Banner 1

JC Agora

Israel - Um pouco de sua história (relatada na bíblia) e das promessas de Deus para esta nação



Talvez muitos dos amigos leitores do 'Jovens Cronistas' e do 'Ganhando Almas' tenham uma dúvida quanto à relação de Deus com Israel. Não sabemos porque Deus escolheu justamente a nação israelita para serem seus "filhos", mas o certo é que, Israel é sim a nação prometida e escolhida de Deus. A história do povo judeu começou com Abraão e Sara, quando lemos o primeiro livro do Antigo Testamento: Gênesis 12. Deus fez uma promessa a Abraão, naquele momento ainda chamado de Abrão, a promessa era de que Ele o abençoaria fazendo dele uma grande nação (Gênesis 12:2) e de que todas as famílias da terra seriam abençoadas através da sua linhagem (Gênesis 12:3). Então Abraão, obediente e temente a Deus sai de sua terra e do meio da sua parentela, para um lugar que ainda não conhecia, mas que Deus o guiaria. 

Abraão e Sara tiveram um filho, o filho da promessa, chamado Isaque. Através de Isaque seriam gerados dois filhos, Jacó (também chamado de ISRAEL) e Esaú. De Jacó surgiram doze filhos. A família de Jacó posteriormente se multiplicaria e um dia, através de José, um dos filhos mais novos de Jacó, se mudariam para o Egito. Vivendo no Egito, a linhagem de Israel cresceu, tornando-se um povo abundante em terra estrangeira. Vale lembrar que a família de Jacó se mudou para o Egito e viveu lá com a autorização do faraó da época, já que José, filho de Jacó se tornou o governador daquela nação e consequentemente um homem respeitado. 


Um certo dia, sendo morto o faraó e todos da família de Jacó, levantou-se no Egito um novo faraó ou rei, que não conhecia a José e a sua família, passando então a tornar toda a nação de Israel em escravos. Foram 430 anos habitando no Egito. Surge então o conhecido de todos amigos, um homem chamado Moisés. Foi através de Moisés que Deus libertou Israel do Egito. A história a maioria conhece ... Deus usa Moisés para dialogar com faraó pedindo para que ele libertasse o seu povo que estava cativo; faraó não permitiu, então Deus envia as pragas para que pela dor ele os libertasse. Posteriormente temos a abertura do mar vermelho e a caminha de Israel por quarenta anos no deserto até chegar à Terra Prometida. Outro dia trago tudo isso de uma maneira mais resumida. Para mais detalhes leia o livro do 'Êxodo'. 


O GOVERNO TEOCRÁTICO: Moisés morreu e o seu substituto foi Josué. Sob o comando de Josué Israel conquistou Canaã e instituiu um governo que seria governado por Deus (a teocracia). Esse período durou aproximadamente trezentos anos, incluindo o período dos juízes (para mais informações leia o livros de 'Josué e Juízes'. Foi um tempo complicadíssimo para Israel, pois o povo israelita desobedeceu muitas vezes ao Senhor, consequentemente se afastando da presença dEle. A bíblia relata ao término do livro dos juízes que "cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos" (Juízes 21:25), ou seja, andavam como queriam e deixaram Deus de lado. 


O GOVERNO MONÁRQUICO: Por cento e vinte anos o reino de Israel esteve sob o governo de Saul, Davi e Salomão. Estes foram os três primeiros reis. A monarquia teve início quando o povo israelita pediu a Samuel (até então juiz e profeta de Israel) que colocassem um rei para governá-los, como as outras nações (1 Samuel 8:5).


A decadência de Israel: Salomão morreu em 931 a.C., marcando a queda política, moral e religiosa de Israel. Deus um dia alertou o seu povo, quanto aos problemas que resultariam em serem governados por um rei e não por Deus (1 Samuel 8:9-18). Roboão, filho de Salomão, assumiu o reino e o dividiu em dois: O Norte e o Sul. 

O Reino do Norte era constituído de dez tribos, enquanto o Reino do Sul de apenas duas tribos, Judá e Benjamim. O Reino do Norte um dia foi dominado pelo Império Assírio e subjugou seu rei, os príncipes e todo o seu povo. O Sul teve alguns momentos bons e de glória, mas de maneira igual ao Norte, de calamidades. Constituído por alguns reis piedosos e outros maus, um dia foi invadido pelo Império da Babilônia, pelo rei da Babilônia, Nabucodonosor. Este rei cruel, levou cativos todos os nobres de Jerusalém, entre eles os príncipes, intelectuais, homens de guerra, etc., deixando em Judá apenas os pobres e deficientes. Toda essa história propiciou a intervenção divina na vida de Israel para preservação do projeto original de Deus. 

2 comentários:

  1. Resumiu muito bem a história, e infelizmente o que causou a decadência da nação de Abraão foi justamente a murmuração e a sede de poder, o que vem afetando o povo Cristão também em nossos tempos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Adriano. A perda do foco principal causa isso. O nosso foco tem que ser sempre Jesus Cristo, mas muitas pessoas se deixam levar pelas coisas que não vamos levar conosco quando partirmos dessa terra.

      Excluir