e deu o título inédito ao Novo Hamburgo, fechando o placar em 3 a 1.

A conquista é mais que merecida ao Novo Hamburgo, que liderou a primeira fase da competição e com justiça chega ao título. Não perdeu nenhum jogo para dupla Grenal, enfrentando-os em seis partidas e venceu com méritos.


Zago chega a seu quarto jogo sem vitória, consecutivo e segue seu mantra de escalar três volantes, sofrer um gol e depois mudar o time, para buscar o empate. O time não vence desde a vitória no jogo de ida das semifinais, contra o Caxias. Empatamos um jogo na Copa do Brasil, no jogo de volta com o Corinthians, perdemos pro Caxias e empatamos as duas com o Novo Hamburgo. 

Não sei como ainda alguém da direção, ainda não encostou nele, para que ele esqueça essa ideia estapafúrdia de três volantes e que comece o jogo com três atacantes e tomara que com todos os jogadores a disposição ele escale um time ofensivo.

Agora é encarar a Serie B do Brasileirão, que começa no próximo sábado, contra o Londrina, no estádio do Café, o primeiro dos 38 jogos, para buscarmos retornar a Serie A, que é o lugar do Internacional. Tomara que Zago mude de postura, pois me preocupa sua forma covarde de atuar.

Nenhum comentário