Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor INTER - Grenal da Covardia

Olá torcida colorada, bem-vinda a mais um Papo de Torcedor Inter, aqui no Jovens Cronistas, para repercutir o empate no Grenal 419, no jogo de ida da final do Campeonato Gaúcho. Em um jogo bem fraco, tivemos um time do Inter postado na defesa, com medo de perder e um time do Grêmio, tentando apenas especular em lances esporádicos, tentando administrar, sabendo que os próximos 90 minutos da decisão serão na Arena, na próxima quarta-feira (17).

O Inter foi a campo com Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Cuesta e Iago; Rithely (Rodrigo Lindoso), Edenilson, Patrick, D'Alessandro (Guilherme Parede), Nico López e Guerrero (Rafael Sobis). O técnico, Odair Hellmann optou pela entrada de Rithely, na vaga de Rodrigo Dourado, mas o que me incomodou foi a postura extremamente defensiva, jogando em casa, o time se acovardou literalmente e ficou claro que Odair entrou no clássico, primeiro com o pensamento de não perder.

Imagem
Foto: Eduardo Deconto / Globoesporte.com

No primeiro tempo, aos 15 minutos, Cortez avançou pela esquerda, invadiu a área e cruzou, mas ninguém apareceu para finalizar. Aos 20, Cortez foi a linha de fundo e fez cruzamento da esquerda, para fora. Aos 21, Alisson chutou da intermediária e a bola bateu no travessão e foi para fora. A melhor oportunidade colorada foi aos 31 minutos, quando Patrick avançou pela esquerda, invadiu a área, cruzou rasteiro e Guerrero finalizou para defesa de Paulo Victor.

No segundo tempo, Aos 21 minutos, Everton passou por Zeca pela esquerda, invadiu a área, driblou Rodrigo Moledo e chutou para defesa de Marcelo Lomba. Aos 28, Guerrero tocou para Nico López que entrou na área e chutou cruzado e Paulo Victor fez grande defesa. Aos 34, Nico López chutou rasteiro, Paulo Victor defendeu e no rebote, Guerrero chutou e o goleiro gremista fez nova defesa.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Odair Hellmann para mim errou totalmente no posicionamento covarde do time, em ficar esperando o Grêmio no campo de defesa e etentar buscar a vitória apenas nos contra-ataques. Então se ele queria este tipo de estratégia, então que colocasse os reativos em campo e não fosse com o time que deveria se postar mais a frente, para lutar pela disputa no meio-campo. 

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

O Inter só não foi derrotado, porque Cortez, assim como Zeca, é bastante limitado e não soube aproveitar as oportunidades, para transformá-las em gol para o Grêmio, principalmente nas chances do primeiro tempo. Nosso rival explorou nosso ponto falho, que são as laterais, mas uma grande questão fica no ar.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Se nosso técnico insiste no esquema de uma nota só, o 4-1-4-1, com o tripé de volantes, porque estes volantes não protegem os laterais, pois se temos em campo 3 volantes, tendo em tese um meio-campo mais numeroso que as outras equipes que se utilizam 2 volantes. Não adianta querer que os pontas, queiram ficar como auxiliares de lateral, pois aí eles voltam demais e ficamos sem poder ofensivo. De nada então adianta ter 3 volantes, se estes não dão o solidez ao time. Pois se somarmos os três volantes, mais com a volta dos dois extremos teremos 10 jogadores para defender, restando apenas ao centroavante sozinho e isolado, as ações ofensivas.

Só não entendo porque Odair Hellmann, não dá oportunidade a jogadores como Nonato, Camilo ou Sarrafiore. Era mais um jogo para preencher o meio-campo, mas ele sempre prefere colocar os reativos como Guilherme Parede, para fazer correria. A nossa sorte, foi que nosso rival teve o meio-campo a sua mercê, mas pareceu satisfeito com o empate. 

Com o empate, tudo fica para ser decidido na próxima quarta-feira (17), na partida que ocorrerá na Arena. Se o Inter adotar a mesma postura covarde, da partida do Beira-Rio, sairá derrotado. Odair Hellmann precisa criar coragem e tentar jogar atacando o Grêmio. Mas não adianta nada encher o time de atacantes, se for para deixá-los, de apoiadores dos laterais.

Nenhum comentário