Banner 1

JC Agora

Rússia 2018 - Argentina se complica, Croácia se facilita

AFP
Salve, pessoal, amigos e os que acompanham a Copa do Mundo 2018 da Rússia, hoje o assunto nos Jovens Cronistas é a partida mais aguardada deste dia (21) e talvez seja até aquela com o resultado mais surpreendente em termos de material humano das duas seleções. Sim, Argentina e Croácia protagonizaram uma surpresa em termos de placar em Nizhny. Mas quando o assunto é futebol jogado, o revés de 3x0 sofrido pelos Hermanos foi merecido e ainda os complicou no Grupo D.

A Argentina foi escalada por Sampaoli com o goleiro Caballero, três homens na defesa – Mercado, Otamendi e Tagliafico – quatro meio campistas – Mascherano, Salvio, Perez e Acuña – três homens na frente – Meza, Messi e Aguero sendo este um pouco mais adiantado. A Croácia foi armada por Dalic no esquema 4-2-3-1, com Subasic no gol, linha de quatro defensores composta por Vrsaliko, Lovren, Vida e Strnic, dois volantes – Rakitic e Brozovic. Mais adiantado e centralizado, o astro do time Luka Modric e à sua direita, Perisic, à esquerda, Rebic. Mais adiantado como centroavante o experiente Mario Madzukic.

O jogo já começou com a seleção croata em cima, em chute perigoso de Perisic, Caballero precisou esticar os dedos para evitar o que seria o gol de abertura do placar logo aos 4 minutos. A Argentina respondeu aos 12 minutos em chute de Meza, travado e bloqueado por Lovren. Aos 29 minutos, Enzo Pérez recebeu a bola livre, sem goleiro, mas foi precioso demais no lance e chutou para fora a então melhor chance da partida. Aos 31 minutos, a Croácia não quis ficar para trás no quesito de gols perdidos e Mandzukic mandou cabeceio açucarado para fora, um verdadeiro festival de gols perdidos.

Na segunda etapa, a bola caminhava calmamente pela cancha. Nenhum time atacava com efetividade. Mas quando parecia que tudo estava calmo, Caballero apareceu aos 8 minutos de jogo. E não foi para fazer defesa: em bola recuada pela defesa, o arqueiro argentino tentou sair dando toquinho, a famosa cavadinha, mas a bola rebateu em Rebic. O croata teve apenas o trabalho de chutar para encobrir o argentino e abrir o marcador. Agora a pressão subia demais para cima da Argentina.

FIFA getty images


Sampaoli então resolveu mexer: sacou Aguero para entrada de Higuain, Salvio para a entrada de Pavón. A Argentina cresceu na partida e por muito pouco não atingiu a igualdade com Messi chutando de dentro da pequena área, mas Subasic conseguiu se recompor com os pés e bloquear o arremate do argentino. A última mexida de Sampaoli foi ofensiva, com a entrada de Dybala no lugar do meio campista Enzo Perez. A partir deste momento, a Croácia começou a recuar em seu campo e chamar a Argentina; em uma das outras oportunidades, Dybala apareceu pela ponta, cortou para a perna esquerda e chutou por cima. O castigo para um time desorganizado veio de um homem que parece que a bola não queima em seus pés: Modric. O croata recebeu na intermediária, “bailou” na frente de Otamendi e soltou a bomba no canto de Caballero para fazer o 2x0.


FIFA (Divulgação)


A Croácia queria mais. Em cobrança de falta, Rakitic cobrou no travessão, na forquilha mesmo. Mas no final da partida, Kovacic que havia entrado no lugar de Perisic serviu Rakitic que só empurrou para o fundo das redes argentinas. Um gol que parecia de churrasco ainda, daqueles que você toma duas latas de cerveja, come uma linguiça, aí vai para o campo, joga uma bolinha para depois voltar, beber e comer de novo. Um gol de “pelada”, literalmente.

Em termos de material humano, placar elástico. Em termos de futebol, justo. Copa do Mundo não se tenta sair jogando com cavadinha. Croácia se defendeu bem e estava só esperando o erro – que aconteceu. Sampaoli ainda mexeu errado; tirar o Aguero que era um dos poucos que brigavam na frente para colocar o Higuain? Time já está perdendo, sacasse apenas o Salvio para a entrada do Pavon. Isso sem falar em um time totalmente desorganizado e assustado; vejam, Mascherano apareceu em momentos para criar jogadas! Dybala quando entrou até que melhorou (pouco) ofensivamente, mas a desorganização da equipe era tão grande que o jogo parecia já perdido faltando 15 minutos.

Por outro lado, a seleção croata saiu com perigo de seu campo, sempre de maneira organizada. Quando tiveram liberdade, os jogadores mais técnicos da Croácia apareceram e com destaques positivos – Modric, Rakitic, Mandzukic. Na segunda etapa, o técnico Dalic armou uma verdadeira armadilha para pegar a Argentina e Sampaoli caiu direitinho; contra-ataques mortais, extremamente bem executados e treinados. A Croácia mostrou para a Argentina como se vence uma partida tática e tecnicamente. A Argentina precisa entender que “raça” não é sinônimo de afobação e desorganização.

Reuters
Croácia carimbou a vaga para as oitavas de final. Argentina tem chances de classificação ainda, já que enfrenta a equipe da Nigéria que, com todo respeito à alegria e empolgação que os africanos trazem à Copa, não é nenhum bicho papão. Mas caso a Nigéria perca amanhã para a Islândia, a situação fica complicada – Croácia e Islândia poderiam empatar que, mesmo com uma vitória argentina, eliminaria os Hermanos. É, amigos, complicou para a Argentina.

Nenhum comentário