Caros palestrinos, hoje, dia 1 de novembro de 2015, Santos x Palmeiras fizeram na Vila Belmiro uma prévia do que pode ser a final da Copa do Brasil. Apesar de ambos os times terem disputado jogos decisivos no meio de semana, nenhum treinador resolveu poupar: mandaram tudo que havia de melhor.

O Palmeiras precisava vencer para manter na briga pelo G4 e por vaga na Libertadores. O Santos precisava para afastar um concorrente direto. O verdão começa o jogo um pouco mais em cima, buscando tocar mais a bola, o Santos esperava um espaço para ser aquele time mortal como mandante.

Taticamente, a equipe alviverde teve uma melhora significativa em relação à partida diante do Fluminense quando tudo foi mais na raça do que na organização. Contra o Santos precisava de algo diferente. Mas em um descuido tático do verdão, Matheus Sales ou Thiago Santos esqueceram de acompanhar Thiago Maia que entrou livre na área para estufar a rede alviverde.

 Veio um primeiro problema: Lucas não se sentiu bem e precisou sair de campo para a entrada de João Pedro. Modificação que me preocupava a princípio porque o menino não é bom defensivamente, mas deu uma melhor mobilidade ao ataque. Após o gol santista, Matheus Sales apareceu de surpresa na área e concluiu no travessão de Vanderlei. No final da primeira etapa, Robinho ainda furou uma das chamadas bolas do jogo, com gol praticamente aberto (se desse um peixinho ali, era caixa).
Veio o intervalo e logo no começo da segunda etapa, Ricardo Oliveira fez o que mais sabe: gol. Mandou para o fundo das redes e comemorou dando uma risadinha de deboche. Gostaria de saber o por que, mas enfim.

A partir daí, por ser um jogo de 3 pontos e não de mata-mata, acredito eu que o Palmeiras resolveu se abrir para tentar minimizar um desastre. O Santos começou a ter um certo preciosismo de querer fazer golaços em vez de gols e poderia ter custado caro; Dudu apareceu e mandou para a rede de Vanderlei. Mais tarde, o mesmo Dudu perderia chance clara ao escorregar na frente do arqueiro santista. Nada demais ocorreu depois e fim de papo.

O Palmeiras no total não fez uma partida ruim. Só gostaria também que as autoridades do jogo não caíssem tanto na fitinha de alguns jogadores do Santos que adoram dar um mergulhinho a mais, deixar um bracinho a mais na cara e nas costas dos outros (né, Ricardo Oliveira? Não é a primeira vez que falo sobre esses braços a mais do pastor nesse site viu!). E também, se o Palmeiras quiser diminuir uma certa fitinha, que chegue mais junto! Não fiquem abrindo os braços como se fossem crianças indefesas diante do "popularzão" da escola.

De resto, uma significativa melhora tática da equipe. Se é o bastante para um mata mata decisivo, eu já não sei. Deixa o preciosismo tomar conta do adversário. É melhor irmos na surdina. E se querem revanche, QUE ENTREM COM PEGADA DE REVANCHE!


Compartilhe:

Leonardo Paioli Carrazza

Deixe seu comentário:

6 comments so far,Add yours

  1. Amigo, eu como (ex?) representante do Santos no JC, digo que essa comemoração do Ricardo é um padrão nos classicos, só dar uma pesquisada, fez contra todos os rivais. E o Prass não é nenhum santo, lembre dos socos no primeiro turno. Foi nitido o preciosismo do Peixe, era pra ter sido uma goleada, com dominio amplo de jogo, se não fosse por isso. Os palmeirenses estão pilhados, e caem nas provocações, que devem ser feitas, dos Santistas. Isso é algo pro Marcelo resolver, não do Dorival proibir. Abraço e nos vemos na final. Rumo ao Bi!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nada contra as provocações, não é isso que estou criticando e sim justamente o Palmeiras cair a toa nisso e ficar de braços abertos reclamando.

      Prass não é e nunca foi santo até porque santo só um goleiro palmeirense foi rs. E não me refiro só a jogos.contra o Palmeiras do pastor. Contra o Corinthians ele agrediu o Ralf

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. E valeu pelo comentário... precisamos de mais papo de torcedor assim mesmo!!!!

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Vamos lá, o primeiro ponto é que questões internas, o nome já diz, são pra serem tratadas internamente, mas foi boa a deixa (..)..Sobre Ricardo e Prass, são dois líderes, (um inclusive religioso), dois ídolos de suas equipes e dois grandes jogadores, se portam mal com essas confusões, coisa de MOLEQUE BRIGÃO, dois caras no FIM de suas estradas guardando mágoas de jogos anteriores, É PATÉTICO, mas enfim, sabemos que futebolista não prima pelo saber. Os dois estão errados nessa.

      Sobre o jogo, concordo que deu ma luz apesar da derrota e da complicação no Brasileiro, o Santos segue favorito, mas nessa configuração de placar, o Palmeiras tem chances, ao menos de penais.

      Excluir