Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Formação inócua e troca suicida

Olá torcida colorada, bem-vinda a mais um Papo de Torcedor Inter, aqui no Jovens Cronistas, para repercutir a eliminação colorada na Libertadores. Jogando no Beira-Rio, na noite da quarta-feira (28), o Inter entrou em campo, precisando realizar uma exibição de luxo, mas o time entrou com a mesma postura defensiva do jogo de ida e sofreu pressão do Flamengo no primeiro tempo. No segundo tempo, chegou ao 1 a 0 com Lindoso, mas com uma troca catastrófica de Odair Hellmann, o time acabou sofrendo o empate e assim se despede da Libertadores.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

O Inter foi a campo com Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Cuesta (Sarrafiore) e Uendel (Wellington Silva); Rodrigo Lindoso, Edenilson, Patrick, D'Alessandro, Rafael Sobis (Nico López) e Guerrero. O técnico Odair Hellmann, cometeu o mesmo erro do jogo de ida e insistiu na formação com o 4-1-4-1 em que o Inter deve ser o único time do mundo, que joga com os dois centrais, no caso Edenilson e Patrick, que são mais velozes que os extremas, no caso Rafael Sobis e D'Alessandro, algo que acho completamente esdrúxulo.

O Inter que precisava de dois gols, para levar a partida as penalidades, entrou defensivo como no Maracanã e viu o adversário criar as melhores oportunidade no primeiro tempo. Logo a um minuto Arrascaeta chutou e Lomba defendeu. No lance seguinte, Everton Ribeiro deu grande passe para Gabigol, que chutou e Lomba fez grande defesa. Aos 22, Bruno Henrique chutou da intermediária e Lomba fez nova defesa. A única boa chance do Inter, foi um chute de Patrick, aos 41 minutos, da entrada da área, que foi para fora. Aos 43 minutos, Bruno Henrique puxou contra-ataque e tocou para Gabigol, que chutou de dentro da área, para fora e o 0 a 0 assim saia barato para o Inter.

Imagem
Foto: Eduardo Deconto / Globoesporte.com

No segundo tempo, Odair colocou os atacantes Nico López e Wellington Silva, nas vagas de Rafael Sobis e Uendel, voltando a dar velocidade ao time. Aos 15 minutos, D'Alessandro cobrou falta da esquerda e Rodrigo Lindoso subiu para cabecear e marcar o gol do Inter, dando esperança na luta pela permanência na Libertadores. O VAR entrou em ação, até agora não sei porque e parou a partida por cinco minutos, o que é uma lástima.

Imagem
Foto: Eduardo Deconto / Globoesporte.com

Aos 37 minutos, Odair Hellmann fez uma alteração na base do desespero e tirou Cuesta, para a entrada de Sarrafiore. No minuto seguinte, Sarrafiore foi desarmado por Arrascaeta, que puxou contra-ataque, tocou para Bruno Henrique, que avançou em velocidade pela esquerda, invadiu a área  e rolou para Gabigol, que chutou e marcou o gol do Flamengo. Assim o Inter se despedia da Libertadores desse ano.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Odair Hellmann pensou muito mal os dois confrontos contra o Flamengo. Ontem era jogo para time ofensivo, com pelo menos um atacante de velocidade, já de início e fazer o Beira-Rio pulsar, mas nosso treinador optou por um time lento, o mesmo da derrota do Maracanã, que já havia se mostrado inócuo, assim toda a atmosfera do estadio ruim em 20 minutos e nosso time deixou o Flamengo jogar como quis, só fazendo o tempo passar.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Para mim é um desperdício, tu teres nomes como D'Alessandro e Rafael Sobis no time, para jogarem como auxiliares de laterais. Primeiro que ambos já estão com idades avançadas, segundo que acabam jogando distantes do gol e ficar fazendo constantemente este vai e vem é um desperdício com estes dois. Quer mantê-los no time, muda o desenho de jogo e coloca D'Alessandro como armador de jogadas, centralizado e Rafael Sobis como segundo atacante.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Com este elenco que temos acho um ultraje, jogarmos com o tripé de volantes e só o manteria se fosse para ele dar suporte defensivo, dando liberdade aos homens de frente, do contrário, muda o esquema, que saudades do bom e velho 4-4-2. Pois este 4-1-4-1, com centrais mais rápidos que os extremos, esta fadado ao fracasso, pois isso ainda estoura no centroavante e ontem vimos mais uma vez Guerrero completamente isolado.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

O Inter com apenas uma derrota, a do jogo de ida por 2 a 0, esta eliminado da Libertadores. Tivemos um confronto em que nosso treinador optou por jogar defensivamente em 3 dos 4 tempos. No Maracanã, quando resolveu ousar, trocando os extremas do 4-1-4-1, levamos os dois gols em cinco minutos o que complicou a eliminatória. Ontem repetiu a dose, o 1 a 0 veio, mas a troca de Cuesta por Sarrafiore foi algo inexplicável, e que foi primordial para o gol do Flamengo e selar nossa eliminação.

Com o empate o Inter se despede da Libertadores e assim tem como obrigação, para não ter uma temporada perdida, chegar a decisão da Copa do Brasil e tentar a conquista desta competição. O Brasileiro, já foi colocado em último plano, o que acho absurdo. No sábado (31), o Inter recebe o Botafogo no Beira-Rio, pela 17 rodada do Brasileirão e na próxima semana em 4 de setembro, joga a segunda partida da semifinal da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, no Beira-Rio. A Copa do Brasil virou a nossa obsessão na temporada 2019.


Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e confira nossos conteúdos esportivos, dê sua opinião que é fundamental, seu like e divulgue para os amigos! 

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 

Nenhum comentário