Banner 1

JC Agora

Mais SP - Semana do Gestor #17

Vamos acompanhar semanalmente o mandato do prefeito tucano João Dória à frente da Prefeitura de São Paulo. O Gestor, como ele bem frisa, terá muito trabalho no comando da maior cidade da América Latina, e estaremos atentos a todas as suas ações. Portanto, todo sábado, traremos aqui um compilado do que o mandatário realizou em suas atribuições.

 

17ª Semana De caçador de “Lula” à “vagabundos”, “preguiçosos”  e “pelegos”





Curiosamente há duas semanas, Dória não tem nos forçado a iniciar o seu modesto quadro, Semana do Gestor, com suas experiências enquanto gari, pedreiro ou jardineiro pelo Cidade Linda. Aparentemente, as viagens ao exterior fizeram o prefeito arrefecer o ímpeto político das ações junto à população, naquilo que é o seu único tesão à frente da Prefeitura.  Paralelo a essa curiosidade, o prefeito passou o fim de semana com a família. Segundo ele, foi o primeiro fim de semana de folga desde que assumiu em janeiro.


Entre o sumiço do Cidade Linda e a folga do prefeito, em  entrevistas cedidas  à alguns jornais que circulam fora do estado de São Paulo, entre eles o Correio Braziliense e Estado de Minas, Dória, mais uma vez, discursou contra ex-presidente Lula e disse que peregrinará por todo o País para evitar que o petista volte ao Planalto. “Ao lado de quem merecer indicação, seja pelo PSDB ou por um conjunto de partidos que possam impedir que esse mal volte a ocorrer no Brasil”.  Dória, sempre fazendo uso do pejorativo, frisou que fará essa tal de “peregrinação” como cidadão e não como, já aclamado por muitos, candidato do PSDB ao pleito do ano que vem. “Ora, que tenha o mínimo de consciência do mal que fez e do mal que vai responder. Nesse sentido, serei mais do que tudo um cidadão, um brasileiro. Eu vou usar toda a força da minha voz”. As entrevistas foram publicadas no domingo (23), e nesse mesmo dia, a revista Poder  trouxe também a possibilidade, cada vez mais clara para a imprensa, do prefeito se lançar na corrida presidencial do ano que vem.  Em forma de adereço ao clímax pró Dória, o Estadão publicou uma matéria em que o prefeito rasga elogios ao juiz Sérgio Moro e diz que o sindicalismo já uma realidade ultrapassada. “Se não fosse Moro e Lava Jato, o Brasil estaria destruído hoje” comentou o prefeito que ainda, como de costume, disparou que “acabou o tempo do Brasil sindicalista, o Brasil protecionista”
 
Imagem: QUADRINSTA (@Quadrinsta no Instagram e Twitter)

Assim que voltou ao trabalho, na segunda-feira (24), Dória, após ter construído toda a sua campanha no ultimo fim de semana, voltou a defender a candidatura de seu padrinho, Governador Geraldo Alckmin, para a Chapa tucana no ano que vem. O prefeito voltou a afirmar que “coloca a mão no fogo” pelo Governador ou o “santo” das planilhas da Odebrecht. 


O inicio da semana ainda reservou à Prefeitura e seus comandantes, explicações para as muitas contrariedades dessa Gestão. De cara, ainda na segunda-feira (24), a aparente falta de controle dessa gestão às áreas sensíveis persiste lesando o já lesado paulistano. Na saúde, a “Coruja” há tempos não dá as caras. Nem mesmo números daquele que parecia ser a única ação de Dória na Saúde, o Corujão da Saúde, têm sido divulgados. Os hospitais em obras, na Brasilândia, Zona Norte, e em Parelheiros, na Zona Sul, seguem sem qualquer declaração e se mantém na explicação do secretario de Fazenda, Caio Megale, de que não há dinheiro e o rombo de R$ 7,5 bilhões deixados por Haddad fazem cair por terra qualquer tipo de avanços nas obras. Enquanto isso, a população tem entrado em conflito com as más administrações das OS (Organizações Sociais) nas UBS da cidade. Muitos dos acordos entre a Prefeitura e essas OS foram firmados ainda na gestão passada, ou seja, 17 semanas de Governo e o prefeito, aparentemente, está sem tempo hábil para resolver esse e muitos outros imbróglios na administração.  


Ainda envolvendo números, a CET, desde que aumentou as velocidades nas Marginais Tietê e Pinheiros, não divulga nenhum comparativo sobre os dados envolvendo acidentes nas vias. Com a justificativa de que os métodos de contabilização foram alterados, ela continua publicando números que sustentam a opinião de que os aumentos só trariam mais acidentes. Segundo ela, 3 meses após a alteração, 7 pessoas morreram em acidentes nas duas marginais.


O prefeito ainda aproveitou a semana para lançar o dronepol: drones com câmeras sincronizadas com a GCM. De acordo com ele, a Prefeitura conta com 5 drones que serão usados pela Guarda-civil para monitorar grandes contingentes de pessoas nas regiões de comércio, no Centro. 


No “clube do Dorinha”, o olho no olho, mais um notável se juntou ao seleto grupo de especialistas do prefeito. Uma semana depois de ter recebido a “Garota de Ipanema”, Dória passou parte da noite de quinta (27) ao lado do jornalista Reinaldo Azevedo.
 
Imagem: QUADRINSTA (@Quadrinsta no Instagram e Twitter)

Com o ímpeto desmedido, Dória que iniciou essa semana lançando indiretamente sua campanha presidencial através das entrevistas dadas ao Correio e o Estado de Minas, não conseguiu termina-la com muito prestigio. Tudo porque a semana também foi marcada por uma Greve Geral na sexta (28) e o prefeito, no popular, “deu uma de ganso” e publicou vídeos onde se posicionava contra a paralisação que promovida pelas Centrais Sindicais e grupos organizados contra as Reformas do Governo federal. Em alguns vídeos, Dória anunciou que tinha fechado acordo com taxistas para o transporte de servidores, já que houve a paralisação dos transportes públicos; em outras oportunidades, o prefeito disparou termos fortes contra os apoiadores da Greve. Em entrevista a Rádio Jovem Pan, chegou a chama-los de “vagabundos”, “preguiçosos”, “pelegos”. Em uma publicação em suas redes, ele falou que há outros momentos para se fazer greve ou manifestação. O prefeito, inocentemente, citou o fim de semana ou, até mesmo, a hora do almoço como oportunidades para o trabalhador demonstrar sua indignação. Mal sabe o prefeito que o Congresso Nacional trabalha intensamente para retirar esses momentos que, para ele, são os mais apropriados para Greve ou Manifestação

Um comentário:

  1. Pois é, esta figura nefasta BRINCA com os equipamentos públicos, fingindo varrer, fingindo podar, fingindo recapear ruas, como se a população fosse (e infelizmente foi "ecucada" pra ser) imbecil, começa a mostrar suas garras de CORONEL conservador, como seu antepassado. Para ele, os mortos na marginal merecem ser pisados, a flor em sua homenagem merece ser jogada no chão, chão este que o GARI DE VERDADE que ele desrespeita ao fazer isso, limpa. E para este verme, o trabalhador que luta por seus MÍSEROS direitos, é "vagabundo", para este escravagista, direito é "protecionismo"..As cobras ultraliberalistas estão armando o bote, no Brasil e no mundo, esta é apenas mais uma.

    ResponderExcluir