Banner 1

JC Agora

Rússia 2018 - Bailando com Mbappé


Amigos! Em um jogo espetacular, a França finalmente jogou um futebol próximo do que a credenciou a ser uma das favoritas ao título nesta Copa do Mundo e em um resultado que do ponto de vista técnico e tático não nos surpreende, eliminou a Argentina em um 4 x 3 cheio de alternâncias que fez jus, sobretudo na etapa final, a história dessas equipes e a um jogo que poderia ser até em uma fase mais avançada de Copa.


O jogo começou com um cenário onde a Argentina defendia-se bem, por vezes até de forma mais dura, enquanto a França tentava controlar as ações mas encontrava dificuldades para furar o bloqueio hermano. Até que Mbappé começou a dar o seu show, a joia francesa arrancou pra cima de Rojo que cometeu pênalti, na cobrança Griezmann com categoria abriu o placar.

Depois do gol a Argentina é que passou a tentar dominar as ações da partida, com isso deu o contragolpe ao time francês, que aos poucos foi também retomando o controle da partida, Argentina muito dependente de Messi como temos visto. Di Maria estava muito preso a ponta, pouco participativo no jogo, mas aos 40 fez um golaço em um foguetaço da intermediária para empatar a partida.


Na etapa final a Argentina virou logo no começo, após finalização de Messi, para a alegria de Macri a bola sobrou para Mercado desviar pro gol. Porém aos 11 a França empatou com outro golaço, Pavard pegando de trivela um petardo e marcando um golaço. A nova virada saiu em mais uma jogada pela esquerda com Lucas Hernandez do Atleti, o volante Matuidi tenta a finalização e a bola é travada, na sobra Mbappé de novo, limpa e manda pro gol.

Então Sampaoli sacou Enzo Perez que fazia uma péssima partida, para a entrada de Aguero. Mas em seguida, aos 22, Mbappé de novo foi acionado e na sua velocidade saiu na cara do gol pra fazer mais um. Era o quarto, a partida parecia liquidada então. Após o gol Messi tentou resolver em algumas jogadas, mas sozinho é difícil, ele nos acréscimos ainda cruzou na cabeça de Aguero para dar alguma esperança a seu time, mas o restante do tempo foi amarrado, muito por iniciativa do próprio Otamendi que fez tolices, o jogo então caminhou para o fim com a vitória francesa, que mesmo mal treinada, é mais time que a Argentina.


A França enfim fez valer seu melhor futebol, não chega a ser um time bem treinado por Deschamps, que não chega a ser um cara a tomar decisões corretas na maior parte do tempo, mas pelo material humano, pelos talentos que essa jovem geração francesa tem, era mesmo time para eliminar a Argentina. Argentina esta que tinha apenas duas coisas, Messi e muita luta, o trabalho de Sampaoli foi extremamente decepcionante e o time além de carecer de boas peças na defesa e até mesmo no meio campo, tinha uma organização tática praticamente nula, restava crer na força e no talento individual, que até apareceram, mas de forma insuficiente para derrotar um adversário que tinha um menino decisivo como Mbappé, 19 anos apenas.


Brincadeiras e zoação a parte, é claro que ficamos tristes por Messi, situação muito difícil ter todo esse peso em suas costas, de ser o melhor ou o segundo melhor de seu tempo, mas ter no selecionado nacional um time com mais buracos que um queijo suíço, uma geração ruim, que foi além do que podia aqui no Brasil, muito pela capacidade tática de comando, sem isso, em momento algum inspirou confiança na Rússia e sucumbiu ante um coletivo melhor francês. Podemos ter assistido uma melancólica despedida de Messi da história das Copas, com capacidade física bem mais limitada que de Cristiano Ronaldo é difícil vê-lo em 2022, ainda mais pelo peso que ele sente as costas com essa camisa. Mas que os amantes do futebol tenham a consciência, de que isso não diminuirá o tamanho deste craque, eternizado na história do futebol.


Esta França de hoje sim chega favorita ante o Uruguai nas quartas, um time que funcionou no meio (o que será fundamental sendo esse o ponto fraco uruguaio, no aspecto de criação) e com isso a individualidade, o talento de Mbappé apareceu. Uma coisa é certa, o Uruguai vai se fechar e lutar com todas as forças, além de demonstrar uma qualidade tática jamais demonstrada pelo catadão argentino. Com isso, tecnicamente falando há sim um favoritismo francês, mas mesmo que seja derrotado, o Uruguai vai vender isso muito caro, duelo espetacular á vista e Tchau Argentina, no llores por ellos. 



Curta nossa página: Jovens Cronistas! (Clique)



Imagens: Getty. 



Nenhum comentário