Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor PALMEIRAS - Vantagem traiçoeira

Caros leitores, Palmeiras e Cruzeiro se reencontraram nas oitavas de final da Copa do Brasil e a equipe alviverde conseguiu vantagem para o jogo de volta. Porém, essa vantagem não é tão boa assim. Veja como foi o jogo a seguir.
 
O Palmeiras entrou com algumas mudanças: Cleiton Xavier começou de titular e Rafael Marques havia sido sacado. Palmeiras finalmente teria quatro homens no meio campo. A princípio, o Palmeiras estava mais consistente, tanto que o gol saiu de um meio-campista: Cleiton Xavier recebeu bom passe de Lucas Barrios e fez 1x0 para o Palmeiras.
 
Porém, depois do gol, o Palmeiras continuou com seu esquema de jogo de recuar demais e tentar administrar. O Cruzeiro se aproveitou e começou a exigir boas participações do goleiro Fernando Prass. A melhor intervenção foi em um chute de Charles em que a bola fez uma curva traiçoeira e iria entrar bem no canto esquerdo do arqueiro, que evitou o gol.
 
O primeiro tempo também teve um pesadelo para o Palmeiras. Arouca sentiu uma lesão e teve que dar lugar a Rafael Marques; se o Palmeirense se preocupava com a ausência de Gabriel, agora é torcer para que o Arouca não tenha sofrido nada grave. Perder a ótima dupla de volantes pra praticamente mais um turno de campeonato será muito frustrante.
 
E veio o segundo tempo na mesmice que terminou o primeiro: Cruzeiro em cima até que Leandro Damião acertou um bom chute cruzado. Doze minutos depois, o Palmeiras resolveu acordar e Dudu cruzou na medida para Rafael Marques botar o Palmeiras novamente na frente do placar.
 
Depois do segundo gol, o Cruzeiro teve boas chances, mas a partir dos 35 da segunda etapa, foi o Palmeiras quem buscou mais o terceiro gol, porém, sem sucesso. E fim de papo.
 
Palmeiras teria uma ótima vantagem caso fosse 2x0, mas esse gol sofrido em casa dá uma "vantagem" pro Cruzeiro poder vencer por apenas 1x0 no jogo da volta. A baixa de Arouca pode representar uma perda significativa para o decorrer do ano, embora o tipo de lesão foi diferente do sofrido por Gabriel.
 
Próximo jogo, literalmente, não haverá mais espaços pra acomodação, retranca e erros. Esse time não tem capacidade de fazer um gol e administrar a partida. Não consegue ficar com a bola e assiste demais ao adversário chegar perto de sua área. 

Nenhum comentário