Banner 1

JC Agora

Futebol Grego paralisado pela violência, e no Brasil?


Amigos, vamos falar de um assunto bastante desagradável, a violência, que paralisou o futebol na Grécia após o clássico entre as duas maiores equipes do país Panathinaikos e Olympiacos, antes da partida, torcedores do time da casa, o Panathinaikos, lançaram objetos ao campo e impediram o aquecimento do adversário, provocando pânico e correria nos jogadores e comissão técnica do Olympiacos, a bola rolou, o time da casa venceu com enredo interessante, gol nos acréscimos, diminuindo a distância entre os rivais de Atenas para 6 pontos, mas estava na cara que algo iria acontecer, chegou num ponto insustentável, e o futebol teve de ser paralisado.

Vejam, a Grécia vive uma profunda crise financeira, intervenção da UE, desemprego, desabastecimento, a grande alegria da população comum e de bem é o futebol, porém, lá como cá, bandidos infiltram-se e em alguns casos dominam as arquibancadas, afastando as famílias dos estádios, e provocando cenas lamentáveis como essas, eles conseguiram lá algo mais grave ainda, acabar com o atualmente único motivo de alegria da população. Mesmo totalmente incapaz de administrar sua economia, a Grécia se mostra mais capaz que o Brasil. que assiste clássico após clássico, fim de semana após fim de semana, cenas bárbaras nas ruas, e nos terminais de transporte público. O incompetente governo Grego teve mais ação que o nosso, interveio na questão, paralisando todas as divisões profissionais e amadoras do futebol local, até que sejam estabelecidas duras leis, para coibir a presença de bandidos nos estádios, e para identificar e punir os que sigam se infiltrando.

Aqui no Brasil na grande maioria dos momentos vemos que a violência nos derrota, escoltamos bandidos ao invés das famílias para os estádios, cogitamos torcida única ou estádio vazio, todas medidas paliativas que denotam apenas a falência tanto da segurança, como do aspecto moral, com a sociedade se rendendo aos malfeitores. Afinal, é uma minoria que acha impossível conviver de forma pacífica com o torcedor de um time rival, que não tem amigos, parentes, ou até mesmo se relaciona de forma direta, com quem torce por um rival, e mesmo que não hajam essas relações, é apenas esporte, é diversão, é opinião e gosto, ninguém precisa agredir e matar por conta da divergência, podemos ser melhores do que isso.

Vemos aqui no Brasil uma luz no fim do túnel, teremos neste fim de semana, um Gre-Nal com mando do Inter, onde um setor terá mil Colorados convidando mil Gremistas, ambos devidamente uniformizados, afinal, futebol é amizade, é "resenha", e isso é um grande começo, esse movimento tem tudo pra dar certo, crescer e se espalhar gradativamente, que comece com mil, e dobre até que tome conta da maioria de cada estádio, até que baderneiros estejam espremidos, e envergonhados, sintam que seu lugar não é nos estádios (afinal, quem quer briga não torce, nem lembra do time) e sim montando rinhas, em algum terreno baldio ou galpão vazio.

Luz ás autoridades Brasileiras, êxito as autoridades Gregas, e que dentro em breve, a população Grega tenha sua grande alegria de volta, e com garantia de segurança.


Curta nossa Página: Jovens Cronistas! (Clique)

Foto: Lancenet. 

Nenhum comentário