Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Zago, pare de inventar

Pessoal, mais um Papo de Torcedor INTER, aqui no Jovens Cronistas, para repercutir o empate em 1 a 1, pela nona rodada do Gauchão, contra o Ypiranga, jogando em Erechim, no Colosso da Lagoa. A partida também era válida pela Recopa Gaúcha e por isso tivemos cobrança de pênaltis e nelas o Inter venceu por 4 a 3, com duas defesas de Danilo Fernandes.


O Inter foi a campo com Danilo Fernandes; Léo Ortiz, Paulão (Valdívia) e Victor Cuesta; William, Rodrigo Dourado (Andrigo), Anselmo, D'Alessandro e Uendel, Nico López (Roberson) e Brenner. Antônio Carlos Zago inventou um 3-5-2, para manter Paulão no time e tivemos a estreia de Victor Cuesta. No segundo tempo ele corrigiu sua formação mal pensada e voltamos ao 4-4-2.

Cuesta fez atuação segura, mesmo prejudicado pelo treinador, que fez um time maluco, em que momentos vimos Cuesta como lateral-esquerdo, e o lateral-esquerdo Uendel como meia, uma bagunça tática.


O primeiro tempo foi de doer do Inter, a formação deixou o time sem qualquer mecânica de jogo e Rodrigo Dourado foi muito mal, perdendo todas as disputas de bola e quando o 0 a 0, parecia o placar, aos 40 minutos, o goleiro Carlão deu um chutão para frente, Léo Ortiz ao invés de afastar a bola, tentou proteger para Danilo Fernandes e quem se aproveitou da indecisão foi Talles Cunha que tocou na saída do goleiro e marcou o 1 a 0.

Aqui já cabe uma pequena crítica a Léo Ortiz, que ao invés de dar um chutão para fora, tentou esperar a saída do goleiro. Por mais vezes Ortiz tenta sempre sair jogando bonito. Alguém precisa avisar o guri, que de vez em quando, pode sim se dar um chutão para afastar a bola, para evitar gols como o sofrido nesta partida.

No segundo tempo, após as mexidas, o Inter criou oportunidades, aos 11 minutos, Uendel fez cruzamento e Roberson, saltou atrasado e perdeu a chance de marcar o gol de cabeça. Aos 25, D'Alessandro cruzou, Ortiz desviou de cabeça e Brenner chutou para o gol, mas foi marcado o impedimento.


Aos 35, Andrigo cruzou e a bola pegou no braço de Wagner, sendo marcado o pênalti. Na cobrança, Brenner chutou deslocando Carlão e empatou a partida. No final da partida, aos 45, Uendel tabelou com Brenner e entrou na área, para chutar forte e a bola foi para fora.


Como a partida também decidia a Recopa Gaúcha, tivemos as cobranças de pênaltis, onde brilhou a estrela de Danilo Fernandes, que defendeu as cobranças de Éder e Marcio Lima. Para o Inter marcaram, D'Alessandro, William, Valdívia e Léo Ortiz e para o Ypiranga marcaram Tales Cunha, Evair e Carlão, ficando assim o placar em 4 a 3 e assim o Inter conquista a Recopa Gaúcha.


Espero que a conquista, possa motivar o time, para que tome vergonha na cara e faça duas boas partidas nas rodadas restantes da primeira fase do Gauchão, para melhorar esta campanha que é vexatória, um time com o investimento do Inter, não pode ser apenas o sétimo colocado, pois os times do interior tem investimento infinitamente menor e estão fazendo frente ao Inter.


Mas quem esta contribuindo e muito para o mal momento é Antônio Carlos Zago. Ele precisa parar de inventar. Com a lesão de Carlos, ele ao invés de simplificar, inventou um 3-5-2, para manter Paulão no time titular e quando a formação. Mesmo que a formação não fosse fixa, Cuesta teve que fazer as vezes de lateral e Uendel de meia e seguimos apenas com D'Alessandro na armação de jogadas.

Se não existe um outro jogador no elenco do Internacional, que possa jogar na armação de jogadas, ao lado de D'Alessandro, que a direção então se agilize e busque um jogador no mercado. Parece que Seijas esta proibido de jogar ao lado de D'Alessandro. Andrigo e Gustavo Ferrareis são jovens e não serão titulares e as outras opções ou são atacantes improvisados ou laterais improvisados.

Com o resultado, o Inter chegou aos 11 pontos, sendo o sétimo colocado, mas deverá ainda perder algumas posições até o final da rodada. No próxima rodada, o Inter enfrentará o São José, no domingo, em Novo Hamburgo, pois o Zequinha optou por levar o jogo para o Estádio do Vale.

Nenhum comentário