Banner 1

JC Agora

Barça bate Real no clássico; Atleti volta a vencer


Caros amigos, mais uma semana de bola rolando na Espanha. Vamos aos destaques da 28ª Rodada da Liga BBVA. 

Atlético de Madrid 2 x 0 Getafe

Depois de empatar três vezes seguidas, o Atlético de Madrid fez a lição de casa ao bater, por 2 a 0, o Getafe.

A classificação nos pênaltis diante do Bayer Leverkusen apresentou seus reflexos na partida, tanto que os colchoneros não tiveram Mario Suárez e Griezmann, poupados. 

O gol, porém, não demorou a sair. Bola cruzada por Koke na área, Torres cabeceou e encobriu Guaita, logo aos 2 minutos de partida.


No 4-4-2, a novidade do Cholo Simeone foi Raúl Jiménez no ataque. O mexicano fez boa apresentação, se deslocando pelas laterais. Os canários - ao menos nessa partida - foram a campo no 4-2-3-1 base de Pablo Franco.

Após os 25 minutos, o Getafe trabalhou a bola, contando com o espaço cedido pelo Atleti. Ainda assim, o goleiro Oblak não foi exigido.

Próximo aos 40 minutos, Simeone pediu mais intensidade para seus comandados. O resultado apareceu três minutos adiante. Falta pela direita, Koke cruzou, Jiménez raspou no 1º poste e Tiago, atrás da marcação, escorou para o gol. 2 a 0 Atlético.

A segunda etapa foi abaixo da média, uma vez que o Getafe pouco produziu no ataque, devido seus meias (Pedro León especialmente) estarem em jornada discreta. O time madrilenho administrou a vantagem de forma tranquila.

Por conta da vitória do Valencia, na sexta-feira, os colchoneros permanecem no quarto lugar, com 59 pontos.

Barcelona 2 x 1 Real Madrid

O Clássico foi quente, teve recorde de público (98760 pessoas) e um novo herói. Melhor para o Barça, que usou um estilo diferente para vencer seu rival Real Madrid.

O espetáculo começou antes mesmo dos craques entrarem no Camp Nou. 

Um belo mosaico foi organizado pela torcida culé - com as 98 mil cartolinas distribuídas pelas arquibancadas - formando a bandeira da Catalunha e o número 12.

Dentro de campo, duas equipes espelhadas no 4-3-3. A chave para vencer estava no meio-campo. Messi, ora aberto à direita, ora buscando o jogo pelo meio, coordenou a armação catalã. 

Em contra-partida, Modric foi efetivo na saída de bola merengue, colocando seu selo em todas as jogadas de ataque.

O Real trocou passes, na tentativa de brecar o ímpeto adversário. Deu certo. 

Tanto que, aos 11 minutos, em boa trama da dupla Marcelo e Benzema, Ronaldo acertou o travessão, em chute cruzado.

Mas, o que seria praxe durante o jogo aconteceu: nem sempre quem está melhor, marca.

Sete minutos depois (em bola parada, outrora renegada no Barça), Messi cobrou falta na cabeça de Mathieu. O francês testou no canto esquerdo de Casillas, para fazer seu primeiro gol como catalão.

Os blaugranas compactaram-se na defesa para contra-atacar. Aos 30, Neymar titubeou, em chute cruzado de Suárez, nem chutou e nem dominou a bola, que sobrou com Casillas. 

No contra-ataque, a máxima mais conhecida do futebol se confirmou: quem não faz...

Modric, sempre ele, acionou Benzema na área. O francês escorou de calcanhar, desmontando a defesa. Cristiano Ronaldo invadiu a área, desmarcado, e tocou de bico na saída de Bravo.

O arqueiro chileno completou 200 jogos pela Liga Espanhola. 

Como havia destacado no post de ontem 
(Clássico - Parte 2), o gajo voltou a pedir calma aos torcedores.

No segundo tempo, o jogo começou franco e super disputado no meio. Apesar de não ser uma partida desleal, o árbitro distribuiu 9 cartões amarelos.

Até que, aos 10 minutos, no contra-ataque (característica cada vez mais utilizada por José Enrique pela qualidade de seu trio ofensivo), o Barça marcou.

Daniel Alves - que jogou bem na lateral, sobretudo na etapa complementar - lançou da defesa, Suárez dominou e bateu cruzado, como um artilheiro faz. 2 a 1.

O pistoleiro, aliás, é um herói porque fez seu primeiro gol contra o Real. Gol que deixa a margem em 4 pontos na liderança na Liga BBVA.

O Barça trocou passes e levou o resultado que precisava, embora pudesse - em vários momentos - aumentar a vantagem. A posse de bola ainda é necessária para a engrenagem, entretanto, a transição para o campo ofensivo é mais veloz que à época de Guardiola ou de Tatá Martino.

O Real pareceu sentir o segundo gol, chutando, com perigo, apenas uma vez, quando Benzema obrigou Bravo a espalmar um tiro de fora da área - aos 32.

Com momentos de tiki-taka e gritos de olé, o clássico foi azul-grená. 

Sem sorte. Pela segunda vez no ano, o Villarreal perde, em pleno El Madrigal, para o Sevilla. Neste domingo, derrota por 2 a 0. Pela fase de 16 avos, na UEFA Europa League, o Submarino amarelo já havia sofrido 3 a 1.

Rumo ao Vice? Após ultrapassar o Atlético de Madrid semana passada, o Valencia encosta no Real Madrid, em busca do segundo lugar no Campeonato Espanhol. Com a vitória por 4 a 0, os valencianos ficam a quatro pontos dos merengues. Se a luta pelo título não está sacramentada, mesmo com o triunfo do Barça, o vice também está em disputa.

Resultados da 28ª Rodada
Elche 0 x 4 Valencia (Sexta-Feira)

Atlético de Madrid 2 x 0 Getafe (Sábado)
Rayo Vallecano 1 x 0 Málaga
Levante 0 x 1 Celta de Vigo
Athletic de Bilbao 2 x 1 Almería

Granada 0 x 0 Eibar (Domingo)
Deportivo La Coruña 0 x 0 Espanhol
Villarreal 0 x 2 Sevilla
Real Sociedad 3 x 1 Córdoba
Barcelona 2 x 1 Real Madrid





*Imagens: goal.com, ligabbva.com e mundodeportivo.com

Nenhum comentário