Olá, todos, todas e todes! Como estão? Por aqui vai-se indo...

Na semana passada mostrei aqui uma reportagem que fiz, com outros dois colegas, sobre a realidade dos transplantes no Rio Grande do Sul e as negativas familiares, quem quiser ler, clique aqui.

Uma das características do governo Bolsonaro, seja na figura do próprio, de seus filhos ou de seus ministros é o quase dom em protagonizar pronunciamentos e cenas bizarras. Para dizer o mínimo.Já vimos ministra afirmando que "menino veste azul e menina veste rosa". Em outro momento vimos a nação debater, com todos os tons de seriedade, a nomeação de Eduardo Bolsonaro, o tal 02, para Embaixador nos Estados Unidos. Qual sua experiência para a função? Ter trabalhado numa loja de fast food. O debate, que tomou conta do país sobre aquela possibilidade, já foi um prenúncio de que considerar experiências profissionais para assumir cargos importantes no Governo Bolsonaro não era regra.

 Quando achava-se que eles haviam chegado ao limite com o ministro Weintraub, houve um momento de superação. Na última semana, Bolsonaro sublimou. Depois de 18 meses oscilando entre dois modelos totalmente desconexos da realidade de ministros da Educação, de um lado Velez que levou um ministério importantíssimo do nada para lugar nenhum. Em seguida, Weintraub  que só fez o caminho contrário. Porém, com muito barulho e algazarra.

Abraham Weintraub foi pródigo em fazer piadas de péssimo gosto, ofender povos - como o caso do chinês, entre outras traquinagens. É bom que se diga que este governo curte uma rede social como poucos. Possivelmente, lá na frente, alguém deverá estudar a influência das ações nas redes sociais e sua respectiva influência nas políticas de Estado.  Weintraub saiu corrido, por vontade própria, para ser, ou tentar ser, empossado no diretor do Banco Mundial. Esta possibilidade tirou do sério inclusive o sempre fleumático Presidente de Câmara Rodrigo Maia que, ao ser questionado sobre a hipótese, deu uma forte declaração relacionando a falência do Banco Votorantim ao fato do ex-ministro ser um dos economistas daquele banco em 2009. O vídeo está nas redes e o risinho de monalisa de Maia, fecha com chave de ouro o vídeo. Basta procurar.

Até os funcionários do Banco Mundial fizeram representação contra a possivel posse de Weintraub. Um detalhe importante é que o ex-ministro era um dos principais críticos de algo que ele e outros classificavam como Globalismo e, usavam como exemplo deste conceito, o próprio Banco Mundial. Fica a pergunta: De repente Weintraub mudou de opinião sobre o Globalismo ou foi o polpudo salário que foi o real motivo?

Mostrando como o Governo Bolsonaro pensa a educação foi nomeado seu terceiro ministro na semana passada, o terceiro em 18 meses. O que dá um ministro por semestre. em média. Pois, a imprensa, como que dizendo "Ah, finalmente uma dentro deste governo. Agora vai", anunciava toda selerepe o ministro Decotelli. Era graduado aqui, mestrado ali, doutorado lá, pós-doutorado acolá. Ufa, finalmente um ministro da educação de verdade, qualificado. Nossas preces foram atendidas.
Só que não!

De repente, surge a informação de que o título de Doutor anunciado na plataforma Lattes não condizia com a verdade, uma vez que o ministro não havia defendido a tese, mas apenas concluído os créditos. Ora, se não tem doutorado, o pós-doutorado ir pro vinagre era questão de dias. Dito e feito: a Universidade alemã, de onde viria o título, anunciaria que Decotelli participara tão somente de um grupo de pesquisa por três meses. Nada mais do que isso.

Em seguida surgiram dúvidas quanto ao mestrado do ministro. A acusação, tão grave quanto a anterior, era plágio. O ministro segue defendendo seu curriculum e afirmou que foram apenas "inconsistências". É cara de pau que chama? A verdade é que Decotelli pode se tornar ex sem nunca ter sido uma vez que já estão sendo ventilados nomes para substituí-lo.

Pelo histórico do governo Bolsonaro na pasta da Educação com suas constantes inconsistências pode-se ver a importância que é dada à esta área. Este governo tem-se mostrado muito semelhante ao famoso chocolate: cada dia uma surpresa. E só surpresa triste.


Até semana que vem.

Saudações,

Ulisses B. dos Santos.

Twitter e Instagram: @prof_colorado
PodCast SobreTudo: by Ulisses Santos

Sobre a Coluna

A coluna SobreTudo é publicada sempre às terças-feiras.




Compartilhe:

Ulisses Santos

Sou um cara solidário e humanista. Procuro ser empático com o outro. As relações humanas fazem com que cada um de nós seja alguém que ao acordar é uma pessoa e ao dormir seja outra. Sou professor da rede pública estadual do RS desde 2002 e escritor desde sempre. Tenho livros escritos sobre a história de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul. Atualmente estou concluindo a graduação em Jornalismo.

Deixe seu comentário:

1 comments so far,Add yours