Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor CORINTHIANS - Um empate que não muda os prognósticos


Amigos e Nação Corinthiana! Estamos juntos mais uma vez, com a bola rolando para o time profissional de forma oficial pela primeira vez no ano, após os amistosos contra Nacional e Santos, o time enfrentou o São Caetano, que veio armado defensivamente de forma inteligente por Pintado e o resultado acabou sendo um empate arrancado no último lance do jogo por 1 x 1. Se o resultado não foi tão bom, apesar de a atuação não ter sido ruim. A janela de transferências até aqui e ainda podendo ter boas contratações, é muito acima do que imaginávamos após a forma como terminou o ano, dentre outras novidades fora do campo, como a chegada da BMG, patrocinadora master da equipe.


O time começou o jogo com alguns dos novos jogadores em campo, com uma surpresa agradável a meu ver na zaga que foi a chance para Marllon é um jogador que apareceu com muita qualidade na Ponte, se não tiver nenhum problema é um cara que pode sim ser o titular na zaga, visto que a contratação de Manoel não empolga, torcida cruzeirense a parte. Do outro lado o azulão teve uma estratégia que se provou inteligente, ao povoar o meio campo com volantes e marcar pressão, impedindo assim nos minutos iniciais do jogo o Corinthians de sair, a bola ficou muito no campo de defesa do Timão, com o São Caetano tentando se aproveitar de cada bola.

Com o passar dos minutos foi ficando claro que havia com esse adiantamento da marcação adversária, um espaço entre o meio e a zaga do time do abc, com isso, Fagner descolou um grande passe para Gustavo ficar na cara do gol, porém em posição de impedimento. Na sequência, ataque rápido do time de Pintado e um pênalti absolutamente tolo cometido por Richard. Na cobrança, Cássio bem que tentou, mas Rafael Marques bateu muito bem e abriu o placar aos 28 minutos.


O time continuou sentindo dificuldades e na etapa final as entradas de Pedrinho no intervalo e depois com Mosquito que se mostrou esforçado. Na última mexida Richard que errou no pênalti saiu para entrada de Vital, com isso Carille abriu o time e passou a pressionar mais. O São Caetano se usou muito de parar o jogo por supostas lesões e o anti-jogo quase deu certo, o Corinthians não chegou a implantar um grande sufoco apesar de comandar as ações do jogo. Mas antes do último minuto de acréscimo, ainda aos 48 veio o escanteio e no último lance da partida a zaga adversária falhou marcando no primeiro pau e Henrique entrou livre pelo meio empatando a partida no melhor estilo sofrimento.

Uns adversários "paladinos da justiça" (só quando se trata do adversário) vieram com ideia de acréscimo "até empatar" que não corresponde a realidade, o escanteio ocorreu antes do fim do acréscimo, a orientação quando isso acontece é deixar cobrar e a zaga adversária falhou, com isso veio o empate. O tempo de acréscimo poderia ter sido até maior, dado o alto número de paralisações na partida, no futebol europeu a gente vê acréscimos maiores e o acréscimo é só a consequência das paralisações que existem num jogo, então esse tipo de ilação é oportunista e absurda, não houve qualquer irregularidade no escanteio, em permitir a batida e no gol.


Bem, em relação ao jogo, não foi de fato "encantador", mas no que eu vejo de futebol foi mais mérito do São Caetano em entender que o Corinthians é mais time e se fechar com inteligência, adiantando a marcação, tentando manter a bola longe do próprio gol o máximo de tempo possível, então o adversário foi feliz nesse sentido. Por outro lado, o time teve erros sim de finalização, um pouco de ansiedade principalmente por parte do André, que errou em alguns lances, o pênalti do Richard foi lamentável, creio que na primeira função temos dois jogadores como Ralf e Gabriel, onde o melhor caminho seja o Richard ser opção para a ausência em algum momento do Ramiro na segunda função, pra primeiro volante eu não usaria este ex-jogador do Fluminense. Outra coisa que eu penso que vai precisar mudar é o Sornoza na ponta, no Nense ele estava sempre centralizado e quem se sacrificava era o Scarpa, temo que ele não funcione na ponta, é preciso que Carille identifique isso e, se necessário opte entre ele e Jadson.

. Mas enfim, é só o primeiro jogo da temporada, contra um adversário duro e desta vez com um bom técnico e que montou um time cascudo, com vários nomes conhecidos. Então, é nítido que o Corinthians tem muito a crescer, com os reforços que chegaram e com outros que podem ainda vir.


E este é o nosso próximo tópico, o Mercado. Vejam, eu sigo sendo um opositor da atual gestão, como torcedor e como comentarista, não sou oportunista, não são algumas contratações e um patrocínio que vão mudar conceitualmente o que eu penso. Mas eu não sou nenhum xiita. Quando é pra elogiar a gente precisa fazê-lo. Então, as contratações em grande parte foram cirúrgicas, bem como grande parte das saídas também. Boselli foi um grande artilheiro no México com uma média muito alta e Gustavo foi muito bem no Fortaleza, merecendo a oportunidade de retornar. Jonathas não iria permanecer depois do meio do ano de qualquer forma porque estava EMPRESTADO (a galera tem que entender isso) e houve a antecipação da devolução e o time teve também sobriedade pra não dificultar em nada a rescisão de Roger.

Ramiro é um excelente nome e está na posição certa como segundo volante, se perderia muito de sua qualidade o avançando pra meia. Acho precipitado apostar todas as fichas em Richard, pois já houve uma decepção com Douglas, que foi por empréstimo para o Bahia, mas foi uma opção. E houve a contratação de Manoel que eu não aprovo pelo momento ruim que ele vive há anos no Cruzeiro, acabou sendo um negócio muito conveniente para o time mineiro, a prova é a forma como a negociação foi feita. Tomara que ressurja o Manoel que arrebentou no CAP, ou teremos problemas na zaga, ou o crescimento de Marllon ou dos outros dois zagueiros.

Tudo indica que Romero também não veste mais a camisa do Corinthians e pode ser envolvido em troca com o Galo por Luan, que é um jogador interessante pelo lado de campo. Em se confirmando, o que é a indicação, Romero deixará saudades por seu empenho e sua função tática, mas é a vida. Os outros dois ainda especulados são Love e Arana, o primeiro com maiores possibilidades de vir. Love pelo lado não sei se conseguiria se entregar também voltando pra ajudar na marcação pelo lado, como Carille sugeriu na comparação com Sheik e JH, mas é claro que será interessante se vir, Arana nem se fala, ainda que Avelar possa reagir sob o novo comando, mas essa é uma situação mais difícil, pois a prioridade do Sevilla é que ele siga na Europa.

Em relação ao time da copinha, bons talentos surgindo, temos um bom goleiro, mas que dificilmente deve ter chances, daí inclusive a saída de Caíque França. Caetano é um zagueiro a se observar, Fabrício Oya precisa ser integrado ao time de cima, está pronto, tudo passa por ele, o centroavante Nathan tem qualidade, mas dificilmente terá chances e uma pena a lesão de Fessin que vinha fazendo um ótimo trabalho.


Por fim, finalmente temos o patrocínio master, o banco BMG, concorrente do patrocinador do nosso maior rival, que vai injetar uma boa grana no clube, mas espero que só. Essa coisa de "mais que um patrocínio" não é necessária, no adversário isso significa se meter nos assuntos do clube e este não é papel do patrocinador. É preciso separar as coisas, o patrocínio é muito bem-vindo, mas não pode servir como uma espécie de "resposta" ao rival e seu patrocinador. Com transparência e qualidade de gestão ou não, deixem que os mandatários do clube façam seu papel e mandem, sejam apenas um patrocinador e está ótimo.




Curta nossa página no Facebook: Jovens Cronistas!, siga-nos no Insta: @jcronistas 

Se inscreva em nosso canal no Youtube: TV Jovens Cronistas e acompanhe amanhã a live "JC Esportes"com tudo sobre o início dos estaduais, o mercado e o futebol na Europa e nossas lives do Papo de Torcedor. 



Foto: Fotoarena. 




Nenhum comentário