Olá, queridos, queridas e querides! Tudo bem por aí? Por aqui vai-se indo...

Sempre que se tem a responsabilidade de escrever semanalmente para uma coluna é necessário ter inspiração para escrever algo. Nessas horas lembro do escritor Luis Fernando Veríssimo que dizia ter um muso inspirador é o prazo.  Para cumprir esse prazo a gente busca inspiração em algum tema que tenha se destacado na semana anterior e como são muitas informações, das mais diversas fontes, tornou-se impossível obedecer ao prazo ou, como chamamos no jornalismo, deadline.

Um momento que chamou a atenção nessa semana foi a entrevista da ex-atriz(?) Regina Duarte para a CNN Brasil. Em dado momento a secretária da cultura cantou "90 milhões em ação, pra frente Brasil...De repente é aquela emoção..." e em dado momento viu-se contrariada por outra atriz - Maitê Proença - que, é bom lembrar era da turma do 'anti-corrupção/Pró-Moro" (não esqueçamos, ok?),  enviou um vídeo criticando a falta de políticas públicas da pasta.

O governo federal, em meio a pandemia, tem-se mostrado pródigo em criar crises como se a Pandemia, por si só não resulta-se em uma imensa crise ao não ser fortemente atacada. Da saída do ministro da saúde à atual crise de relacionamento com o atual ministro da pasta foram menos de trinta dias. Para um presidente que trata tudo como se fosse namoro, noivado ou casamento nada mais apropriado que caracterizar a crise com Nelson Teich como crise de relacionamento ou mesmo DR. Teich como se viu na semana passada foi informado, em meio a uma coletiva que o presidente editara um decreto tornando "serviço essencial" salões de beleza, academias e outros que tais. A cara que ele fez, o constrangimento "nível hard" foi evidente. 

***AtualizaçãoAgora***

Teich pediu pra sair. Menos de um mês depois de assumir o segundo ministro da saúde sucumbiu ao tom fortemente autoritário de Jair "Cloroquina/FimDaQuarentena" Bolsonaro. Em meio a uma crise da saúde o governo federal já vai para o terceiro titular desta importante e fundamental pasta.

Nessa semana completei quatro meses neste projeto jornalístico tão importante e que me permite adquirir muita experiência. Vida longa ao Projeto Jovens Cronistas. 

A partir de hoje vou inserir sugestões de filmes/livros aqui na coluna. Pra começar vou sugerir um livro que mostra aquilo que todo mundo diz ou, pelo menos suspeita: os caras era gêneos. É a história da criação de algo que iria mudar a história pop. Estou me referindo ao disco dos Beatles "Sgt Pepper's lonely heart club band" de 1967. O livro em questão chama-se "Paz, amor e Sgt.Pepper. Os bastidores do disco mais importante dos Beatles", de George Martin, da editora Sonora.

Até semana que vem.

Saudações,

Ulisses B. dos Santos.

twitter e Instagram: @prof_colorado

Sobre a Coluna

A coluna SobreTudo é publicada sempre às terças-feiras. (Não, hoje é sexta. Abraços)
Compartilhe:

Ulisses Santos

Sou um cara solidário e humanista. Procuro ser empático com o outro. As relações humanas fazem com que cada um de nós seja alguém que ao acordar é uma pessoa e ao dormir seja outra. Sou professor da rede pública estadual do RS desde 2002 e escritor desde sempre. Tenho livros escritos sobre a história de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul. Atualmente estou concluindo a graduação em Jornalismo.

Deixe seu comentário:

0 comments so far,add yours