Banner 1

JC Agora

Liga Espanhola - A liderança troca de mãos na Liga das estrelas



Na 26ª rodada, tivemos: a superação do Athletic Bilbao contra o Real Madrid, o Barcelona goleando para voltar à liderança e o jogo de xadrez entre Atlético de Madrid e Valencia pelo terceiro lugar.

Athletic Bilbao 1 x 0 Real Madrid

No País Basco, 50 mil apaixonados viram uma bela partida. O Real apresentou imensa dificuldade para segurar o ímpeto do Athletic e acabou derrotado por 1 a 0.

Carlo Ancelotti montou sua equipe no 4-3-3, com Illarramendi no meio-campo e sem Lucas Silva (por opção). Com suas estrelas, mas sem o brilho corriqueiro.

Ernesto Valverde deslocou Muniain para a armação basca e colocou Williams na ponta-esquerda, em seu 4-2-3-1. Na direita, uma dobradinha com De Marcos na lateral e Iraola – que comemorou sua 500ª entrada em campo pelos Leões – na meia, para anular CR7. Deu certo, uma vez que o lotado Sán Mamés caracterizou um ambiente hostil, no qual, aliado ao espírito decisivo da equipe, resultou em partida beirando à perfeição do Athletic.

Foram vários os momentos em que o Bilbao adiantou suas peças para dificultar o jogo do Real. Mas o gol saiu em uma subida surpresa. Mikel Rico avançou até a meia direita, deu uma assistência na cabeça de Aduriz, que antecipou Pepe e cumprimentou Casillas no canto esquerdo. 1 a 0 na Catedral, aos 25 minutos da metade inicial.


Por sinal, Rico foi um dos melhores em campo – senão o melhor. Pois não só protegeu sua defesa com competência, mas subiu com qualidade ao ataque. Enquanto isso, Kroos e Isco sofreram para organizar as jogadas ofensivas dos merengues. Ronaldo e Bale foram bem marcados; Benzema esteve apagado.

Na segunda etapa, a trinca de frente do Real movimentou-se mais para abrir espaços – contou, porém, com o adversário cada vez mais abdicando de atacar para defender o resultado. Assim, apareceu o goleiro Iraizoz, mero espectador nos primeiros 45 minutos.

Nas chances de maior relevância, aos 15 com Benzema e aos 21 com Cristiano Ronaldo, o camisa 1 precisou sair da meta para desarmá-los, em passes atrás da defesa basca. 

O CR7 pediu pênalti em seu lance (destacado na imagem), mas não foi atendido. Apesar do contato, o goleiro basco desviou a bola antes e o gajo tentou forçar a passagem.

Mesmo inoperante durante o jogo, Bale quase fez um golaço da intermediária. Vendo Iraizoz adiantado, o galês arriscou, porém acertou a trave.

Nas duas últimas apresentações da Liga Espanhola, os madridistas demonstraram dificuldade para armar jogadas, principalmente pela ausência de Modric. O croata deve retornar na terça-feira, contra o Schalke 04 na partida de volta da Liga dos Campeões.
A primeira vitória do Bilbao sobre o Real, desde 2010, foi construída com aplicação tática e mentalidade de time campeão.

Barcelona 6 x 1 Rayo Vallecano

O Barça não desperdiçou a chance de ser o líder, após quatro meses de soberania madridista. Em grande estilo, os catalães contaram com o 32º hat-trick de Messi em partidas espanholas – um a mais que Telmo Zarra, ex-jogador do Athletic Bilbao, quebrando o recorde – nos 6 a 1 contra o Rayo Vallecano.

José Enrique e Paco Jemez montaram suas equipes de formas diferentes. Os catalães jogaram no 4-3-3, sem Busquets, machucado, e Neymar, suspenso. O Rayo jogou no 4-2-3-1, com uma dupla no ataque: Alberto Bueno e o brasileiro Léo Baptistão.


O gol culé saiu cedo, em jogada utilizada à exaustão: o passe às costas da defesa, que jogava em linha. Assim, aos 5 minutos do primeiro tempo, Suárez recebeu de Xavi e, de trivela, fez 1 a 0.

Diga-se de passagem, o pistoleiro adaptou-se bem à Catalunha. Com os dois gols marcados - o outro fechou a contagem aos 45 da etapa final -, o camisa 9 acumula uma sequência de 9 gols nos últimos 8 jogos (pela Champions, pela Copa do Rei e pela Liga).

Os madrilenhos de Vallecas (por isso, vallecanos) ofereceram certa resistência até os três minutos da etapa final. Quando Pique aproveitou rebote da cabeçada de Alba, na trave, e fez 2 a 0.

Lionel Messi, discreto até então, resolveu se apresentar, de fato. E precisou apenas de 11 minutos para conseguir o que queria. Aos 11, em cobrança de pênalti - na segunda tentativa, já que o juiz mandou voltar a primeira, defendida por Alvarez -; aos 16, em rebote do goleiro no chute de Suárez e aos 22, em um drible desconcertante, que deixou Alvarez sentado.  La Pulga, agora, é o artilheiro da Liga ao lado de Cristiano Ronaldo, com 30 gols.

Bueno descontou em penalidade cometida por Daniel Alves, expulso por ser o último homem.

O placar enche os blaugranas de moral, não só pelo resultado e a liderança, mas porque daqui há duas semanas temos "El Clásico" no Camp Nou.

Atlético de Madrid 1 x 1 Valencia

A disputa foi intensa pela terceira colocação da Liga BBVA e acabou empatada. Atleticanos e Valencianos apresentaram entrega, disposição, mas tiveram dificuldades para criar jogadas de ataque. Espaço foi coisa rara no lotado Vicente Calderón. 

O Atlético foi a campo no 4-4-2, com Raúl Garcia  ora como armador, ora como segundo atacante – e Torres à frente. O Valencia jogou no 4-2-3-1, com velocidade nas pontas e pouca presença ofensiva, mesmo com Negredo na área.


Restou aos times apelar à bola parada. Aos 34 do primeiro tempo, jogada forte do Atleti: falta cobrada na área para Tiago escorar, Koke chutou forte e encontrou as redes alvirrubras de Diego Alves. Era o 1 a 0 colchonero. Destaque para a postura aguerrida de El Niño Torres, que colocou Mandzukic no banco de reservas.

O time de Simeone ensaiou pressão no começo da segunda parte, mas sempre com bolas alçadas na área. A jogada aérea foi usada novamente para Tiago acertar o travessão, após cobrança de escanteio, aos 24.

Dez minutos depois, porém, o troco na mesma moeda. Falta na ponta-esquerda, Parejo cobrou em direção ao gol e, na falha de Moyá, Mustafi empatou a partida, de cabeça.

A partida “de Champions” como disse Godín ao final dos 90 minutos deixou os times nas mesmas posições. O Atlético em 3º, com dois empates seguidos e 54 pontos; com um ponto e uma posição a menos, aparece o Valencia.

Destaques: Jogaço no Riazor. Em jogo de sete gols, o Sevilla venceu o Deportivo La Coruña, de virada, fora de casa, e continua sonhando com vaga na Champions League 2015-16 - mesmo com 5 pontos atrás do Valencia: 54 a 49. O meia sevillista Vitolo, fez dois gols.

Contra o rebaixamento. O Levante venceu o Eibar, por 2 a 1, e saiu da zona do rebaixamento. Na briga para fugir da Liga Adelante, o Almería herdou a 18ª posição ao perder do Elche, por 1 a 0

A classificação ficou assim, lembrando que Córdoba e Getafe fecham a rodada às 16h45 desta segunda-feira:

Jogos da rodada:
Levante 2 x 1 Eibar (Sexta)

Granada 1 x 0 Málaga (Sábado)
La Coruña 3 x 4 Sevilla
Ath. Bilbao 1 x 0 Real Madrid
Elche 1 x 0 Almería

Barcelona 6 x 1 Rayo (Domingo)
Real Sociedad 1 x 0 Espanyol
At. Madrid 1 x 1 Valencia
Villarreal 4 x 1 Celta

Córdoba x Getafe (Segunda-feira)









*Imagens: Mundodeportivo.com e LigaBBVA.com

Nenhum comentário