Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Inter vence na Libertadores

Pessoal, mais um Papo de Torcedor INTER, aqui no Jovens Cronistas, para repercutir a vitória do Internacional pela Libertadores 2015, sobre a Universidad do Chile, na noite desta quinta, por 3 a 1, a 1ª vitória do Inter na competição e a primeira vitória dos titulares na Temporada, pois somente o time misto havia conquistado vitórias no Gauchão.

O Internacional foi a campo com Alisson, Léo, Alan Costa, Réver e Fabrício, Nilton, Aránguiz, Jorge Henrique (Nicolás Freitas, aos 26min do 2º tempo) e D’Alessandro (Luque, aos 44min do 2º tempo), Vitinho (Alex, aos 11min do 2º tempo) e Eduardo Sasha.

Diego Aguirre surpreendeu com a titularidade de Jorge Henrique, e sem Nico Freitas, o volante que parte da imprensa retranqueira gaúcha queria no time. Também tivemos o primeiro jogo de Réver entre os titulares e seu companheiro de zaga em decisão acertada de Aguirre é Alan Costa.


O jogo começou bastante movimentado com ambos os times jogando ofensivamente, logo a 1 minuto, Fabrício desviou de cabeça após cobrança de falta e Alan Costa, quase marcou dividindo a bola com Herrera. Aos 4 a La U respondeu com Ubilla, que mandou a bola sobre o gol. Aos 8, Vitinho cruzou e Sasha mandou de bicicleta sobre o gol.

A La U, aos 11, em um contra-ataque, Canalles quase abriu o placar e mandou uma bola no travessão, no rebote, Ubilla cabeceou para fora, este aliás foi sempre acionado pela La U, sempre as costas de Fabrício. Aos 13min, D’Alessandro cruzou e Sasha de carrinho tentou marcar o gol, mas a bola foi defendida por Herrera.


Aos 26 minutos, Vitinho foi derrubado na entrada da área e o pênalti não foi marcado. Aos 43min, D’Alessandro driblou o marcador e foi puxado pela camisa, pênalti marcado. Na cobrança, D’Ale mandou a bola no canto esquerdo, abrindo o placar. Na comemoração, D’Ale colocou a bola debaixo da camisa, simulando uma barriga de grávida, uma alusão ao terceiro filho que está a caminho.


No 2º Tempo, o Inter entrou mais tranquilo com a vantagem e controlou mais a partida. Aos 11min, Alex, que entrou na vaga de Vitinho, cruzou da esquerda para Sasha cabecear para defesa do goleiro. Aos 15 minutos, em contra-ataque Colorado, Alex lançou Jorge Henrique, que teve tranquilidade para deslocar Herrera, na comemoração, percebeu-se um Jorge Henrique emocionado, devido a toda contestação da torcida sobre a presença dele no time, mostrando que Diego Aguirre tinha razão em escalá-lo.

Quando o jogo parecia controlado, aos 21, após lançamento de Lorenzetti para Ubilla, nas costas de Fabrício, este rolou para Canalles, diminuir para 2 a 1. A tranquilidade e a definição do placar, veio aos 32 minutos, Nilton roubou a bola e em novo contra-ataque, tocou para Aránguiz, que cruzou para Eduardo Sasha chutar e marcar o 3 a 1.

O Inter venceu e mostra estar evoluindo aos poucos, e espero que a imprensa deixe Diego Aguirre trabalhar em paz e parem de pedir 300 volantes isto é coisa para o outro time da cidade. Espero que Nilton e Aránguiz se encaixem bem como dupla de volantes, mas claro que as vezes sinto falta daquele volante marcador, que seria Nico Freitas, pois nosso meio campo não é combativo, contra equipes mais fortes este tipo de jogador pode fazer falta.

Mas diria que nosso grande problema é inconstância de nossos laterais, Léo e Fabrício são instáveis e não sei como a direção colorada não foi ao mercado atrás de um lateral esquerdo. Espero que nossa zaga se entrose rapidamente.

Temos um bom meio-campo e um bom ataque e estamos com diversas opções e espero que depois com todos a disposição, Aguirre consiga controlar os egos dos jogadores que não estiverem entre os 11 titulares, mas isso é coisa para se pensar nos próximos meses.

Agora o Internacional no domingo tem o Gre-Nal, pelo Gauchão e pela Libertadores o próximo desafio é contra o Emelec, na próxima quarta no Beira-Rio. Não sei se Diego Aguirre escalará força máxima para o clássico, acho que ele deverá escalar time misto, até para poupar alguns jogadores para o jogo de quarta-feira, pelo menos os mais desgastados. 

Se bem que para fazer o time pegar ritmo nada melhor que os colocar no clássico, mas é que em caso de resultado positivo seria bom para dar ainda mais moral ao time, mas também existe o risco de tropeço e sinceramente neste ano o estadual não é nossa prioridade. Eu se fosse o treinador escalaria os reservas, com Dida, Cláudio Winck, Ernando, Paulão, Geferson, Nico Freitas, Rodrigo Dourado, Luque, Valdívia, Alex e Nilmar, acho que este time é mais que suficiente para vencer o Gre-Nal.

Abraços a todos e até o próximo Papo de Torcedor INTER, aqui no Jovens Cronistas.

Nenhum comentário