Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor SÃO PAULO - Para quarta só resta a superação

Salve nação tricolor! Depois da derrota na partida de ida da segunda fase da Pré-Libertadores 2019, o São Paulo entrou em campo pela sexta rodada da primeira fase do Campeonato Paulista diante da Ponte Preta no Moisés Lucarelli. Muito pressionado, o tricolor de André Jardine tinha a missão de dar ânimo aos torcedores de que podem acreditar em uma reviravolta e na classificação, pela Libertadores, na próxima quarta (13). O time foi a campo com: Volpi; Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Reinado; Willian Farias, Hernanes e Nenê; Everton, Antoni e Carneiro. Time com sete titulares, para surpresa geral.

Luís Fabiano, ex-jogador de ambos os times, assistia o jogo nas tribunas do Moisés Lucarelli. Antes da bola rolar, um minuto de silêncio foi respeitado em homenagem às vítimas do incêndio que causou a morte de 10 garotos e deixou três feridos no alojamento do Flamengo, na Gávea.

Após o apito do árbitro a Ponte chegou primeiro com perigo em chute de Matheus Oliveira, da entrada da área, aos 2 minutos. No começo do jogo, o São Paulo tentava tomar iniciativa, mas parava em erros crucias nas construções de jogadas. Carneiro, mais uma vez era um dos melhores, com muita dedicação tática. A Ponte armava contra-ataques, esperando um chance de surpreender o adversário.

A primeira grande chance do jogo foi da Ponte Preta aos 31'. Gerson Magrão chutou após sobra de bola e Volpi fez boa defesa, no rebote Thalles perdeu grande chance. Hernanes levou amarelo por reclamar com Raphael Claus, assim como no jogo de quarta-feira.

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press
Aos 38', Bruno Alves subiu de cabeça atrapalhando Arboleda, em melhor condição, e finalizando mal por cima do gol, após levantamento de Reinaldo. O momento era o melhor do São Paulo no primeiro tempo, porém o time não acertava o último passe, incompetência que impedia o time de levar perigo à Ponte. Aos 43', Nenê aproveitou tabela com Everton e finalizou de fora da área, mas só conseguiu escanteio. Aos 45', Arboleda levou muito perigo ao cabecear por cima, depois de cruzamento de Nenê.

Foto:Eduardo Carmin Photo Premium
Primeiro tempo em que o São Paulo foi o mesmo dos jogos anteriores no início da temporada, sem criatividade e errando demasiadamente. Na primeira parte, a Ponte foi melhor, criando a melhor oportunidade até então. Na segunda parte, o Time do Morumbi melhorou, mas não foi capaz de levar grandes perigos ao time da casa. As principais jogadas eram criadas por Nenê.

Na volta do intervalo, aos 8', minutos a má partida de Reinaldo foi ''coroada'' com uma caneta e um amarelo. Aos 10', o lateral esquerdo tentou se redimir ao chutar cruzado, mas para fora. Aos 15', Hernanes saiu para entrada de Igor Vinícius, por questão física e para poupar o camisa 15 para o grande confronto da próxima quarta. Com a alteração, Araruna deixou a lateral para o camisa 2 e passou a ocupar a posição de Hernanes no meio. Aos 18', Thalles teve boa chance ao cabecear para fora após cruzamento de Luís Ricardo e falha de Arboleda. Diego Souza entrou na vaga de Carneiro. Cinco minutos depois, Everton saiu para dar lugar ao estreante Biro Biro, ex-Ponte Preta. Neste momento o time da Campinas era melhor, principalmente pela direita com Luís Ricardo.

 Aos 32', Gerson Magrão levou muito perigo em cruzamento de escanteio, quase marcando gol olímpico. Volpi estava atento e espalmou para fora. No lance seguinte porém, após novo cruzamento de Gerson Magrão, Hugo Cabral aproveitou desvio de Renan Fonseca e abriu o placar, chegando antes de Reinaldo para empurrar para as redes. Fonseca subiu mais alto que toda a defesa são-paulina, inclusive Volpi, para dar a assistência. O São Paulo então, pouco fez além de tentar alguns cruzamentos, como vem sendo praxe. Assim, pouca dificuldade para a Macaca segurar o resultado e garantir a terceira derrota do Tricolor, no Paulista.

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press
Com atuação ruim mais uma vez o São Paulo não criou praticamente nada e pouco assustou o fraco time da Ponte Preta. O ''teste'' de Jardine não foi bom, pelo contrário, a derrota e principalmente a má atuação gera uma pressão ainda maior para o jogo de quarta-feira, que pode escrever um episódio negativamente histórico para o Tricolor. No entanto, cabe ao torcedor são-paulino apoiar o time até o último minuto do dia 13. Depois sim, cobrar, independentemente do resultado, pois mesmo com uma difícil classificação, o começo de ano está muito abaixo do esperado.

Pelo Campeonato Paulista o São Paulo conheceu a sua terceira derrota. Com 9 pontos conquistados, a equipe agora divide a liderança do Grupo D com o Oeste. Ituano é o terceiro com 7. Chegando a metade da primeira fase, novamente os adversários encostaram. O SPFC permanece ainda com boas chances de avançar a segunda fase, porém, o retrospecto de 50% de aproveitamento é abaixo do esperado, sem dúvidas. Se permanecer jogando assim, dificilmente passará na Libertadores e pode ser surpreendido por Oeste e Ituano em uma segunda fase de Paulistão. É hora de abrir o olho. Agora é a hora da virada!

Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas, dê sua opinião que é fundamental, seu like e divulgue para os amigos! Acompanhe toda segunda-feira o "JC Esportes" com os destaques do futebol Brasileiro e europeu. 

Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 

Nenhum comentário