Banner 1

JC Agora

Mais SP - Semana do Gestor #11

Vamos acompanhar semanalmente o mandato do prefeito tucano João Dória à frente da Prefeitura de São Paulo. O Gestor, como ele bem frisa, terá muito trabalho no comando da maior cidade da América Latina, e estaremos atentos a todas as suas ações. Portanto, todo sábado, traremos aqui um compilado do que o mandatário realizou em suas atribuições.

 


11ª Semana De conhecido no Piauí à lixeiro na Marconi, quer dizer, com o Marconi




Dória iniciou a semana elogiado por um deputado piauiense. Heráclito Fortes (PSB-PI), deputado federal, disse à Coluna ESTADÃO ter ficado impressionado com o “efeito Dória”. “Todo mundo quer saber quem é esse tal de Dória”, comentou em meio a boatos de que o prefeito paulistano poderia se candidatar à presidência ano que vem. O nome de Dória chegou a ser colocado em algumas pesquisas e , segundo elas, mesmo não sendo muito conhecido, contou com percentuais consideráveis. No domingo pela manhã, o prefeito esteve em Parelheiros, Zona Sul, dando continuidade ao Mutirão Mario Covas e o Calçada Nova.  Logo depois, acompanhado de sua esposa, Bia Dória, o prefeito foi até a Catedral Anglicana, em Santo Amaro. À tarde, Dória esteve em Heliópolis, entregando, segundo ele, mais de 104 títulos de regularização fundiária e anunciou a construção de 584 casas equipadas com fogão e geladeira. Um dia antes, ainda no sábado (11), ele fez o mesmo na região da Zona Leste. Lá, uniformizado de gari, o prefeito entregou, de acordo com números dele, mais de 609 títulos fundiários para moradores da região. 


Na manhã de segunda (13), Dória repetiu o ato realizado por ele na 6ª Semana, de ir até algum terminal de ônibus da cidade e fiscalizar, empiricamente, a péssima qualidade do transporte publico. Dessa vez, o prefeito visitou o Terminal Sapopemba, na Zona Leste, e de lá acompanhou os passageiros que iam para o centro. Assim que chegou a Prefeitura, se reuniu, segundo nosso levantamento, pela segunda vez para traçar os caminhos do programa Redenção. Em parceria com o Governo do Estado, o programa que visa à reabilitação de usuários de drogas, especialmente os da região da Cracolândia, no Centro.  À tarde, depois de cinco semanas, a Prefeitura apresentou novos números da, até o momento, única investida de Dória na saúde publica municipal, o Corujão da Saúde. De acordo com esses números, o programa que agenda e realiza exames em parceria com grandes hospitais particulares em horários alternativos, geralmente no período noturno, chegou ao número de 250 mil exames em 63 dias desde a sua implantação. 
 
Prefeito João Dória e a garotinha Giulia; Foto:EGO

Ainda na segunda-feira (13), Dória pagou a promessa feita a Giulia, garota de 10 anos, filha de uma policial militar, que há duas semanas se encontrou com o prefeito em seu gabinete para entregar uma carta escrita por ela.  A menina é filha da cabo Kelly Trajano dos Santos, do COPOM (Centro de Operações da Policia Militar), e tinha o sonho de conhecer o prefeito. No encontro, Dória, ao saber que a pequena Giulia pretende ser “fashion design”, prometeu convites para o São Paulo Fashion Week que começou nessa segunda (13), no Parque Ibirapuera.  Dória foi ao maior evento de moda do Brasil acompanhado de sua filha, Carol Dória, e sua esposa, Bia Dória.
 
Filha e esposa de João Dória. Foto: EGO

Na manhã de terça (14), o prefeito atualizou os números do programa Trabalho Novo da Prefeitura. Anunciado na 5ª Semana, o programa ampara moradores em situação de rua por meio de rápidos cursos profissionalizantes que depois são encaminhados para o mercado de trabalho em áreas de prestação de serviço.  De acordo com Dória, em pouco mais de um mês de programa, 123 pessoas estão empregadas com carteira assinada. Estranhamente, o prefeito não comenta o caso dos moradores da Praça 14bis, na região do Viaduto Nove de Julho. Esses moradores foram retirados da Praça e realocados para debaixo do Viaduto, logo no 1º dia de Dória à frente da Prefeitura. Na promessa de que teriam um local mais adequado, o prefeito se restringiu a enviar um banheiro químico, nada parecido com o Estou aqui para te tirar do aperto, e tela esverdeada para, de acordo com ele, dar mais privacidade aos moradores.  


Em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar do SBT, na terça-feira (14), o prefeito tentou explicar o imbróglio dos medicamentos.  Na 6ª Semana, Dória anunciou uma parceria com empresários do ramo farmacêutico para a doação de medicamentos para as farmácias das AMAs e UBS. À época, Dória fechou um acordo em que diversas empresas, juntas, doaram cerca de 381 milhões de doses. Cinco semanas depois, pouquíssimos remédios chegaram às farmácias, isso porque houve equívocos em relação a isenção de impostos. Por se tratar de doação, há isenção de ICMS e essa tramitação, de acordo com a Prefeitura, está atrasando o envio das doses para os postos de saúde. Fato é que, a alegria do anuncio na 6ª Semana transformou-se em um incomodo nos últimos dias. O prefeito viu a TV Globo cobra-lo durante três dias seguidos na semana passada e foi obrigado a dar declarações consistentes para o jornalista do SBT que, de certa forma, criticou a parceria entre público e privado.


A semana ainda foi marcada por uma tal “Greve Geral”. Na quarta (15), metroviários resolveram cruzar os braços por 24 horas em apoio as centrais sindicais e movimentos populares que saíram as ruas contra as Reformas da Previdência e Trabalhista do Governo Federal. Assim como os metroviários, todas as empresas de ônibus, conveniadas à SPTRANS, exceto as Cooperativas, os antigos perueiros, também pararam entre o fim da noite de terça (14) e a manhã de quarta (15). O prefeito foi duro em relação aos sindicatos dos motoristas e cobradores de ônibus que, obviamente por se tratar de uma “Greve Geral”, resolveram paralisar todo o efetivo. Dória, amparado pela decisão da Justiça em não permitir a total paralisação dos motoristas e cobradores, multou o sindicato que representa a categoria em R$ 5 milhões. Contradizendo-se, em entrevista coletiva, ainda na quarta (15), o prefeito pediu mais sensibilidade, aquela que não teve com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus, dos empresários, os patrões, para que não “deduzissem” o dia de funcionários que não conseguiram chegar ao trabalho.


Depois de algumas semanas turbulentas de conflitos diários do prefeito com os pichadores, especialmente em relação aos murais da Av. 23 de Maio, a Prefeitura iniciou, na ultima quinta (16), a instalação dos jardins verticais que ocuparão os 1500 m² dos muros onde, antes de Dória, tinha o painel  feito pelo muralista Eduardo Kobra em homenagem a cidade. A Prefeitura pretende usar plantas da espécie unha-de-gato para verdear os muros do Corredor Norte – Sul, já que elas se adequam bem as mudanças climáticas. À noite, Dória colocou no ar o terceiro Olho no Olho, seu programa de perguntas, sugestões no Facebook, com a presença, não mais musical como nas duas primeiras edições, de Márvio Lucio, o Carioca do humorístico Pânico na Band
 
Prefeito João Dória e dois ex-moradores de rua empregados pelo McDonald’s; Foto: AI João Dória

Ontem, sexta (17), Dória voltou a falar do programa Trabalho Novo e os seus 123 ex-moradores de rua que já estão empregados. E m visita a uma rede de fast-food estadunidense, McDonald's¸ o prefeito encontrou com quatro pessoas que viviam em situação de rua e que, agora, aparentemente, reencontraram a felicidade de não se autoflagelar como indignos à margem da sociedade.
 
Prefeito João Dória e o Marconi; Imagem: Reprodução/Instagram

Hoje, sábado (18), Dória acordou cedo e foi a Zona Norte. Trajado de gari, o prefeito conheceu o Marconi, supervisor de limpeza, e juntos foram recolher sacos de lixo das calçadas da Av. Cruzeiro do Sul. Depois, por volta das 8:30hrs, Dória já estava no gabinete para a reunião quinzenal com o Secretariado e Empresas Municipais.  

Um comentário:

  1. Veja Claudio, eu não "torço contra" a administração de Dória ou de quem quer que seja, por que isso seria torcer contra a população, a sociedade, que ficaria prejudicada por um mandato ruim. Mas há que colocar os "pingos nos is" como tomou pra si um por aí..

    Muito legal ver que caminha pra dar certo o programa de reinserção dos moradores de rua e torcemos pra sim, DAR CERTO. Mas isso não invalida o que vem dando errado. Ao assumir, Dória prometeu que em TRINTA DIAS resolveria o déficit de medicamentos na cidade e o problema só piorou, viu que não conseguiria, anunciou um projeto mirabolante de filantropia que rapidamente abasteceria os postos, para depois fazer a entrega (gratuitamente, vejam só) na rede privada.

    NÃO ESTÁ FUNCIONANDO. E é evidente, a Rede Privada visa o LUCRO, o medicamento pode até chegar para ser distribuído, mas se isso não for muito bem costurado, eles vão sim tentar empurrar a venda do remédio, sem dúvida. Na "Rede Farmácia Popular" isso foi feito, mas não foi um "acordo de cavalheiros, comandado por Sidney" como sugere o publicitário.

    Além disso, o Prefeito promete garantir a recolocação dos profissionais que perderão seus empregos nas farmácias dos postos, com a recolocação na Rede Privada. QUE MECANISMO ele vai usar para tal? Fora a questão do transporte escolar.

    Não é que "A Globo" está atacando o mandatário, a emissora (e olha que tenho divergências institucionais) tem talvez o único jornal local que faz efetivamente um trabalho comunitário e não meramente policialesco, logo, ela mostra as demandas da sociedade. Essas são demandas DA SOCIEDADE e não "da Globo". Não é "a Globo" que está "atacando" o Prefeito, são demandas populares que saltam aos olhos. Não cabe na minha visão "justificar" os pontos falhantes da gestão. Respeitosamente, isso é trabalho dele e de sua AI.

    ResponderExcluir