Banner 1

JC Agora

Papo de Torcedor PALMEIRAS - Primeiro passo: dado!


Caros palestrinos, torcedores do maior campeão nacional, vamos repercutir hoje a vitória diante do Novorizontino no Campeonato Paulista de 2017, em jogo válido pela primeira partida do mata-mata do Paulistão. O jogo foi realizado no Estádio Jorge Ismael de Biase em Novo Horizonte. Um jogo que foi muito movimentado (aliás muito melhor do que o da TV aberta), mas que prevaleceu mais uma vez a qualidade do Palmeiras. O Novorizontino chegou a assustar, a tentar levar o jogo na lábia, mas não deu. Vamos ao jogo.

O Palmeiras foi a campo com Prass, Fabiano, Dracena, Mina, Egídio, Felipe Melo, Tchê Tchê, Willian, Dudu, Roger Guedes e Borja. Um esquema um tanto quanto ousado que poderia resultar em algumas bolas nas costas. Partindo deste princípio, Roberto mostrou que era por ali o caminho ao rolar bom passe para Everaldo desperdiçar. Porém, tentou mais uma vez ao ganhar a bola na dividida com Edu Dracena. Não teve jeito para o Palmeiras e o Novorizontino abriu o placar.

Depois do gol, a equipe aurinegra recuou para explorar mais os contragolpes. O Palmeiras começou a tentar mais jogadas. Em uma delas, por muito pouco Egídio não conseguiu empurrar para dentro. Em outra, Mina tentou uma puxeta de fora da área, mas passou rente à trave esquerda do goleiro Michael. De tanto insistir, o Palmeiras foi premiado com um gol em uma bola chorada que sobrou para Dudu empurrar para dentro e empatar a partida. Aí começou a parte do "grito". Rodinha no árbitro Luiz Flávio de Oliveira (que será mencionado mais adiante também) que validou o gol legal.

Veio a segunda etapa que começou com o Palmeiras em cima: Borja acertou o travessão de Michael assustando o time da casa. A resposta veio quase de imediato em chute de Doriva que a bola terminou em uma defesa espetacular de Fernando Prass. A equipe de Novo Horizonte começou a encontrar dificuldades no abafa realizado pela equipe do Palmeiras. Em outra bola cruzada na área, a zaga do Tigre afastou, a bola sobrou pra Mina que acionou Borja que virou a partida. Gol que Luiz Flávio de Oliveira ia anulando. Mas o bandeira salvou. Aliás, a família "de Oliveira" com o Palmeiras tem poucas e boas. Só não falo o palavrão que todos merecem porque aqui não é permitido. Mas vocês merecem! Não passam de um bando de safados que buscam sempre atormentar a vida do Palmeirense. Bando de lixo! Luiz Flávio e seu respectivo irmão! Um bando de sem vergonha! De mal intencionados! Forçam erros que vão além do limite humano!

Borja comemora gol da virada (diariodegoias.com.br)

Luiz Flávio ainda deixou também de expulsar o meia Éder depois de carrinho por trás de Roger Guedes, mas estamos falando da família safada da arbitragem brasileira. Então, deixa passar. Fato que Baptista ainda colocou Erik no time titular no lugar de Borja e o rapaz deu uma assistência ao Roger "Justin Bieber" Guedes decretar o placar e ser expulso graças à regra mais grotesca do futebol. Mas fazer o que: tem que cumprir. Fim de papo.

Palmeiras precisou tomar um choque para acordar. Tomou o gol e a partir dali buscou mais a meta que o time da casa. Que por sinal, se jogasse mais bola do que falasse, poderia talvez ter ganho o jogo, pois enquanto jogou, complicou demais. Roberto é muito rápido pelas pontas e pode explorar as costas de qualquer lateral do Palmeiras; ainda mais dois marcadores limitados como Fabiano e Egídio. Mas tentaram levar dois gols do Palmeiras no grito e acabaram sentando na graxa. Sobre o Palmeiras em si a partida deixou a desejar no começo: Tchê Tchê não está jogando bem, Egídio na marcação continua um desastre e o time as vezes parece meio afobado no ataque. Dudu até o gol estava errando tudo que tentava e ainda bem que Borja conseguiu fazer o gol e tirar um pouco da "zica". Com cabeça no lugar e rodando a bola, Palmeiras foi bem na segunda etapa, jogou e mereceu a vitória. Agora é manter a pegada, não subir no salto para o jogo da volta. E tomara que nunca mais um árbitro da família "de Oliveira" apite jogo do Palmeiras. Safado quero longe do meu time!

Nenhum comentário