Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Derrota com 3 volantes, vitória com 3 atacantes

Pessoal, mais um Papo de Torcedor INTER, aqui no Jovens Cronista, para repercutir o empate entre Internacional e Novo Hamburgo, por 2 a 2, no Beira-Rio, pelo jogo de ida das finais do Gauchão 2017. Em um Beira-Rio com 43 mil torcedores, o Inter acabou sofrendo com a bola parada do Novo Hamburgo e por duas vezes, teve que ir em busca da igualdade e tudo será decidido no próximo domingo.

O Inter foi a campo com Keiller (Marcelo Lomba); William, Léo Ortiz, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Anselmo (Roberson  e depois Valdívia), Edenilson, D’Alessandro, Nico López e Carlos. Zago mesmo jogando em casa com 43 mil torcedores, não abriu mão de seu esquema de 3 volantes, e acabou pagando caro por isso.


Logo no inicio da partida, o Novo Hamburgo demonstrou a força de sua bola área em cobranças de escanteio. No primeiro minuto, após escanteio, Juninho cabeceou e abola bateu na trave. Aos 18, em novo cobrança, João Paulo subiu sozinho no meio da grande área e cabeceou para abrir o placar.


O Inter foi em busca do empate e ainda no primeiro tempo, as duas grandes oportunidades foram aos 39, quando Carlos recebeu lançamento dentro da área, deu um "balãozinho" em Matheus e depoisJúlio Santos afastou a bola e aos 46, quando D'Alessandro pegou sobra de bola e de fora da área, chutou forte no canto e Matheus defendeu.


No segundo tempo, Zago desfez o esquema com 3 volantes e colocou Roberson, mudando para três atacantes e em oito minutos, a mudança já teve resultado. Roberson tabelou Edenilson e chutou forte, Pablo tentou afastar em cima da linha e a bola bateu nas costas do goleiro Matheus, com o Inter assim empatando a partida.


Aos 22, em nova cobrança de escanteio, o Novo Hamburgo voltou a estar em vantagem. Jardel cruzou na área, Pablo, ganhou da defesa colorada e cabeceou para o alto, Keiller saiu em falso e Assis, cabeceou para o gol vazio, 2 a 1, Novo Hamburgo. Aos 28, Roberson sentiu lesão e teve que ser substituído por Valdívia.


Aos 37, o Inter marcou seu segundo gol chegando novamente ao empate. Nico López foi para cima da marcação e tocou a bola para D'Alessandro, que devolveu a Nico, por elevação, que saiu na cara do gol e encobriu Matheus marcando um belo gol.

Goleiro Keiller sofreu luxação nesta jogada no final do jogo | Foto: Guilherme Testa

Aos 43, após cobrança de falta do Novo Hamburgo, aconteceu o que mais temíamos. O goleiro Keiller, se chocou contra o lateral-direito Léo e sentiu o cotovelo. Ficando o Inter assim com seu terceiro goleiro também lesionado. Marcelo Lomba precisou entrar em campo nos minutos finais, no sacrifício e o 2 a 2 foi o resultado.


É inadmissível, jogar no Beira-Rio, tendo o apoio de 40 mil torcedores, contra o Novo Hamburgo, com três volantes, e com eles, perdemos por 1 a 0, no primeiro tempo. Quando Zago resolveu soltar o time e abrir mão do terceiro volante, o time melhorou e marcou o gol. Tanto que se olharmos o placar final em 2 a 2, podemos dizer que os 3 volantes perderam de 1 a 0, e os três atacantes, venceram por 2 a 1.

Todos sabemos que o Inter tem uma serie de primeiros volantes e que Anselmo em hipótese alguma pode jogar nas funções intermediárias, no centro do meio-campo, tanto na função de Edenilson, quanto na função de Uendel, a dupla ideal de Zago. Improvisar, por improvisar, então que ele tentasse com Charles, que tem melhor chegada a frente.

Mas alguém também podia avisar ao Zago, que Seijas, no Santa Fé por inúmeras vezes, também jogou nesta função e poderia tranquilamente jogar, mas parece que o Zago prima pela marcação ao invés da qualidade de passe. Outra opção, já que ele gosta tanto de Uendel como meio-campo, seria a de colocar Ernando na lateral-esquerda, que já jogou na função com Diego Aguirre e poderia até com isso melhorar nossa bola aérea, que foi um desastre neste domingo.

Até entendo Zago, por não ter saído logo de início com Valdívia, uma vez que se ele tivesse feito isso, e tivesse dado errado, ele não teria outras alternativas ofensivas de qualidade no banco de reservas, pois só teríamos Roberson, que ainda não estava totalmente recuperado de lesão e Diego, que é opção de velocidade e confesso que não é de meu agrado. Eu ao invés de Anselmo, teria optado por Charles ou Seijas.

Com o resultado, até por não haver saldo qualificado, qualquer empate, leva a decisão para as penalidades. Quem vencer será o campeão gaúcho. A segunda partida ocorrerá no próximo domingo, ainda sem local definido. O Novo Hamburgo ainda tenta a liberação do Estádio do Vale, com a instalação das arquibancadas móveis e chegar ao mínimo de 10.000 torcedores, que é exigido pela Federação Gaúcha. A decisão sai amanhã, na terça-feira. Caso contrário a decisão será no Centenário, em Caxias do Sul.

Nenhum comentário